Redes Social



twitterfacebookgoogle pluslinkedinrss feedemailhttps://www.wowapp.com/w/andrecafe/joinhttps://www.instagram.com/andrecafee/

quarta-feira, 31 de dezembro de 2014

Feliz 2015!

  
Mais uma etapa concluída, mais um ano que passou. Que você tenha conseguido aproveitar tudo de bom que Deus lhe ofereceu.
Desejamos que na paz de Deus você possa sempre encontrar o seu caminho e que este caminho seja trilhado com muita fé, para que cada vez mais você possa acreditar nesse sentimento capaz de transpor obstáculos e ser feliz. Coragem para assumir e enfrentar as dificuldades, perseverança para que jamais desista ou desanime dos seus sonhos, esperança para que a cada novo dia possa haver novos horizontes.
Que as mãos de Deus guiem sua vida conduzindo-te com muita paz, harmonia, saúde e alegria.
É tudo que desejamos aos amigos e leitores neste ano que está começando.
       Feliz Ano Novo!

       Feliz 2015!

terça-feira, 30 de dezembro de 2014

Racistas: os dez mais



O racismo é uma forma extrema de xenofobia. Contrariamente às crenças populares, as raças não estão apenas restritas às diferenças geográficas e na descrição de fenótipos geneticamente diferentes, apesar de ser uma definição de raça do século 19 que os africanos tiveram que enfrentar. No século 21, as raças passaram a abranger as enormes diferenças no terreno da língua, etnia, cultura, história, religião e filiação social.
De acordo com os teóricos humanitários mais pacifistas, o mundo é tecido com uma mistura de tecido que lhe dá o colorido contorno, cada trama é diferente do outro e se apenas um fosse desfeito, o tecido internacional cairia em desordem total. Praticamente explica a situação do mundo contemporâneo marcado por inúmeras guerras civis e atividades terroristas.
O racismo, por outro lado, decalca ainda mais essas diferenças e essa é uma razão pela quais as linhas de marcação de um grupo para outro nunca serem borradas ou deixarem de existir. O que realmente impulsiona o racismo é a crença equivocada de que os membros de uma determinada quota de raça têm algumas características comuns que resultam para que esse grupo seja superior ou inferior, desejável ou detestável.

10 – Índia

Devo ou não devo? Mas antes de apontar o dedo á crise do Ruanda, crimes de ódio americanos e europeus é preciso analisar em profundidade registros ensangüentados. Na esteira de termos como Marathi manoos, xenofobia Bihari e a divisão entre hindus e muçulmanos incessante, á que acrescentar a competição por superioridade da Correa do Norte e do Sul.
Não importa o quanto se possa gabar a incrível Índia ser secular e racialmente tolerante. O ventre é incrustado com histórias de horror racistas. Assim, seja os motins Deli e Gujrat ou segregação de indianos nortes do leste para não mencionar os estragos shiv sena havoc sobre companheiros indianos de Uttar Pradesh e Bihar, conversões de tipo sobre africanos e europeus, assim, tornando a Índia um país racialmente intolerantes.

9 – Paquistão

Próximo da Índia está o país vizinho, Paquistão. Sendo um país de maioria muçulmana a única rivalidade interna que parece infestar é a dos xiitas e sunitas. No entanto, vai mais fundo do que isso. Existem salvaguardas constitucionais para garantir que nenhum incidente de discriminação racial é tolerado. Mas é mais fácil dizer do que fazer. O governo do Paquistão não tomou as medidas necessárias para conter isso.
Conversões forçadas e fraude de casamentos, a intolerância extrema pela blasfêmia são algumas facetas do racismo no Paquistão. Enquanto os americanos ainda são tolerados, as pessoas de outros países têm que enfrentar o pior de tudo. Durante anos, reunindo apoio através de uma postura anti-Índia tem sido a principal tática dos partidos políticos no Paquistão. No entanto, assistimos a dois mandatos democráticos o que pode fazer a situação inclinar para uma boa mudança.

8 – Rússia

O racismo na Rússia é muitas vezes direcionado para as pessoas que são consideradas como não sendo etnicamente russos. Racistas fanáticos são extremamente anti-caucasianos, africanos, chineses e judeus. Migrantes de essas raças específicas muitas vezes enfrentam estereótipos raciais e a conseqüente discriminação que, por vezes, culmina em crimes de ódio e violação dos direitos humanos bruta, o ápice do que é a guerra dos rebeldes na Chechênia e no Daguestão.
Apesar de ser um dever do governo russo salvaguardar o direito dessas minorias e combater esse estigma social, só parece falhar nisso mais freqüentemente do que o normal. Também é infame por violar as suas obrigações internacionais no âmbito da Convenção das Nações Unidas sobre Discriminação Racial.

7 – Israel

Dois grupos que enfrentam a ira da discriminação racial em Israel são os árabes israelenses e palestinos. Ela deriva da história do estado, de volta aos anos do pós-guerra mundial, quando o mundo inteiro estava a empatizar por unanimidade, com os judeus, um estado foi esculpido por eles. Os palestinos, que foram os moradores nativos tornaram-se refugiados na sua terra natalantes de serem levados para fora das suas terras sem sem simpatia, o que agora é o novo Estado de Israel.
Enquanto o 'direito de retorno' de Israel apela a todos os judeus a ser uma parte do Estado. Isso discrimina os palestinos; que nasceram lá em primeiro lugar. Eles foram brutalmente escurraçados de sua própria terra pelos israelenses. À algum tempo atrás o renomado cientista Stephen Hawking apoiou o boicote acadêmico de Israel.

6 – Alemanha

Para aqueles que pensam que os sentimentos antissemitas morreram junto com Fuhrer, as ideias neonazistas alemãs contemporâneas poderiam vir como um choque rude. Estes grupos pensam ao longo das próprias linhas de Hitler, de uma Alemanha unida com a sua glória restaurada. Por entre as as chicoteadas constantes do governo e das Nações Unidas, estes grupos têm se virado para as atividades clandestinas. O Partido Nacional Democrata da Alemanha tem sido acusado de tacitamente propagandear inclinações neonazistas ou neofascistas, enquanto muitas organizações enfrentarão questões legais e alguns, como Volkssozialistische Bewegung Deutschlands/Partei der Arbeit, a frente de Ação de Ativistas Socialistas Nacionais, o partido dos Trabalhadores Alemães, e a Frente Nacionalista estão todos indefinidamente proibidos.

5 – Japão

O Japão apesar de se vangloriar de ser um país racialmente tolerante não tem restrições eficazes sobre ações xenófobos e direitos para os estrangeiros. Além disso, os estrangeiros são conhecidos por terem, por vezes, sido impedidos de certos serviços e atividades. De volta ao ano de 2005, um relatório das Nações Unidas expressou profunda preocupação com o racismo no país e que o reconhecimento do governo da profundidade do problema não foi satisfatório. O relatório identificou três grupos, na parte inferior da estrutura de hierarquia racial piramidal: japoneses americanos, japoneses brasileiros e os descendentes de países "pobres" do terceiro mundo. O registro de aceitação de refugiados do Japão é altamente decepcionante também.

4 – Ruanda

Ruanda e genocídio são frequentemente utilizados na mesma frase, devido aos meses horríveis de abril e junho de 1994, quando um número estimado de 800 mil ruandeses foram mortos num intervalo de tempo de apenas 100 dias. A maioria das pessoas que foram brutalmente assassinadas pertencia à etnia Tutsi, enquanto os autores do crime pertenciam à tribo Hutu.
Ruanda tinha testemunhado brutalidades étnicas no passado, mas este evento em particular deixou até mesmo os ruandeses nativos cambaleando. A tensão entre os dois continua a existir. É semelhante a um lar de espera por uma faísca e as pessoas continuam a enfrentar um problema a ponto de começar.

3 – Austrália


Quase metade de todos os australianos ou nasceram no exterior ou teve um pai nascido em outro país e uma em cada cinco pessoas confessou ter enfrentado algum tipo de discriminação racial. No ano de 2009, houve um aumento no número de crimes de ódio dirigidos diretamente para os índianos. Houve mais de 100 incidentes relatados de assalto relatados pelos estudantes indianos, dos quais 23 tinham conotações raciais inconfundíveis. Sem mencionar os distúrbios de Cronulla de 2005, que é um subúrbio à beira-mar, onde houve uma série de confrontos da máfia racialmente derivados. No entanto, a situação melhorou comparativamente em 2013.

2 - Reino Unido

Você sabia como Joker conseguiu suas cicatrizes? Ele tinha várias teorias para justificá-las, mas o que o vilão épico usava no filme era um “Glasgow smile ‘também conhecido como’ Cheshire grin ‘“. De volta nas empresas hooligan dos anos 60 eram intolerantes para com os estrangeiros, especialmente norte-americanos que foram ironicamente chamados de Yankees. O crime mais comum era dar a um estrangeiro o "Cheshire Grin".
Não é preciso esquecer os fantasmas do apartheid que ainda são predominantes. No ano de 2004, 87.000 pessoas da comunidade negra ou minorias terem delegado ter enfrentado um crime com motivação racial. Enquanto 92.000 pessoas brancas também foram vítimas de conversões de tipo racial.

1 - Estados Unidos da América

A discriminação racial e étnica tornou-se um grande problema e constrangimento para os Estados Unidos da América no âmbito das instâncias internacionais. Afro-americanos, asiático-americanos e latino-americanos assim como os americanos europeus ainda são desconsiderados por aqueles que pensam em si mesmos como os americanos nativos (longe do fato de que os índios vermelhos foram os nativos originais do que hoje conhecemos como América moderna).
Mesmo que a América mantenha uma visão tolerante sob um líder Africano-Americano, a realidade terrena é que está longe de ser uma sociedade homogênea, os reflexos raciais estão inextricavelmente infundidos na cultura americana e continuam a ocorrem no emprego, habitação, programas assistenciais do governo, educação e empréstimos.

segunda-feira, 29 de dezembro de 2014

O FUTURO DOS OCEANOS

Os mares constituem o maior espaço vital do nosso planeta. Sabemos da função-chave que exercem para a nossa existência. Porém, a infinita imensidão dos oceanos foi menos investigada do que a superfície da Lua. Por isso, a investigação oceanográfica é uma das grandes tarefas que a ciência tem para com a sociedade.
Os oceanos cobrem mais de 70% da superfície do nosso planeta, albergando o maior ecossistema coeso da Terra. O nosso futuro vai depender de como a circulação oceânica vai ser modificada pela mudança do clima, da subida do nível do mar, com perigos para as regiões costeiras e os arquipélagos, e da acidificação dos mares pela crescente absorção de dióxido de carbono (CO2) dissolvido. Nos oceanos existem enormes jazidas de recursos que a longo prazo poderão ser aproveitadas pelo ser humano. Mas por exemplo já hoje a pesca predatória alcançou dimensões dramáticas nos mares. Para poderem desenhar uma imagem exata dos oceanos de hoje e do futuro, cientistas, políticos e a sociedade precisam de informações claras. Até agora, as “profundezas dos oceanos” quase não foram investigadas ainda, constituindo por essa razão um dos últimos destinos para viagens de descobrimento no planeta.
O oceano acolhe aproximadamente um quarto do dióxido de carbono liberado pelo ser humano. Se não existisse este “coletor” natural, grandes quantidades deste gás do efeito estufa permaneceriam na atmosfera e o nosso planeta aqueceria muito mais do que se verifica hoje.
O outro lado da moeda é que na água do mar o dióxido de carbono se transforma em ácido carbônico. O pH da água diminui: a água se torna mais ácida. Outra consequência é a diminuição da concentração de íons de carbonato. Porém, são justamente esses íons de carbonato que seres vivos produtores de cálcio como o plâncton ou os corais precisam para crescerem.
Estudos de laboratório com espécies isoladas realizados pelos oceanógrafos em Kiel mostram que algas calcárias unicelulares, os chamados cocolitoforídeos, em águas ácidas produzem menos calcário e ganham menos peso. Sob condições extremas, as pequenas escamas de calcário da espécie Calcidiscus leptoporus se dissolvem. Em águas ácidas, a espécie Emiliania huxleyi inicialmente também armazena bastante menos calcário. Porém, ao longo de várias gerações novos genótipos mais resistentes se impõem, formando novas mutações. Dessa forma, a alga consegue compensar em parte os efeitos negativos da acidificação.

Devido à mudança do clima, a temperatura do oceano sobe, o valor do pH diminui e a acidez do oceano aumenta. Isso prejudica o processo de formação de calcário dos organismos e retarda o crescimento de muitas espécies tropicais de coral.
O mesmo seria válido também para os corais de águas frias nas profundezas escuras do mar? Em experimentos de laboratório, a espécie Lophelia pertusa resistiu à crescente acidificação, desde que tivesse alimentação suficiente à sua disposição. Os biólogos marinhos em Kiel estudaram os efeitos que temperaturas mais elevadas e maior acidez da água têm sobre a scleractinia.
Para verificar se os resultados de laboratório são transferíveis para as condições naturais, os cientistas do GEOMAR em julho de 2013 montaram um observatório a longo prazo num fiorde norueguês, do qual são provenientes as amostras utilizadas nos experimentos em laboratório. Outro objetivo do estudo é a investigação dos efeitos recíprocos entre os seres vivos.
Mesocosmos têm a função de representar o complexo ecossistema marinho em escala pequena. Como em enormes tubos de ensaio, pesquisadores podem observar as alterações de comunidades biológicas inteiras pela acidificação dos oceanos. Os trabalhos da KOSMOS-Mesocosmos de Kiel comprovaram que minúsculos organismos de plâncton tiram proveito da acidificação. A sua produtividade aumentada poderá inverter toda a cadeia alimentar. Além disso, menos carbono migra para o oceano profundo, ocorrendo uma diminuição da produção de dimetilsulfureto, um gás que esfria o clima.
Um estudo com mesocosmos na Noruega mostra, porém que é difícil transferir as observações feitas em laboratório para as comunidades biológicas: enquanto que em experimentos de laboratório com água ácida a alga calcária da espécie Emiliania huxleyi mostrou apenas uma ligeira diminuição da taxa de crescimento, sob condições semelhantes no seu habitat natural ela não consegue se impor se estiver em competição com outras algas ou sujeita à pressão de predadores ou a vírus.


sábado, 27 de dezembro de 2014

GOOGLE: O CARRO SEM MOTORISTA





Você já imaginou entrar em um carro que dirige sozinho? O que parece algo futurista vai se tornar realidade em 2015. É que a Google Inc. afirmou esta semana. A empresa pretende lançar o Android Auto ano que vem de forma comercial. Inclusive, 40 montadoras – como Chevrolet, Fiat, Ford, Honda e Hyundai, firmaram acordo para usar a tecnologia.
Inicialmente pensado para concorrer com o CarPlay, da Apple, o Android Auto quer ser firmar como uma plataforma da Google no mercado automotivo, onde cada montadora de carro teria a sua própria versão customizada, assim como acontece com os empresas fabricantes de smartphones que utilizam a plataforma Android.
Com incremento das possibilidades de entretenimento para o motorista, a dúvida da “Gigante de Buscas” é se lança o Android Auto com o imperativo de ser usado com o smartphone conectado à internet dentro das novidades do Android M ou se faz um painel de controle direto no automóvel.
Ou ainda, se oferece as duas opções. Os últimos testes já estão sendo feitos pela empresa que quer, em breve, que estes veículos inteligentes ganhem todo o planeta.
Sem dúvida, é inegável que a proposta da Google é ousada: toda vez que o carro for ligado, o motorista vai usar os serviços do Google e, ao mesmo tempo, do modelo da marca do carro via comando de voz ou toque em uma tela.
Com carros inteligentes que dirigem sozinho, será que irão diminuir [ou aumentar] os acidentes e as multas de trânsito? Será que os quem não tem Carteira de Habilitação vão poder transitar livre pelas ruas?
Caso consiga se firmar mesmo neste mercado, a Google dá mais um passo importante para a consolidação da Internet das Coisas no mundo. Produtos conectados à rede de internet de forma inteligente e que produzem respostas imediatas para os seus respectivos usuários.
Se o automóvel já caminha para isso, hoje em dia temos geladeira, televisão, relógio, óculos, entre outros produtos, completamente conectados à rede mundial de computadores. O futuro, definitivamente, já começou!

O USO INTENSO DE CELULARES PROVOCA ALTERAÇÃO NO CÉREBRO



O uso intenso de alguns tipos de celulares está provocando uma alteração no cérebro de seus usuários, como forma de se adaptar à nova atividade motora, segundo estudo feito pelo Instituto de Neuroinformática da Universidade de Zurique, que analisou as reações do cérebro de 37 voluntários.
Entre os voluntários, 26 eram usuários de smartphones com telas de toque e 11 tinham modelos mais antigos de celulares. Os pesquisadores descobriram que os cérebros de usuários de smartphones têm se alterado por conta da operação repetida das telas de toque.
Para medir a atividade cerebral dos voluntários, foi utilizada a técnica da eletroencefalografia ou EEG na sigla em inglês, que monitora a atividade elétrica do cérebro, o que mostrou diferenças marcantes entre os usuários de smartphones e os que usavam celulares "convencionais".
O teste consistiu em monitorar os impulsos elétricos trocados entre o cérebro e as mãos através dos nervos. Isso apontou que os donos de smartphones tinha maior destreza no uso dos dedos, com maior atividade cerebral aos toques dados na tela dos aparelhos pelos dedos médio, polegar e indicador, estando diretamente ligado à frequência com que o smartphone é usado.
Segundo os cientistas, o cérebro é maleável e pode ser moldado pela utilização prática repetidamente, mas ficaram surpresos pela "escala das mudanças introduzidas (no cérebro) pelo uso de smartphones", entendendo que o estudo mostra que este tipo de celular está tendo um grande efeito na vida cotidiana da maioria das pessoas.

  

Projeto Praia Sem Barreiras


Pau Amarelo, no município de Paulista, é a sétima praia pernambucana a receber o projeto de acessibilidade Praia Sem Barreiras. A ação, que pela primeira vez chega ao Litoral Norte, será inaugurada amanhã, dia 27 e ficará localizada próximo à Igreja Nossa Senhora do Ó. Idealizado pela Secretaria de Turismo de Pernambuco (Setur-PE), por meio da Empresa de Turismo de Pernambuco (Empetur), o projeto voltado para pessoas com deficiência física ou mobilidade reduzida, faz parte do Programa Turismo Acessível do Governo do Estado.   
Em Paulista, o Praia Sem Barreiras terá uma área com cerca de 200m² e funcionará aos sábados e domingos, sempre na maré baixa. Os visitantes poderão desfrutar, gratuitamente, de uma esteira de acesso ao mar, com 30 metros de comprimento, além de duas cadeiras anfíbias, uma piscina para o lazer de crianças e o banho de mar com o auxílio de quatro profissionais qualificados.    
Para o presidente da Empetur, André Correia, a chegada do Praia Sem Barreiras no Litoral Norte reafirma a importância que o tema acessibilidade tem para o Turismo de Pernambuco. "Nosso estado foi pioneiro em proporcionar o acesso adequado para pessoas com deficiência ou mobilidade reduzida. Hoje, estamos muito felizes e sabemos da importância de garantir a estas pessoas momentos de lazer, além de também estarmos trabalhando a inclusão social", afirmou Correia.
  Uma rota acessível também foi criada para facilitar o acesso dos usuários ao Praia Sem Barreiras. O caminho tem início na parada de ônibus na Avenida Cláudio Gueiros, de esquina com a Rua Togo. A Prefeitura do Paulista requalificou a calçada, que agora possui dimensões apara atender as necessidades das pessoas com deficiência ou mobilidade reduzida, com 3,5 metros de largura e 150 metros de comprimento.  
  "A praia é o espaço mais democrático de diversão e lazer. Ainda assim, deficientes e pessoas com limitação de mobilidade continuam enfrentando dificuldade de acesso. Ao aderir a esse projeto, a Prefeitura garante que esse público possa desfrutar do nosso litoral com dignidade, como qualquer paulistense", concluiu o Prefeito de Paulista, Júnior Matuto. 

Xenofobia: um novo movimento com uma mensagem quase explícita de ódio perturba a Alemanha



O grupo autointitulado Pegida, ou “europeus patrióticos contra a islamização do Ocidente”, começou a fazer desde outubro manifestações em Dresden todas as segundas-feiras. Os números de manifestantes crescem todas as semanas: em 15 de dezembro o movimento reuniu 15 mil pessoas. Seus slogans de uma paranoia xenófoba (“Não à sharia na Europa!”) são também xenófobos à política da Saxônia, onde só 2% da população não é de origem alemã e apenas 1% dos imigrantes são mulçumanos.
Os manifestantes não fizeram declarações a respeito de suas exigências ou protestos. Convencidos que existe uma conspiração politicamente correta no ar, eles não falaram com a imprensa. Poucos exibiam símbolos do neonazismo e os protestos foram pacíficos. Mas todos compartilham uma ansiedade quanto à entrada de refugiados (200 mil em 2014) e imigrantes.
Lutz Bachmann, dono de uma agência de publicidade que certa vez fugiu para a África do Sul, a fim de não ser preso por tráfico de drogas, é o líder do movimento. Ele tem seguidores em outras cidades, como o protesto convocado pelo movimento Bogida em Bonn, e Wügida em Würzburg. Mas o leste da Alemanha, em especial Dresden, é a base do movimento. Contra-manifestantes fizeram passeatas em Dresden, mas em número bem inferior aos membros do Pegida (cerca de 5.600 na segunda semana de dezembro). A chanceler Angela Merkel acusou o Pegida de “agitação e difamação”; Heiko Maas, ministro da Justiça, declarou que movimentos como o Pegida eram uma “vergonha para a Alemanha”.
A Alemanha tem uma política tolerante em relação à imigração, um dos motivos da entrada de 465 mil imigrantes no país em 2013, além de ser o segundo maior país a receber imigrantes no mundo depois dos Estados Unidos. Mas Pegida é um lembrete que muitos alemães, sobretudo no leste da Alemanha, nutrem ressentimentos que podem ser explorados como sentimentos xenófobos. “



sexta-feira, 26 de dezembro de 2014

O QUE É MISOFONIA ?



As festas de fim de ano são ótimas oportunidades para reunir a família em um jantar ou um churrasco de fim de semana. Nessas ocasiões, a gula é um pecado perdoado e o clima fraterno toma conta.
Porém, um distúrbio chamado misofonia pode fazer das refeições em família um verdadeiro inferno. O termo misofonia significa “ódio ao som”. Aqueles que sofrem desse distúrbio se irritam facilmente com alguns tipos de som, entre eles o barulho dos talheres batendo em pratos, o som da mastigação e da respiração profunda.
A misofonia também leva os que sofrem do distúrbio a se irritar com o som de “cliques” de caneta, sons de pés batendo repetidamente no chão, de teclas digitando, beijos e outros sons leves produzidos pelos lábios.
Tais sons (chamados “sons gatilho”) desencadeiam na pessoa episódios de raiva, ansiedade e, em casos mais graves, de agressividade. Uma sensação de urgência toma conta da pessoa, que busca se livrar do som imediatamente. Muitos que sofrem de misofinia acabam abandonando as ocasiões em que o distúrbio pode se manifestar.
Em 2013, um grupo de cientistas holandeses analisou o distúrbio e descobriu que ele está ligado a um sentimento instintivo de medo, de preservação. O estudo mostrou que os sons captados pelo ouvido chegam à amídala cerebral, porção do cérebro responsável pela resposta ao medo e outras emoções negativas. De acordo com o estudo, a aflição ao som geralmente está ligada a alguma está ligada a um episódio ruim com o barulho em questão.
Os cientistas conseguiram descobrir onde a misofonia começa, mas ainda não sabem o que causa o distúrbio. Não há previsão de cura e, atualmente, a terapia é o tratamento mais usado para combater o transtorno.

quarta-feira, 24 de dezembro de 2014

FELIZ NATAL


DESEJAMOS UM NATAL DE PAZ, TRANQUILIDADE E RECONCILIAÇÃO, PERDÃO E ACIMA DE TUDO, RENOVAÇÃO.
QUE O MAIOR PRESENTE SEJA A PRESENÇA DE JESUS EM NOSSAS CASAS, FAZENDO FESTA NO CORAÇÃO DE CADA UM, E RESTITUINDO TUDO AQUILO QUE A TRISTEZA ROUBOU ATRAVÉS DAS DIFICULDADES DOS DIAS.
QUE DEUS NOS ABENÇOE.
FELIZ NATAL AOS AMIGOS E LEITORES. 

COMO É BELA A NATUREZA



domingo, 21 de dezembro de 2014

Segundo a OMS, a depressão já é a doença, entre todas, que mais limita as pessoas


A Organização Mundial de Saúde previu  antes da virada do século que em 2030 a depressão seria responsável por 9,8% do total de anos de vida saudável perdidos para doenças. Mas, o número foi atingido 20 anos antes do esperado, em 2010, e não há expectativas de melhora. Segundo a OMS, a depressão já é a doença, entre todas, que mais limita as pessoas.
Kofi Annan, ex-secretário geral da ONU abriu o seminário “A crise global da depressão” promovido pela revista britânica The Economist, em Londres, com o alerta de que cerca de 400 milhões de pessoas no mundo sofrem de depressão e que a doença os torna, muitas vezes, incapacitados. O número é bem alto, 7% da população global e os custos diretos e indiretos da doença chegam a R$ 2 trilhões. “A depressão coloca um enorme peso nas famílias dos atingidos e rouba da economia a energia e o talento das pessoas. Os custos da doença devem mais que dobrar nos próximos 20 anos”, disse Annan.
Este cálculo é sustentado por um estudo do Instituto de Psicologia Clínica e Psicoterapia da Tchnishe Universitaet de Dresden, na Alemanha. Entre 2001 e 2011, dados de 30 países foram analisados para medir o tamanho das doenças mentais e seus custos. O estudo revela que, apesar de as doenças da mente ser as mais limitadoras entre todos os tipos de doenças, a depressão individualmente, é a mais incapacitante.
As pessoas com depressão perder, em média, oito dias de trabalho por mês. O mal atinge  em maior parte as mulheres em seu período fértil e mais produtivo. Além disso, é uma doença familiar. Há implicações de transmissão de comportamento depressivo especialmente para filhos e isto pode acontecer, inclusive, durante a gestação.

sábado, 20 de dezembro de 2014

Cientistas descobrem anticorpo que neutraliza vírus da dengue



Cientistas do Imperial College London, na Grã-Bretanha, descobriram uma nova classe de anticorpos capazes de neutralizar os quatro tipos de vírus da dengue.
A descoberta, publicada nesta segunda-feira, 15, na revista britânica Nature Immunology, pode auxiliar no desenvolvimento de tratamentos eficazes contra a doença, incluindo uma futura vacina universal.
O novo tipo de anticorpo, descoberto em humanos, também é capaz de neutralizar o estado inicial do vírus presente no mosquito Aedes Aegypti, que transmite a dengue.
Estima-se que a dengue infecta 400 milhões de pessoas por ano, especialmente nas regiões tropicais e subtropicais. Um grande problema é que quando uma pessoa é infectada por um dos quatro tipos de dengue fica imune a esse vírus, mas não aos demais.
O diretor da pesquisa, Gavin Screaton, disse que não acredita que a dengue possa ser controlada até que uma vacina seja desenvolvida, ressaltando ainda que isso poderia levar uma quantidade de tempo “considerável”, uma vez que será necessário produzi-la e testá-la primeiro em modelos não humanos.

Stent: retirando coágulos que bloqueiam vasos sanguíneos

Depois de três décadas, pesquisadores acharam um tratamento que melhora o prognóstico para pessoas que tiveram os piores tipos de derrame. Ao remover diretamente grandes coágulos de sangue que bloqueiam os vasos sanguíneos no cérebro, eles podem salvar o tecido cerebral que de outra forma morreria, permitindo que muitos voltem a ter uma vida independente.
Conduzido por pesquisadores na Holanda, o estudo foi publicado online, na última quarta-feira, 17, no New England Journal of Medicine.  Os pesquisadores suspeitam que uma das razões para o sucesso do tratamento é o uso de um novo tipo de “armadilha” para pegar os coágulos. O stent, que é basicamente uma gaiola de arame pequena que fica na extremidade de um cateter, é inserido na virilha e introduzido até uma artéria do cérebro. Quando a ponta do cateter atinge o coágulo, o stent é aberto e empurrado para dentro do coágulo, o que permite que o médico retire o cateter e o stent com o coágulo junto.
Cerca de 630 mil americanos têm derrames a cada ano, ocasionados por coágulos que bloqueiam os vasos sanguíneos do cérebro. De um terço a metade dos casos, o coágulo se encontra em um vaso sanguíneo grande, o que potencializa as sequelas. O remédio tPA funciona para os casos de coágulos menores, que são dissolvidos pela droga. Até agora nenhum tratamento tinha funcionado para quem tinha coágulos grandes.
O novo estudo foi feito com 500 pacientes que tiveram derrames. Um a cada cinco que usaram apenas o tPA se recuperaram o suficiente para voltar a ter uma vida independente. Mas um a cada três casos que também tiveram o coágulo removido diretamente foram capazes de voltar a ter uma vida independente logo depois do derrame.


sexta-feira, 19 de dezembro de 2014

Ministério Publico do Trabalho abre novo concurso para procuradores

Saiu no Diário Oficial da União, desta quinta-feira (18), um novo edital do Ministério Público do Trabalho que oferece nove vagas para procuradores. Os aprovados serão lotados no Distrito Federal, Rio de Janeiro, São Paulo, Goiás, Rio Grande do Sul, Pernambuco, Espírito Santo, Mato Grosso e Mato Grosso do Sul.
Interessados em concorrer podem se inscrever pelo site http://www.mpt.gov.br/concurso, entre os dias 2 de fevereiro e 12 de março. A taxa custa R$ 220. Dez por cento das vagas são para deficientes.
As provas objetivas serão aplicadas em 17 de maio. Haverá ainda provas subjetiva e prática (23), e provas oral (24 a 27/11). O resultado final está previsto para ser divulgado no dia 5 de fevereiro de 2016. O salário do cargo não foi divulgado no edital de abertura do certame.
Fonte-dp

domingo, 14 de dezembro de 2014

Reze todos os dias esta Oração!
Rogue a Deus pelos dons do Espírito Santo



Oração para pedir os Dons do Espírito Santo

Ó Espírito Santo, renovai-nos com os Vossos dons.

Para que possamos ser dirigidos por Vós, no louvor das coisas de Deus,
dai-nos o dom da Sabedoria.

Para que penetremos nas profundezas da Vossa Santa doutrina,
dai-nos o dom do Entendimento.

Para que sejamos iluminados e guiados em nossas decisões,
dai-nos o dom do Conselho.

Para que encontremos força constante nas dificuldades da prática da virtude, e na luta contra as forças do mal, dai-nos o dom da Fortaleza.

Para que conheçamos os caminhos e as ações de Deus na nossa vida,
dai-nos o dom de Ciência.

Para que sempre nos dirijamos a Deus, por meio da Santíssima Virgem, com confiança filial,
dai-nos o dom da Piedade.

Para que vençamos o mal, lutando contra os maus e fazendo o bem,
dai-nos o dom do Temor de Deus.

Ó Espírito Santo, concedei-nos, com o Vosso auxílio, dar glória a Deus, agora e  sempre, por todos os séculos dos séculos.
 Amém.

sábado, 13 de dezembro de 2014

Dilma inaugura estaleiro na Base Naval da Marinha em Itaguaí (RJ)



A presidenta Dilma Rousseff inaugurou, em Itaguaí (RJ), o prédio principal do estaleiro de construção de submarinos, que integra o Complexo de Estaleiro e Base Naval da Marinha do Brasil.
O edifício é considerado a mais importante instalação do Complexo e abrigará recursos técnicos e industriais que permitirão a conclusão da fabricação de cinco submarinos, incluindo o primeiro submarino com propulsão nuclear brasileiro.
A presidenta destacou em discurso no encerramento da cerimônia de entrega do estaleiro a importância de modernizar e equipar a marinha para garantir a soberania do País e para a proteção de "patrimônio muito valioso" mantido pelo Brasil como o pré-sal e a Amazônia.
"O Brasil é um País pacífico e assim continuará. Isso no entanto não significa descuidar da nossa defesa", afirmou.
Toda a obra do Complexo de Estaleiro e Base Naval ficará pronta em 2021, quando os quatro submarinos convencionais do Estaleiro de Construção estarão prontos.
Até lá, estão previstos nove mil empregos diretos e 32 mil indiretos, com a participação de 600 empresas nacionais, promovendo a geração de emprego na região de Itaguaí.
Foram investidos cerca de R$ 9 bilhões na construção do complexo, que faz parte do Programa de Desenvolvimento de Submarinos (Prosub).

Prosub

O Prosub é fruto da uma parceria firmada entre o Brasil e a França no ano de 2008 e prevê a construção do primeiro submarino brasileiro movido a energia nuclear, além de outros quatro submarinos de propulsão convencional (diesel-elétricos).
O acordo assegura a transferência de toda a tecnologia necessária para que o Brasil tenha capacidade de projetar novos submarinos de propulsão convencional e nuclear.
Na construção e projeto dos submarinos convencionais e com propulsão nuclear serão cerca de 5.6 mil empregos diretos e 14 mil indiretos.
A previsão é que a construção do submarino nuclear brasileiro seja iniciada em 2017, com lançamento estimado para o ano de 2025.
"Em um futuro cada vez mais próximo, a força naval brasileira poderá escrever mais um feito para sua história, ter contribuído decisivamente para que o nosso País integre o seleto grupo de cinco países integrantes do conselho de segurança das Nações Unidas que dominam a tecnologia de construção de submarinos com propulsão nuclear", afirmou Dilma.

Dilma defende o fortalecimento das Forças Armadas



Dois dias depois de receber o relatório da Comissão Nacional da Verdade (CNV) que apurou violações cometidas pelo regime militar, a presidente Dilma Roussef defendeu o fortalecimento das Forças Armadas em evento com militares no Rio de Janeiro.
Dilma participou na sexta-feira, 12, da inauguração do prédio principal de um estaleiro de construção de submarinos, que faz parte do Programa de Desenvolvimento de Submarinos (Prosub). Ela foi recebida cordialmente pelos militares e aplaudida de pé pelo menos duas vezes.
“O Brasil é um país pacífico e assim continuará. Isso, no entanto, não significa descuidar de nossa defesa ou abdicar de nossa capacidade de dissuasão”, disse a presidente, tendo a seu lado o ministro da Defesa, Celso Amorim, e os comandantes dos três organizações militares: Marinha, Exército e Aeronáutica.
“Nossa capacidade de ampliar (a defesa) será tanto maior quanto mais bem equipadas estiverem nossas Forças Armadas e mais fortes nossa indústria da defesa. Temos um patrimônio muito valioso para proteger.”
Acompanhada pelo Governador do Rio de janeiro, Luiz Fernando Pezão, e pelo diretor-presidente da Odebrecht, Marcelo Odebrecht, Dilma ressaltou que a modernização das Forças Armadas faz parte de um “necessário e estratégico processo.”
Ela disse que a indústria de defesa deve ser um vetor de expansão econômica.
“Um segundo objetivo estratégico para os investimentos que estamos realizando aqui é fazer de nossa indústria da defesa um vetor de inovação e de expansão da indústria do nosso país”.

sexta-feira, 12 de dezembro de 2014

Saúde Mental Escolar: 13% dos alunos sofrem de transtornos psiquiátricos



O Estudo Epidemiológico sobre a Saúde Mental Escolar do brasileiro indicou que 13% dos alunos de escolas públicas pesquisadas, com idades entre 6 a 16 anos, sofrem de transtornos psiquiátricos. Ao todo, foram contatados 1,7 mil alunos de quatro regiões brasileiras, e os dados mostram que apenas 19,3% desses estudantes com transtornos psiquiátricos receberam alguma forma de tratamento no último ano.
Ainda segundo o estudo, os transtornos disruptivos – Transtorno Desafiador e de Oposição, Transtorno de Conduta, e Transtorno de Hiperatividade e Déficit de Atenção (TDAH) – foram diagnosticados em 5,8% dos pesquisados, sendo 4,5% só de TDAH. A prevalência de alguma deficiência física foi registrada em 37,3%, em que delas 13,4% são deficiência visual, e 5,4% deficiência auditiva.
Inicialmente, o projeto foi apresentado às Secretarias de Educação e Saúde dos Municípios escolhidos por sorteia e as escolas participantes. Psicólogos foram treinados para entrevistar as famílias, e a coleta de dados foi finalizada em dezembro de 2012. Os pesquisadores atuaram nos Municípios de Caeté (MG); Goiânia (GO); Itaitinga (CE); e Rio Preto da Eva, (AM). Em cada um deles, 450 estudantes foram entrevistados.
De acordo com os resultados, há necessidade de uma reformulação de políticas públicas no setor com ênfase para a prevenção e a identificação precoce dos transtornos. Também ações voltadas para o combate ao estigma, que garantam a esses estudantes a possam atingir um desenvolvimento físico e emocional compatível com suas potencialidades.
 
BLOG DO ANDRÉ CAFÉ
SÓ JESUS SALVA
//