Redes Social



twitterfacebookgoogle pluslinkedinrss feedemailhttps://www.wowapp.com/w/andrecafe/joinhttps://www.instagram.com/andrecafee/

sábado, 19 de julho de 2014

Airbus: aviões elétricos

Entre os aviões que decolaram nesta semana no Farnborough Air Show, na Grã-Bretanha, um dos menores – e certamente o mais silencioso – foi um de dois assentos movido inteiramente por um par de motores elétricos. Embora alguns aviões elétricos tenham sido fabricados nos EUA, China e Europa, a aviação elétrica não evoluiu muito.
O que faz esse avião elétrico em particular se destacar é o fato de que ele foi feito pelo grupo Airbus. A gigante da aviação europeia leva bastante a sério os aviões elétricos, a ponto de ter criado uma subsidiária chamada Voltair para fabricar aviões elétricos em Bordeaux, França.
O Airbus E-Fan que voou em Farnborough é feito em grande parte de materiais compósitos leves. Uma série de baterias de íon de lítio, similares àquelas utilizadas em carros elétricos, são armazenadas ao longo dos 9,5 metros de suas asas. Os motores elétricos movem um par de hélices canalizadas instaladas em ambos os lados da fuselagem traseira.
O E-Fan tem uma velocidade máxima de 160 km/h e uma duração de voo de 45 minutos. Engenheiros da Airbus acham que baterias mais potente poderiam estendê-lo para 75 minutos. Isso ainda não é muito, mas é o bastante para uma aula de voo.
Uma grande diferença, no entanto, seriam os custos operacionais. Esses são estimados em um terço dos de um avião convencional. Recarregar as baterias – o que leva cerca de uma hora e meia com uma unidade de solo especial – é mais barato do que encher os tanques com gasolina (e, a depender da fonte da energia, menos poluente também). Mas a grande redução de custos operacionais viria da redução de serviços, já que sistemas movidos a eletricidade têm muito menos peças móveis que motores de pistão.

Nenhum comentário:

 
BLOG DO ANDRÉ CAFÉ
SÓ JESUS SALVA
//