Redes Social



twitterfacebookgoogle pluslinkedinrss feedemailhttps://www.wowapp.com/w/andrecafe/joinhttps://www.instagram.com/andrecafee/

terça-feira, 7 de julho de 2015

Não as lâmpadas incandescentes

     Desde o início de Junho é proibido produzir, importar e vender lâmpadas incandescentes com potência de 60W no Brasil. As multas para quem descumprir a regra variam de R$ 100 a R$ 1,5 milhão, informa o Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia (Inmetro).
O motivo da retirada do produto do mercado é sua baixa eficiência energética, já que são lâmpadas que consomem muita energia para iluminar pouco. O processo de funcionamento das chamadas lâmpadas quentes exige temperaturas elevadas para gerar luz. A maior parte desse calor é perdida para o ambiente.
"Somente 5% da energia gasta é usada para iluminação. O resto é usado para aquecer a lâmpada. É muita energia para pouca luz", diz o professor de engenharia elétrica Luciano Duque.
De acordo com o professor, o maior obstáculo para a troca por tecnologias mais eficientes, como as lâmpadas fluorescentes compactas ou as de LED, ainda é o preço. "É possível encontrar lâmpadas de LED a partir de R$ 20. Se comparar com uma incandescente, de R$ 4, realmente a diferença é muito grande, mas a economia na conta de luz vale a pena."
O engenheiro do Inmetro Marcos Borges afirma que, nos últimos anos, a população tem-se conscientizado sobre a questão. "Em 2010, 70% dos lares brasileiros eram iluminados por lâmpadas incandescentes. Hoje o número se inverteu. Agora, somente 30% das residências usam as incandescentes."
Segundo Borges, o fim do consumo de lâmpadas incandescentes nas casas brasileiras pode gerar uma economia de 4% de toda a energia elétrica usada para abastecer residências.
A previsão do Inmetro é que os preços das tecnologias concorrentes caiam com a saída das lâmpadas incandescentes de 60W do mercado e o início da produção em larga escala de lâmpadas fluorescentes e de LED.
Para as famílias que não têm condições de trocar todas as lâmpadas incandescentes de uma só vez, Duque recomenda que façam a mudança aos poucos, de acordo com o orçamento familiar e começando pelo cômodo da casa que fica mais tempo com as luzes acesas.
"A cada lâmpada trocada, a família vai ver a economia na conta de luz". A troca de uma lâmpada de 60W incandescente por uma de LED com luminosidade equivalente, ligada 4 horas por dia, levará à economia média de R$ 36 por ano na conta da luz, informou.
O processo de retirada de lâmpadas incandescentes do mercado brasileiro teve início em 2010. Desde então, foram retiradas do mercado as lâmpadas incandescentes de 100W, 150W e 200W. Com a proibição das de 60W, ficam faltando apenas as de potência entre 25W e 40W, que deixarão e ser comercializadas em 30 de junho de 2016.

Nenhum comentário:

 
BLOG DO ANDRÉ CAFÉ
SÓ JESUS SALVA
//