Redes Social



twitterfacebookgoogle pluslinkedinrss feedemailhttps://www.wowapp.com/w/andrecafe/joinhttps://www.instagram.com/andrecafee/

sexta-feira, 15 de maio de 2015

Microsoft Edge acaba com barras de ferramentas

O novo Microsoft Edge, navegador exclusivo do Windows 10, não vai usar muitas das antigas funções que ficaram por anos presentes no Internet Explorer. Alguns toolbars para navegadores, muitas vezes, têm um alto custo para a segurança e confiabilidade. Por isso, o Edge eliminou muitas delas. Confira.
No total, mais de 300 APIs que fizeram parte do Internet Explorer não serão incluídas no Microsoft Edge, com o objetivo de aumentar a segurança. Também foram removidas mais de 220 mil linhas de código IE. Veja a lista das ferramentas que serão substituídas por recursos do HTML5.
ActiveX
ActiveX é um modelo de extensão binário introduzido há quase 20 anos, em 1996. Ele permite aos desenvolvedores incorporar tecnologias nativas do Windows em páginas da web. Os controles podem ser baixados e instalados a partir de um site e, depois, carregados em processo e rendidos ao IE.
As extensões , também chamadas de complemento ou add-ons, melhoram a experiência de navegação web, fornecendo barras de ferramentas e de cotação de ações, animações, vídeos e etc. Porém, eles também podem ser prejudiciais. Uma vez instalados, eles passam a ter acesso irrestrito a qualquer aspecto do sistema operacional e hardware do computador, podendo ser perigoso.
Browser Helper Object (BHO)
Introduzido em 1997, junto com a versão 4 do Internet Explorer, o BHO é um plugin para o navegador que permitiu aos desenvolvedores fornecer funcionalidades adicionais. Um uso comum é a criação de barras de ferramentas que são instaladas no Internet Explorer.
Porém, ele pode trazer diversos problemas para o usuário. Muitas vezes, ele é usado para roubar informações enquanto você navega na Internet. Alguns arquivos se instalam para criar janelas pop-ups e até gerar cavalos de troia. Eliminá-los é uma forma de proteger seu dispositivo.
Vector Markup Language (VML)
VML é um formato baseado em XML para gráficos vetoriais 2D, que surgiu em 1998, junto com o Internet Explorer 5. A ferramenta apresenta algumas falhas que podem comprometer a segurança. Com ela, o computador pode executar arquivos sem permissão do usuário ao ler imagens .vml, por exemplo.
O recurso não será mais necessário no Microsoft Edge. Os vetores gráficos 2D agora são suportados através de Scalable Vector Graphics, que fornece a interoperabilidade entre navegadores modernos.
VBScript
VBScript, ou somente VBS, é uma linguagem modelada a partir do Visual Basic. Foi introduzido já em 1996 para fornecer aos desenvolvedores web como opção enquanto está escrevendo na Internet.
Assim como os outros itens, o VBS também pode tornar o computador menos seguro, já que muitas vezes eles são utilizados para tentar roubar senhas ou implantar vírus. Os arquivos maliciosos podem ser instalados a partir de e-mails ou sites. O "novo IE" não irá utilizá-lo e implementará o ES6, nova linguagem web.
Toolbars
As barras de ferramenta do Internet Explorer (toolbars), enfim, foram eliminadas no novo Microsoft Edge. Elas serviam mais para atrapalhar do que ajudar, já que funcionavam como possível porta de entrada para adwares e malwares. Ainda, sem elas, o visual fica mais limpo e agradável.
Layout IE8
O Internet Explorer 8 possui algumas peculiaridades de layout que foram incorporadas às versões posteriores do navegador. Eles foram deixadas de lado por que a maioria dos sites é escrita para um layout padrão. Os sites que exigem comportamento específico do IE8 podem ser acessados com o Modo Empresa.
Modo de documento
A partir do IE8, o Internet Explorer introduziu um novo “modo de documento” a cada lançamento. Estes modos podem ser solicitados para colocar o navegador emulando versões legadas. O novo Microsoft Edge terá um modo próprio de documento “vivo” para compatibilidade, semelhante a outros browsers.
Filtros e transições DirectX
Os filtros e transições do DirectX habilitam desenvolvedores web a aplicar vários efeitos visuais para páginas na web. Agora, o recurso não será mais necessário porque efeitos similares podem ser alcançados usando padrões baseados em CSS3 e SVG.
Comentários condicionados
Os comentários condicionados forneceram uma maneira de incorporar códigos que só tinham como alvo versões específicas do Internet Explorer. O novo navegador é mais eficaz e traz detecção de recurso e fortalecimento progressivo, em vez de código específico do navegador em comentários condicionados.
Fonte-globo


Nenhum comentário:

 
BLOG DO ANDRÉ CAFÉ
SÓ JESUS SALVA
//