Redes Social



twitterfacebookgoogle pluslinkedinrss feedemailhttps://www.wowapp.com/w/andrecafe/joinhttps://www.instagram.com/andrecafee/

quarta-feira, 30 de novembro de 2016

Avião com equipe da Chapecoense cai na Colômbia




          Pelo menos 76 pessoas morreram na queda de um avião que transportava a equipe de futebol da Chapecoense para Medellín, na Colômbia, na madrugada desta terça-feira, 29/11. Pelo número total de vítimas, é a maior tragédia da história envolvendo uma delegação esportiva. Como nem todos os corpos foram encontrados, o número de mortos segue incerto.
Por enquanto, as informações são de que há seis sobreviventes. O prefeito de Medellín, Frederico Gutierrez, afirmou que, entre eles, estão os jogadores da Chapecoense Alan Ruschel e Follmann. O canal de televisão GloboNews confirmou também que o zagueiro Neto foi resgatado e levado para a clínica San Juan de Dios, na cidade de La Ceja. O goleiro Danilo, que chegou a ser resgatado com vida e estava em estado crítico, não resistiu aos ferimentos e morreu. Além dos jogadores, foram resgatados com vida a comissária de bordo Ximena Suárez, o técnico do avião Erwin Tumiri e o jornalista Rafael Henzel, da rádio Oeste Capital, de Chapecó. A equipe de Santa Catarina viajava para disputar a final da Copa Sul-Americana nesta quarta-feira, 30, em Meddelín, contra o Atlético Nacional.
Havia um total de 81 pessoas no avião da companhia aérea Lamia, incluindo 72 passageiros e nove tripulantes. A imprensa local informou que o avião, matrícula CP2933, caiu ao se aproximar do Aeroporto José Maria Córdova, em Rionegro, perto de Medellín. O piloto teria despejado combustível ao perceber que o avião iria cair.
A equipe da Chapecoense partiu de Guarulhos, em São Paulo, fez uma parada em Santa Cruz de La Sierra, na Bolívia, e seguia para Medellín, na Colômbia. As causas do acidente ainda são desconhecidas. O avião se chocou com o solo em uma região montanhosa na cidade de La Union. O difícil acesso e o clima ruim dificultam o trabalho das equipes de resgate. No entanto, as autoridades colombianas não descartam a possibilidade de encontrar mais sobreviventes.
O número de mortos na tragédia com a delegação brasileira supera o registrado em 1949, na Itália, quando um avião que transportava a equipe do Torino, considerada a base da seleção italiana, após um amistoso realizado em Portugal. Todas 42 pessoas no voo morreram. Também supera o acidente que matou 18 jogadores da seleção de Zâmbia. Na ocasião, o avião, que caiu na costa do Gabão, seguia para Dakar, no Senegal, para disputar uma partida das Eliminatórias para a Copa do Mundo de 1994.
Além dos jogadores da equipe do Chapecoense, havia também entre os passageiros outros membros da delegação da equipe de Santa Catarina, e jornalistas brasileiros que acompanhavam a equipe. Os jogadores que estavam a bordo do avião são os goleiros Danilo e Follmann; os laterais Gimenez, Dener, Alan Ruschel e Caramelo; os zagueiros: Marcelo, Filipe Machado, Thiego e Neto; os volantes: Josimar, Gil, Sérgio Manoel e Matheus Biteco; os meias Cleber Santana e Arthur Maia; e os atacantes: Kempes, Ananias, Lucas Gomes, Tiaguinho, Bruno Rangel e Canela.

Fonte-opiniao

Nenhum comentário:

 
BLOG DO ANDRÉ CAFÉ
SÓ JESUS SALVA
//