Redes Social



twitterfacebookgoogle pluslinkedinrss feedemailhttps://www.wowapp.com/w/andrecafe/joinhttps://www.instagram.com/andrecafee/

sábado, 19 de dezembro de 2015

Lula culpa colonizadores por 'atrasos na educação do Brasil' e gera polêmica em Portugal

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva provocou polêmica em Portugal ao responsabilizar o período da colonização portuguesa, até 1822, pelos problemas do sistema educacional do Brasil.
"Eu sei que isto não agrada aos portugueses, mas Cristóvão Colombo chegou a Santo Domingo (atual República Dominicana) em 1492, e em 1507 já tinha sido criada uma universidade lá. No Peru em 1550, na Bolívia em 1624. No Brasil, a primeira universidade surgiu apenas em 1922", afirmou o ex-presidente, para quem essa demora "justifica os atrasos na educação" brasileira.
A declaração de Lula, durante uma conferência em Madri, na noite da última sexta-feira, gerou uma forte reação da imprensa portuguesa quando atravessou a fronteira entre os dois países ibéricos.
O portal Observador, um dos principais de Portugal, ironizou o assunto: "Brasileiro burro? A culpa é do (Pedro) Álvares Cabral, diz Lula".
"De quem é a culpa pelos atrasos na educação? É dos portugueses, diz Lula", publicou, por sua vez, o Diário de Notícias, o mais antigo jornal português.
Entre os assuntos mais comentados pelos portugueses nas redes sociais nos últimos dias, a declaração de Lula continua rendendo opiniões fortes no país europeu.
Num texto publicado no fim da tarde de segunda-feira no site do semanário econômico Oje, o colunista Diogo de Sousa-Martins diz que "não fica bem" a tentativa de atribuir "o ônus do atraso do sistema de educação brasileiro para uma colonização que abandonou o país há quase 200 anos e que nele inaugurou o ensino superior".
Apesar de as primeiras universidades brasileiras só terem sido fundadas no começo do século 20, como a Universidade do Paraná, em 1912, e a Universidade do Rio de Janeiro, em 1920, no período colonial existiam instituições de ensino superior no país, como a Real Academia de Artilharia, Fortificação e Desenho, de 1792, e a Faculdade de Medicina da Bahia, criada em 1808.

A culpa é de quem?

O doutor em História Social pela USP e professor de História da UFMG Luiz Carlos Villalta discorda de que a responsabilidade sobre os problemas da educação brasileira deva recair apenas sobre os antigos colonizadores.
"O Brasil se tornou independente em 1822, e o governo imperial também não criou universidades em seus 77 anos de existência. A falta de universidades deve-se, sobretudo, aos erros de nossos próprios governos, das elites agrárias que os controlaram no Império e na República", explica Villalta à BBC Brasil.
Segundo a professora de História Ibérica da USP Ana Paula Torres Megiani, responsabilizar a colonização portuguesa por antigos problemas do Brasil não é um recurso novo, mas uma prática recorrente desde o fim da colonização.
"Desde o século 19, todas as vezes que o Brasil passa por uma crise, política ou econômica, alguém sempre se lembra de culpar os portugueses do passado pelos nossos erros do presente", afirma Megiani à BBC Brasil.
Em nota nesta quarta-feira, o Instituto Lula afirmou que a fala de Lula foi "mal-interpretada pela imprensa portuguesa e chegou distorcida à brasileira".
"Lula não quis colocar a culpa do atraso da educação brasileira sobre o povo português, mas sim sobre as elites políticas que nos governaram desde a época colonial até tempos recentes", diz a nota, acrescentando que "foi durante os governos do PT que se acelerou a ampliação e democratização do acesso ao ensino superior".
Fonte-

Nenhum comentário:

 
BLOG DO ANDRÉ CAFÉ
SÓ JESUS SALVA
//