Redes Social



twitterfacebookgoogle pluslinkedinrss feedemailhttps://www.wowapp.com/w/andrecafe/joinhttps://www.instagram.com/andrecafee/

segunda-feira, 11 de maio de 2015

Viagem a Marte poderá causar danos ao cérebro

       A lista de possíveis problemas a serem enfrentados pelos astronautas pioneiros das missões a Marte ganhou mais um item: danos ao cérebro causados pela radiação cósmica.
Em 2013, um estudo feito com base nos dados coletados pelo robô Curiosity enquanto ele viajava para Marte revelou que os astronautas sofrerão o impacto dos raios cósmicos e das partículas solares, com risco de desenvolvimento de câncer.
Agora, um estudo feito por pesquisadores da Universidade da Califórnia sugere que a longa exposição aos raios cósmicos pode causar danos significativos ao sistema nervoso central, resultando em sequelas semelhantes às sofridas por pessoas com demência.
Raios cósmicos são partículas de alta energia originadas do espaço e que viajam quase à velocidade da luz.
Calcula-se que uma viagem a Marte, distante cerca de 226 milhões de quilômetros da Terra, duraria pelo menos nove meses.
A má notícia é que os danos cerebrais aos astronautas poderiam ocorrer já durante a viagem.
"Déficits de memória e a diminuição de atividades cerebrais, por exemplo, poderão afetar partes críticas da missão. E a exposição às partículas poderá provocar problemas cognitivos para o resto da vida", afirma Charles Limoli, coordenador do estudo.
A equipe de Limoli fez testes com ratos, submetendo-os a sessões de irradiação num laboratório da NASA especializado em estudos com raios cósmicos.
A exposição a determinadas partículas resultou em inflamações no cérebro que dificultaram a transmissão de sinais pelos neurônios. Tomografias computadorizadas mostraram que a rede de comunicação cerebral foi prejudicada por danos a células nervosas chamadas dendritos - alterações que contribuíram para a redução de desempenho dos ratos em atividades ligadas ao conhecimento e à memória.
Tipos semelhantes de disfunções cognitivas são comuns em pacientes com câncer de cérebro que receberam tratamentos à base de radiação de prótons.
Segundo Limoli, embora os astronautas trabalhando na Estação Espacial Internacional por longos períodos também sejam atingidos por raios cósmicos, a intensidade do "bombardeio" é menor e eles ainda contam com um pouco de proteção da magnetosfera terrestre.
As soluções aventadas pela equipe incluem o desenvolvimento de escudos de proteção contra radiação mais eficientes e o desenvolvimento de novas drogas que possam funcionar como tratamentos preventivos para os astronautas.
Fonte-it


Nenhum comentário:

 
BLOG DO ANDRÉ CAFÉ
SÓ JESUS SALVA
//