Redes Social



twitterfacebookgoogle pluslinkedinrss feedemailhttps://www.wowapp.com/w/andrecafe/joinhttps://www.instagram.com/andrecafee/

quarta-feira, 12 de março de 2014

Recife e Olinda

As cidades que se desenvolveram juntas guardam rico patrimônio cultural, com casarios e igrejas com arquitetura religiosa colonial.
Duas cidades repletas de história, riqueza cultural e principais destinos turísticos do Nordeste durante o Carnaval festejam aniversário nesta quarta-feira (12). Recife, com seus 477 anos, e Olinda, que completa 479.  As duas são chamadas de cidades-irmãs por estarem situadas uma ao lado da outra.
Foi Olinda, em 1535, o palco do pontapé do desenvolvimento de Pernambuco. Há vários lugares para explorar na cidade, como é o caso das igrejas e museus, que contam um pouco sobre a história da cidade e do estado. Nos passeios pelas ruas, os visitantes podem admirar as casas antigas com fachadas coloridas, além das construções preservadas dos séculos 18 e 19. Você pode conhecer, ainda, os traços da cultura regional, como, por exemplo, o frevo e o maracatu. Olinda foi a segunda cidade brasileira a ser declarada Patrimônio Histórico e Cultural da Humanidade pela Unesco, em 1982, após Ouro Preto.
Já a capital de Pernambuco foi fundada em 12 de março de 1537. O nome, Recife, se deve aos arrecifes – rochedos de coral e arenito formando uma barreira natural que cerca o litoral. Com mais de 1, 5 milhão de habitantes, a cidade tem 33 bens, entre casarios e igrejas, tombados pelo Instituto de Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan).
Confira a programação cultural de aniversário nas duas cidades para esta quarta-feira (12):

OLINDA

A partir das 18h30, em frente à Prefeitura, haverá a apresentação do Coral Encanto de Olinda com o maestro Spok, que darão os parabéns à cidade. Na sequencia, haverá o corte do bolo. Para finalizar, o grupo musical Bonina, formado somente por mulheres, fará uma apresentação.
Para a apresentação do coral Encanto de Olinda, a maestrina Adriana Nascimento montou um repertório com frevos de Getulio Cavalcanti, Alceu Valença, Capiba e Nelson Ferreira. O Coral é formado por 80 crianças de 6 a 12 anos, participantes de programas e projetos sociais da prefeitura, como o PETI (Programa de Erradicação do Trabalho Infantil). Elas exercitam o canto-coral em oficinas promovidas pela Secretaria de Desenvolvimento Social, Cidadania e Direitos Humanos.
Já o grupo musical Bonina é formado por cinco mulheres e também nasceu em Olinda. Trata-se de um projeto que usa elementos regionais para fazer música contemporânea. Os instrumentos harmônicos se misturam com uma percussão pesada. Para isso, as meninas usam violão, guitarra, baixo, banjo, cavaquinho, conga e efeitos percussivos. No repertório especial para o aniversário de Olinda, 12 músicas que trazem autores da região como Isaar, Ave Sangria, Tiné, Juliano Holanda. O show tem a duração de 01 hora e faz uma viagem do rock ao frevo.

RECIFE

Para comemorar os 477 anos do Recife, a prefeitura municipal preparou uma programação que reúne todos os elementos de uma grande festa de aniversário, com direito a bolo e muita música. A comemoração acontece na Praça do Arsenal, no Bairro do Recife, e culmina com o show de Alceu Valença às 20h. Já o Teatro de Santa Isabel recebe, às 21h, o espetáculo Edu Lobo e Quinteto, com a participação dos músicos Cristóvão Bastos, responsável pelos arranjos, direção musical e piano, Jurim Moreira, na bateria, Jorge Hélder, no baixo acústico, Carlos Malta, com sax e flautas, e Mingo Araújo, na percussão.
A programação da Praça do Arsenal começa às 17h, com o tradicional Maracatu Piaba de Ouro levando a brincadeira do terreiro da família Salustiano, que fica na Cidade Tabajara, para a praça do Recife. Na sequência, às 17h30, tem Orquestra de Frevo 100% Mulher, e a campeã do Concurso de Agremiações de 2014, a Escola Gigantes do Samba.
Para encerrar a festa, o músico Alceu Valença sobe ao palco da Praça do Arsenal, ao lado de sua banda, formada por Paulo Rafael (guitarra e violão), Tovinho (teclados), André Julião (sanfona), Nando Barreto (baixo) e Cássio Cunha (bateria), além de um naipe de seis metais da melhor escola de sopros da música pernambucana. No repertório, composições próprias como Tropicana, Cavalo de Pau, Belle de Jour e Táxi Lunar, além de músicas de Luiz Gonzaga, em Baião, Vem Morena e Sabiá, e Jackson do Pandeiro, com O Canto da Ema. O frevo também tem vez na apresentação de Alceu, com sucessos como Bicho Maluco Beleza, Diabo Louro e Me Segura Que Senão Eu Caio.


Nenhum comentário:

 
BLOG DO ANDRÉ CAFÉ
SÓ JESUS SALVA
//