Redes Social



twitterfacebookgoogle pluslinkedinrss feedemailhttps://www.wowapp.com/w/andrecafe/joinhttps://www.instagram.com/andrecafee/

sábado, 18 de janeiro de 2014

?Glúten: comer ou não comer¿

Tido como um mau moderno, que cola nas paredes do intestino, engorda, está relacionado com doenças como Alzheimer e problemas neurológicos, o glúten é o vilão da vez. Afinal, ele faz mal ou isso é modismo? Segundo o médico e especialista em nutrição João Curvo, a segunda opção é a mais coerente.
O médico é taxativo: o glúten só faz mal a quem tem hipersensibilidade ou intolerância a esta proteína e àqueles que comem trigo em excesso. “Acho modismo todos pararem com glúten. O pão está em nossas vidas há milhares de anos. O que mudou foi a nossa relação com o trigo. Pela praticidade comemos muito mais trigo do que o que comíamos antigamente, e assim é claro, pagamos um preço com este excesso”, diz Curvo.
A relação entre glúten, ansiedade e depressão existe, mas especificamente em pacientes celíacos. A doença celíaca é autoimune e afeta o intestino delgado de indivíduos geneticamente predispostos. ”Esses pacientes intolerantes ao glúten que continuam ingerindo-o apresentam os sintomas característicos de má absorção intestinal como diarréias e cólicas e também sofrem os prejuízos físicos e emocionais, como fraqueza, ansiedade, inconformismo e até baixa estima”, explica Curvo.
Segundo ele, todo stress e má nutrição está relacionado ao aparecimento do Alzheimer. No caso dos celíticos, as diarréias constantes devido a intolerância aceleram a má absorção dos nutrientes e pode acelerar também o da chegada do Alzheimer, em pessoas que tem predisposição genética. Nesse caso, porém, os saudáveis também devem prestar atenção. “O excesso de açúcar no sangue (decorrente do excesso de ingestão de pães, biscoitos, massas, ou seja carboidratos) eleva os níveis cerebrais de uma substância chamada beta-amilóide, que induz ao Alzheimer, em quem tem esta predisposição genética.
Carboidratos, contidos em pães e biscoitos, que contêm glúten, viram açúcar. E o excesso de açúcar, especialmente em pacientes diabéticos, pode estar relacionado com problemas neurológicos. ”O excesso de açúcar pode causar neuropatia periférica, uma condição caracterizada por sintomas que incluem dormência nos pés, mãos, ponta dos dedos”.
A dieta ideal inclui todos os grupos alimentares: gordura, proteína e carboidrato. Mas o que comer de cada uma? Para Curvo, 60% carboidratos, 25% gorduras, 15% proteínas é o ideal. A fórmula clássica vem sido rebatida constantemente por novas descobertas, mas para o especialista, isso faz parte de uma síndrome muito perigosa: a da última notícia.
As revistas especializadas em ciência são cada vez mais criticadas por tratarem descobertas isoladas como novas verdades. A cada ano um novo alimento é tido como vilão, enquanto outro entra no hall dos salva-vidas. Para Curvo, o essencial é se manter equilibrado.
O problema do glúten é o excesso. ”Pão de manhã, sanduíche no almoço, macarrão no jantar e biscoitos nos intervalos, acabarão por promover um tipo de ‘lama’ formada ao longo da parede dos intestinos (o glúten é colante, adere na mucosa) que dificultará as trocas de nutrientes, a absorção de alimentos e ao longo do tempo inflamações na mucosa intestinal”. Se chegar nesse ponto, a pessoa sentirá cólicas, gases, mal estar e também enjôos e até manifestações alérgicas na pele.
Para ele, o glúten não precisa ser excluído da dieta e produtos “sem glúten” servem a todos, são saudáveis e de mais fácil digestão.
Carboidratos transformam-se em açúcar, o que, no corpo, aumenta a produção de serotonina. É ela que nos dá sensação de satisfação e prazer. “Percebemos essa relação intuitivamente e podemos nos viciar neste mecanismo de ação e reação, ou seja: sem querer usamos o recurso do carboidrato para nos acalmar”, explica Curvo. A ansiedade engorda justamente por causa disso. A necessidade de finalmente relaxar e a percepção do corpo de que esse é o papel do carboidrato leva a exageros.



Nenhum comentário:

 
BLOG DO ANDRÉ CAFÉ
SÓ JESUS SALVA
//