Redes Social



twitterfacebookgoogle pluslinkedinrss feedemailhttps://www.wowapp.com/w/andrecafe/joinhttps://www.instagram.com/andrecafee/

segunda-feira, 6 de janeiro de 2014

As contribuições de Galileu Galilei

Galileu Galilei nasceu na cidade de Pisa, na Itália, em 15 de fevereiro de 1564 e morreu em 8 de janeiro de 1642, em Florença. Ele foi um dos primeiros a defender a teoria heliocêntrica de Copérnico, no qual a Terra giraria ao redor do Sol, que estaria no centro do universo. Contrariou as ideias de uma época em que se acreditava na Terra como centro. Foi pioneiro em contestar teorias de Aristóteles, que foram as bases da Física até século XVII. Por isso, as contribuições de Galileu Galilei mudaram a ciência e influenciam a Física, a Matemática e Astronomia até hoje.
A vontade de sua família era que seguisse a carreira de religioso ou comerciante, mas acabou cursando Medicina na Universidade de Pisa. As aulas de Física na instituição o fascinaram, com isso decidiu abandonar a universidade em 1585 para estudar matemática.
Galileu foi criador do método experimental e dinâmico. Entre suas contribuições para a ciência está a lei do isocronismo do pêndulo que mais tarde contribuiu para invenção do relógio. Ele também provou que o peso não influencia na velocidade de corpos em queda, relação que era defendida por Aristóteles. Outro feito foi o aperfeiçoamento da luneta astronômica, que lhe permitiu observar com mais detalhes o espaço e fazer descobertas como os satélites de Júpiter, as fases de Vênus, os mares da Lua e as manchas do Sol.
Com isso, criticou a teoria geocêntrica de Ptolomeu e foi repreendido formalmente pelo Tribunal da Santa Inquisição. Mesmo assim, publicou o “Diálogo sobre os dois maiores sistemas do mundo” que rendeu ordens para se apresentar em Roma, já que foi acusado de heresia. Em 1633, foi obrigado pela Igreja a negar suas ideias, teve sua obra proibida, assim como foi condenado à prisão domiciliar perpétua. Galileu morreu em 8 de janeiro de 1642, condenado pela Igreja. Por 350 anos seu processo permaneceu arquivado, até que em 1983 o Papa João Paulo II reconheceu os erros da Igreja e absolveu o cientista.

Nenhum comentário:

 
BLOG DO ANDRÉ CAFÉ
SÓ JESUS SALVA
//