Redes Social



twitterfacebookgoogle pluslinkedinrss feedemailhttps://www.wowapp.com/w/andrecafe/joinhttps://www.instagram.com/andrecafee/

segunda-feira, 16 de dezembro de 2013

INTELIGÊNCIA ANIMAL: Tubarões sabem exatamente o que estão fazendo quando atacam pessoas

Os humanos gostam de acreditar que estão no topo da cadeia alimentar. Quando alguém come algum membro da espécie, isso não apenas é chocante para os amigos e parentes da vítima, como também parece altamente impróprio – uma inversão da ordem natural das coisas. Tais ataques, portanto, costumam ser retratados como desvios em relação à conduta habitual dos predadores. No caso dos tubarões, por exemplo, presume-se que os peixes confundiram nadadores humanos com focas ou tartarugas. Mas Erich Ritter, do Shark Research Institute, uma organização sem fins lucrativos americana, discorda. Ele acha que os tubarões sabem exatamente o que estão fazendo quando atacam pessoas, e crê que os dados confirmam suas opiniões.
Evidências esparsas indicam que os tubarões em geral atacam as pessoas por suas costas. Isso faria sentido do ponto de vista dos tubarões, uma vez que a sua aproximação não seria detectada. Mas isso só se confirmaria se “pelas costas” pudesse ser um conceito aplicável a uma criatura com um formato tão estranho quanto um humano. E caso isso proceda, não há dúvida na mente do animal em relação a qual é o seu alvo.
Alguns mergulhadores entraram no mar sozinho. Outros um de costa para o outro, entraram em pares. Uma câmera instalada na superfície, 12 metros acima deles, registrou o que estava acontecendo.
No geral, ao analisarem as imagens, o dr. Ritter e o estatístico Raid Amin, da Universidade do Oeste da Flórida, conseguiram analisar 312 encontros entre tubarões e mergulhadores. Quando um único mergulhador estava presente (211 dos encontros), qualquer tubarão que se aproximasse passava pelas costas dele em 80% das vezes, e por sua frente em apenas 20% dos casos. Quando havia dois mergulhadores (os outros 101), os tubarões não exibiam preferências em relação ao que faziam. Eles não tinham, é claro, a opção de se aproximar pelas costas de ambos os mergulhadores. Mas não havia nada, nem na área, nem no comportamento subliminar dos mergulhadores, que fazia com que eles se aproximassem por certo sentido em vez de outro.
Tubarões de recifes raramente atacam mergulhadores, e esse experimento não concluiu que aquelas espécies que o fazem agem dessa maneira. Mas ele de fato revela que pelo menos alguns tubarões sabem perfeitamente qual parte de um ser humano é a frente, e qual, caso não queira ser detectado, são as costas.


Nenhum comentário:

 
BLOG DO ANDRÉ CAFÉ
SÓ JESUS SALVA
//