Redes Social



twitterfacebookgoogle pluslinkedinrss feedemailhttps://www.wowapp.com/w/andrecafe/joinhttps://www.instagram.com/andrecafee/

terça-feira, 30 de julho de 2013

?Corrupção: crime hediondo ou não¿



O projeto que torna a corrupção crime hediondo, que tramita em regime de urgência, está pronto para ser votado no plenário da Câmara dos Deputados, mas o texto não é consenso entre especialistas. A proposta chegou a ser discutida pela comissão de juristas que discutiu a atualização do Código Penal, mas foi rejeitada por 14 dos 15 juristas que participaram do grupo.
“Nós tratamos com mais clareza os crimes contra a administração pública, peculato, concussão, corrupção ativa, passiva, demos um tratamento mais adequado, mais claro. Criamos no anteprojeto o tipo penal do enriquecimento ilícito, que hoje todo mundo comenta, mas jamais pensamos em tratar crime contra a administração pública como crime hediondo”, disse o ministro do Superior Tribunal de Justiça Gilson Dipp, que presidiu a comissão de juristas.
Para ele, a proposta que torna a corrupção crime hediondo é uma “lei de ocasião”. Dipp lembrou que, quando um fato comove a sociedade, imediatamente o Congresso Nacional busca dar uma resposta política ou popular, criando novas figuras penais ou endurecendo as penas, mas ressaltou que não é este o caminho. “Não é o tamanho da pena que inibe a prática do crime, e sim a certeza de que [o criminoso] vai ser punido, ou pelo menos, responder a um processo. A sensação de impunidade é que gera todos esses fatores de corrupção, de invasão dos cofres públicos.”
Vencido na discussão o procurador da República Luiz Carlos dos Santos Gonçalves, que foi relator da comissão de juristas, é a favor da proposta. Segundo ele, hediondo é aquilo que causa asco, nojo, repulsa, como um sequestro ou um estupro, e na evolução do país isso foi acontecendo com a corrupção. “Por isso, colocar [a corrupção] no hall dos crimes hediondos me pareceu uma coisa acertada”, disse ele.
Gonçalves destacou que, ao longo do tempo, houve uma certa tolerância com esse tipo de crime, mas hoje a prática passou a ser inaceitável, como mostram os protestos das ruas. “O país é pobre, mas faz menos com dinheiro do que deveria.”
Sobre a eficácia da proposta no combate à corrupção, Gonçalves é cauteloso, admitindo que o projeto é apenas “um passo para o  caminho certo”. Para ele, a medida deve ser combinada com ações de transparência total nos gastos do Poder Público e que estimulem as denúncias à Justiça.
Aprovado no Senado no primeiro semestre deste ano, além de aumentar as penas e prever punições maiores para integrantes do Executivo, do Legislativo e do Judiciário que cometerem o delito, o Projeto 5.900/13 acaba com a possibilidade de anistia, graça, indulto ou liberdade sob pagamento de fiança para os condenados. Pelo texto, também fica mais rigoroso o acesso a benefícios como livramento condicional e progressão de regime.
De acordo com o projeto, a pena para crimes desse tipo seria de quatro a 12 anos de reclusão e multa. Em todos os casos, a pena é aumentada em até um terço, se o crime for cometido por agente político ou ocupante de cargo efetivo de carreira de estado.
Além da proposta do Senado, mais oito matérias sobre o tema tramitam na Câmara e, por isso, a expectativa é que o projeto seja modificado. O deputado Fábio Trad (PMDB-MS), que foi relator, na Comissão de Constituição e Justiça, da proposta mais avançada na Casa, deve apresentar um texto substitutivo ao do Senado, aproveitando as principais sugestões de todos os projetos em tramitação.

segunda-feira, 29 de julho de 2013

Relógio que paga passagem de ônibus

Está em teste no Brasil, desde o início de julho, um relógio com capacidade de pagar a passagem do transporte público, sendo mais uma opção eletrônica a funcionar paralelamente ao Vale Eletrônico Metropolitano (VEM). O dispositivo está sendo desenvolvido pela Rede Ponto Certo, empresa paulista de recarga de cartões de transporte e deverá estar disponível para uso da população recifense a partir de setembro.
O relógio possui um chip com o mesmo sistema do cartão VEM. Ao aproximar o dispositivo do leitor de transporte público, a passagem é paga em apenas alguns segundos. A recarga pode ser feita em qualquer ponto de abastecimento do próprio, e não é necessário tirar o chip do relógio para fazer a compra de créditos.
Baseado no sistema watch2pay, o investimento para trazer e implementar a tecnologia no Brasil custou cerca de R$ 2 milhões. No Recife, a empresa tem 1,6 milhão de cartões ativos. A estimativa é que 50 mil usuários possam vir a utilizar diariamente o relógio.

JMJ reúne mais de 3 milhões de fiéis

Mais de 3 milhões de pessoas se reuniram na praia de Copacabana, no Rio de Janeiro, na noite deste sábado, 27, para participar da vigília de oração com o Papa Francisco durante a Jornada Mundial da Juventude (JMJ). O número é recorde, segundo a prefeitura do Rio.
Nem mesmo o internacionalmente famoso réveillon de Copacabana já reuniu tantas pessoas no local. Em média, a celebração do Ano Novo na praia de Copacabana reúne entre 1,5 a 2 milhões de pessoas.
A estrutura improvisada, no entanto, gerou reclamações por parte dos peregrinos. A vigília, que seria realizada no Campus Fidei, em Guaratiba, foi transferida para Copacabana por causa da chuva, que transformou o “Campo da Fé” em um imenso lamaçal.
Uma pesquisa feita por cinco professores e 20 alunos da Faculdade de Turismo da Universidade Federal Fluminense (UFF), em parceria com a Secretaria estadual de Turismo, revelou que a JMJ injetou R$ 1,8 bilhão no Rio de Janeiro. O valor é 17 vezes maior do que o relativo à Copa das Confederações (R$ 105 milhões).
Ainda de acordo com a pesquisa, que contou com a participação de 1.358 fiéis, os peregrinos brasileiros gastaram, em média, R$ 49,70 por dia durante a Jornada. Já os peregrinos estrangeiros gastaram, em média, R$ 81,30 por dia durante o evento.
A missa de encerramento da JMJ neste domingo, 28, com a presença do Papa Francisco, foi realizada sem tumultos, apesar do enorme quantidade de pessoas reunidas em Copacabana pelo segundo dia consecutivo. Ainda não há números oficiais, mas a estimativa é de que mais de 3 milhões de pessoas participaram da cerimônia.


sexta-feira, 26 de julho de 2013

Google transforma sua TV em Smart TV

Durante evento do Google, que aconteceu na última quarta-feira, na Califórnia (EUA), para anunciar às novidades do Android e o novo tablet Nexus, a empresa surge com uma surpresa inovadora: o Chromecast. No formato de um pendrive, o lançamento promete transformar qualquer aparelho de TV, com entrada HDMI, em uma Smart TV.
Custando apenas US$ 35, e sem previsão de chegada no Brasil, ele transmite programas de TV e vídeos direto do computador, tablet ou celular através do wi-fi. O dispositivo também permite reproduzir streaming de músicas e filmes que estiverem sendo executados no navegador Chrome OS. Aplicativos que são compatíveis com o aparelho, como o Netflix e o Youtube, terão um botão escrito Cast, que, após ser acionado, inicia a transmissão de imagens ou áudio para a TV. Por enquanto ele só funciona com o sistema Android, mas o Google já anunciou que em breve também estará disponível para o iOS, Mac OS e Windows.
A empresa disse que se esforçará ao máximo para que o aparelho chegue a outros países o mais rápido possível. Nos EUA, a compra já pode ser feita nas lojas online Google Play, Amazon e Best Buy. Em lojas físicas, a venda começa só a partir do próximo domingo, dia 28 do corrente.


quinta-feira, 25 de julho de 2013

Os MOOCs preocupando as universidades tradicionais

Universidades famosas, algumas com séculos de experiência, foram forçadas a contemplar a possibilidade de que a tecnologia da informação torne o modelo de negócios existente obsoleto. Enquanto isso, os MOOCs (sigla em inglês para cursos on-line abertos de larga escala) se multiplicaram em número, recursos e matrículas – embora não tenham encontrado um modelo de negócios próprio.
Certamente há muitos experimentos sendo feitos com modelos de negócios. Os MOOCs em si podem ser gratuitos, mas os seus organizadores creem que haverá muitas oportunidades de geração de receita.
Além da incerteza quanto a qual modelo de negócios gerará lucros, há discordâncias em relação ao tamanho do mercado. Alguns enxergam um jogo de soma zero ou negativa, em que fornecedores on-line baratos consigam reduzir radicalmente o custo da educação superior e coloquem muitas instituições tradicionais contra a parede. Outros acreditam que esse efeito será ofuscado pela enorme ampliação do acesso à educação superior propiciado pelos MOOCs.


quarta-feira, 24 de julho de 2013

Nanotecnologia: fim de comprimidos e agulhas



A nanociência, representada em filmes como o Homem de Ferro 3 e A Viagem Fantástica, deixou as telas de cinema para tornar-se realidade, por exemplo, na pesquisa de novos medicamentos para tratamento de diabetes, dores crônicas, náuseas, hipertensão e anticoncepcionais. Em 1940, o cientista Albert Sabin, criador da vacina contra a poliomielite, já pesquisava o uso de nanopartículas de ouro no tratamento de reumatismo.
A tecnologia avançada permitirá que pacientes não precisem mais ingerir medicamentos em forma de comprimidos ou aplicar injeções. Já está no mercado os remédios transdérmicos, administrados por aplicações diretas ou por adesivos que liberam a substância de modo constante. A principal vantagem é a de eliminar ou reduzir os efeitos colaterais.
"Em pouco tempo não vamos precisar tomar mais nada por via oral. No futuro todos os medicamentos serão transdérmicos. Quando a pessoa estiver com dor de cabeça, vai passar o medicamento na têmpora e a dor vai melhorar. No futuro, não vai precisar mais engolir um remédio", explica o professor de biotecnologia no Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Ceará, Marco Botelho.
Segundo Botelho, há estudos para que a aplicação de insulina em pacientes com diabetes dispensem o uso de agulha para dar lugar ao remédio transdérmico. O tratamento de tumores também pode ser beneficiado, com o uso de medicamentos inteligentes, em doses muito menores, que reconhecem e atacam diretamente o tecido doente. Tudo isso é fruto da nanotecnologia, explicou.
O avanço nos estudos da ciência também abriu caminho para os nanocosméticos. Atualmente, o setor empresarial já oferece produtos de preenchimento de rugas por meio de micropartículas de rejuvenescimento, protetor solar mais potente e maquiagem com brilho diferenciado.
A Agência Brasileira de Inovação - antiga Finep - tem em curso, uma chamada pública no valor de R$ 30 milhões para o desenvolvimento de produtos ou processos inovadores. O edital voltado para a nanotecnologia prevê R$ 8 milhões em pesquisas na área higiene pessoal, perfumaria e cosméticos.
De acordo com o coordenador de micro e nanotecnologias do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI), Flávio Plentz, o Brasil é o segundo mercado de produtos cosméticos e de higiene pessoal no mundo. "É uma área de muito sucesso. Temos várias empresas produzindo e comercializando produtos na área de nanocosméticos. Tem muitos grupos de pesquisas ativos e é uma área que tem impacto econômico muito grande", analisa.
No País, o grupo Boticário investe 2,5% de seu faturamento anual em pesquisas na área de nanotecnologia. A empresa trabalha com estudos no setor desde 2002 e já tem no mercado produtos anti-idade e filtros solares que atuam na redução de rugas.
"Com a evolução das pesquisas, chegamos também ao pioneirismo da triplananotecnologia, que tem como diferencial a chamada "liberação direcionada", ou seja, as minúsculas partículas de ingredientes ativos penetram nas diferentes camadas da pele de acordo com a necessidade de cada uma delas", explica o diretor de Pesquisa e Desenvolvimento do grupo, Richard Schwarzer.

GELEIRAS CASEIRAS



As geleiras encolhem à medida que o clima aquece. Isso é um problema para aqueles que dependem da água proveniente do derretimento das geleiras para irrigar suas plantações: fazendeiros que habitam a região de Leh, em Jammu e Kashmir, por exemplo. A água proveniente do derretimento que os fazendeiros precisam para irrigar seus campos recém-plantados costumava aparecer em março ou abril. Agora ela só chega em junho – tarde demais para ser usada em um lugar com uma temporada fértil tão curta.
Chewang Norphel, um engenheiro civil aposentado que vive na região, acha que tem uma solução: se as geleiras naturais derreterem, por que não criar outros artificiais? E é isso que ele vem fazendo ao longo dos últimos dez anos. Ademais, ele criou novas geleiras em lugares onde elas derreterão exatamente no momento necessário e farão com que o seu conteúdo flua diretamente para os campos dos fazendeiros.
A partir de um momento “eureca”, quando percebeu que um córrego em seu jardim havia congelado sob a sombra de um bosque de álamos, embora fluísse livremente em outros lugares, ele se deu conta de que a maneira de criar uma geleira era desacelerar o fluxo da água e isolá-la da luz do sol. E é isso que ele e sua equipe de engenheiros estão fazendo. Até agora, Norphel e sua equipe criaram uma dúzia de geleiras artificiais.
Glaciologistas meticulosos podem argumentar que o que Norphel está criando não são, a rigor, geleiras. Para que um corpo de gelo alcance a condição de geleira, de acordo com os livros-texto, as camadas de que são feitas têm que ser formadas a partir de um processo de congelamentos e derretimentos repetidos, tendo ao fim se metamorfoseado em um bloco sólido de gelo granular. Mas não é assim que as geleiras de Norphel são formadas, pelo menos até agora.


terça-feira, 23 de julho de 2013

Saúde de ministros do TCU custa R$ 1 milhão em dois anos

O Tribunal de Contas da União ressarciu seus 13 ministros, entre 2011 e 2012, no total de R$ 1 milhão em despesas médicas. O valor é 67,4% a mais do que o previsto em duas portarias do TCU, que definiram um limite máximo por ano de recursos destinados ao ressarcimento por despesas com assistência à saúde das autoridades.
Cada portaria previa o gasto máximo de R$300 mil por ano, mas em 2011 foram devolvidos aos ministros a soma de R$ 452,5 mil e em 2012 subiu para R$ 552,1 mil. As informações estão disponíveis no site da Lei de Acesso à Informação.
Segundo o jornal O Globo, o TCU explicou que não houve estouro na previsão de gastos, já que as portarias se refeririam a gastos que não são reembolsados pelos planos de saúde. Já a devolução parcial dos gastos com planos pelos ministros seriam computados em outra fonte de orçamento.
Segundo a assessoria de imprensa do órgão, existem dois limites orçamentários para custear tais despesas. A assistência à saúde da qual os ministros têm direito contempla também dependentes.
     O ministro Raimundo Carreiro relatou a decisão do TCU de que tais custos são de caráter íntimo e privado, por isso não deveriam ser divulgados no site da Lei de Acesso à Informação. Carreiro é o ministro que mais teve despesas de assistência à saúde ressarcidas pelo tribunal. Foram R$ 62,3 mil em 2011; R$102 mil em 2012 e R$10 mil nos dois primeiros meses deste ano.
Fonte-opiniao

segunda-feira, 22 de julho de 2013

CHEGADA DO PAPA FRANCISCO AO BRASIL


O Papa Francisco ao chegar no Rio de Janeiro e após pisar pela primeira vez solo brasileiro foi imediatamente cumprimentado pela Presidente Dilma Rouseff.
No percurso pelas ruas da cidade o Papa fez-se transportar por um pequeno veículo comum, um Fiat Idea, e rapidamente foi rodeado por milhares de pessoas. Em algumas alturas do percurso chegou a ser tocado e temeu-se pela sua segurança, mas a verdade é que não houve qualquer problema e Francisco ainda teve tempo para beijar uma criança.
À espera do chefe da igreja católica, durante toda esta semana, cerca de dois milhões de jovens. E foi dos jovens que Francisco falou aos jornalistas durante a viagem. Ainda a bordo do avião que o transportou de Roma ao Rio, o Papa alertou para as consequências do desemprego juvenil, para o risco de uma geração sem emprego e sem a dignidade da pessoa que vem do trabalho.
A preocupação do Papa Francisco com a crise do desemprego entre os jovens marca a chegada ao Rio de Janeiro onde decorre a jornada mundial da juventude até domingo.




domingo, 21 de julho de 2013

Pirarrã: o misterioso povo e o idioma mais estranho do mundo

Eles não sabem contar, não diferenciam cores, não conhecem arte ou mitos, não entendem ficção, não acreditam em nenhum deus. Vivem no agora, sem futuro, sem passado. Esses são os pirarrãs: 150 a 350 índios que vivem na selva amazônica e desafiam nosso entendimento da linguística moderna.
Os pirarrãs ou piraãs, também chamados de pirahãs ou mura-pirahãs, são um povo indígena brasileiro de caçadores-coletores, monolíngues e seminômades, que se destacam de outras tribos pela diferença cultural e linguística.
Eles habitam as margens do rio Maici, afluente do rio Marmelos ou Maici, que por sua vez é um afluente do rio Madeira, um afluente do rio Amazonas. Autodenominam-se hiaitsiihi, categoria de seres humanos ou corpos que se diferenciam dos brancos e dos outros índios.
Antes mesmo de nascer, ainda no ventre materno, os pirarrãs recebem um primeiro nome, que eles acreditam ser responsável pela criação de seus corpos. Durante a vida, recebem nomes de seres que habitam camadas superiores e inferiores do cosmos, responsáveis pela criação de suas almas e destinos, e também de inimigos de guerra.
Linguagem
A língua pirarrã é um língua da família linguística mura. É a única língua do grupo mura ainda não extinta, sendo que todas as demais desapareceram nos últimos séculos. Essa língua não tem nenhuma relação com qualquer outra língua existente. Havia cerca de trezentos e cinquenta falantes em 2004, distribuídos em oito aldeias ao longo do rio Maici.
Apresenta características peculiares, não encontradas em outras formas de expressão oral. Foi identificada e teve sua gramática elaborada em 1986 pelo linguista americano Daniel Everett em cerca de doze artigos. Everett viveu entre os Pirarrã por sete anos, dos anos 1970 aos 1980.

Entre suas peculiaridades, destacam-se:

•Uma das menores quantidades de fonemas entre os idiomas existentes. Identificam-se os sons de apenas três vogais (A, I e O) e seis consoantes: G, H, S, T, P e B;
•A pronúncia de muitos fonemas depende do sexo de quem fala;
•Apresenta dois ou três tons, quantidade discutida entre estudiosos;
•O falar pirarrã pode ser expresso por música, assobios ou zumbidos (como “M” com lábios fechados);
• Apenas alguns dos homens, nunca mulheres, conseguem se expressar em nheengatu ou em português;
•Sentenças muito limitadas, sendo o único idioma sem orações subordinadas;
•Não tem numerais, apenas a noção do unitário (significando também “pequeno”) e de muito. Sua cultura e seu modo de vida, como caçadores e coletores, não exige conhecimento de numerais (um trabalho recente de Everett indica que a língua não trata nem mesmo de “um” e “dois”; não usam números, mas quantidades relativas);
•Não há palavras para definir cores, exceto “claro” e “escuro”, embora isso seja discutido entre diversos autores;
•Tudo é falado no presente, não há o tempo futuro, nem o passado. Trata-se de um povo, portanto, sem mitos da criação;
•Não tem termos que identifiquem parentesco, descendência. A palavra para Pai e Mãe é uma única;
•Os pronomes pessoais parecem ter-se originado na língua nheengatu, uma língua franca de origem tupi.

Daniel Everett: sete anos entre os Pirarrãs

Entre as coisas que separam os homens dos outros animais, estão as sutilezas da linguagem. Os animais até são capazes de transmitir mensagens simples – em geral relacionadas à comida, sexo ou disputa de território –, porém não conseguem encaixar uma mensagem dentro de outra.
Por exemplo, um golfinho treinado pode transmitir a mensagem “A bola está na piscina” ou “Pegue a bola”, mas não é capaz de juntar as duas expressões dizendo “pegue a bola que está na piscina”. Esse é um atributo exclusivamente humano que os linguistas chamam de recursividade – que, salvo casos de deficiência mental, é considerado um denominador comum a todos os indivíduos da nossa espécie.
O que aconteceria se um grupo humano não dominasse isso? Essas pessoas seriam menos humanas que outras?
O pesquisador americano Daniel Everett chegou à tribo na década de 1970 como um missionário cristão com a missão de converter os índios. Nunca conseguiu. Everett fazia parte de uma organização internacional que espalha a palavra de Deus por meio da tradução da Bíblia para línguas sem escrita. Mas foi a falta da tal recursividade que ele identificou nos indígenas que o pôs em conflito com seus colegas linguistas.
Ele diz que os índios não são recursivos pelo que chamou de “Princípio da Experiência Imediata”. O nome é mais complicado do que a coisa em si: os pirarrãs só vivem e falam do aqui-agora. Fazem apenas sentenças relacionadas ao momento em que estão falando, aos fatos vistos por eles. “As sentenças dos pirarrãs contêm somente situações vividas pelo falante ou testemunhadas por alguém vivo durante a vida do falante”, define Everett em um de seus artigos. Por isso eles têm problema com as abstrações e tudo o que resulta delas: cores, números, mitos, ficção e a bendita recursividade. Também é isso que faz com que os pirarrãs, ao contrário de todas as outras comunidades linguísticas já estudadas, não aprendam a contar em outro idioma. “Eles não querem saber de nada que esteja fora do seu mundo”, afirma Everett.
Outros linguistas rebatem: “A contagem ‘1, 2, bastante’, por exemplo, é típica de vários outros indígenas”, afirma Maria Filomena Sândalo, linguista da UNICAMP (Campinas, Brasil) que fez sua dissertação de mestrado sobre a tribo. “Isso não quer dizer que eles não reconheçam quantidades. Eles simplesmente fazem recortes diferentes da realidade, como qualquer outra língua”.
A professora argumenta que, enquanto esteve com os pirarrãs, encontrou uma linguagem tão complexa e recursiva como qualquer outra. Ela interessou-se pela questão pirarrã e, junto com dois outros pesquisadores do Instituto de Tecnologia de Massachusetts (EUA) e da Universidade Harvard (EUA), analisou os dados colhidos por Everett. Em 2007, o grupo publicou um artigo concluindo que a língua é normal. “Ela não é inexplicável ou especial. É tão interessante quanto uma língua de qualquer outro lugar do mundo. Não tem essa história de experiência imediata ou falta de recursividade”, diz a professora.
O linguista e filósofo estadunidense Avram Noam Chomsky, um dos maiores ícones dessa ciência, argumenta que os pirarrãs não são um “contra-exemplo” à gramática universal (termo usado no último século para a teoria do componente genético que habilita os humanos a se comunicar). Como os pirarrãs não são diferentes geneticamente do resto da humanidade, não há nada de extraordinário aí.
Cultura e crença
Os pirarrãs concebem o tempo como uma alternância entre duas estações bem marcadas, definidas pela quantidade de água que cada uma possui: piaiisi (época da seca) e piaisai (época da chuva). O modo de vida é simples, baseado em caça, coleta e pesca, sem traços de prática agrícola.
Outra questão curiosa dos Pirarrãs é a ausência de uma ideia criacionista, algo literalmente único entre povos de cultura primitiva. Eles não acreditam em nada que não possa ser provado, visto ou sentido. Logo, não possuem quaisquer deidades ou mitos de criação, e para eles o céu e a terra sempre existiram. No entanto, acreditam em espíritos menores na forma de coisas no ambiente, segundo experiência pessoal de alguns, e tem uma ideia de cosmologia baseada em camadas existenciais, sendo eles corpos em uma delas (hiaitsiihi).


NAVEGAÇÃO AVIÁRIA

Andorinhas viajam entre a Europa e a África. Pássaros do gênero oenanthe voam da África ao Alasca e retornam. Andorinhas-do-mar do Ártico vão de um canto do planeta ao outro todos os anos. E eles são capazes de fazê-lo, pelo menos em parte, porque contam com um sentido magnético ao quais os humanos não têm acesso.
O truque de navegação aviário mais familiar é aquele usado por pombos-correio. Como consequência, os pombos costumam estar na ponta de investigações a respeito de como a navegação aviária em geral, e o sentido magnético em particular, realmente funciona.
Eles enxergam, escutam, sentem o cheiro? Há duas teorias. Uma é que os sensores magnéticos são grãos de magnetita, uma forma de óxido de ferro que, como o nome sugere, é facilmente magnetizável. A outra é que o campo magnético da Terra afeta uma reação química em particular na retina de um modo que alcança as complexas profundezas.
         É possível, é claro, que ambas as hipóteses estejam corretas, o que faria com que os pássaros tivessem dois sentidos magnéticos, sendo que um talvez se concentrasse na detecção do norte e outro na medição da altitude. Mas há algo particularmente poético com a ideia de que mesmo parte desse misterioso sexto sentido depende de um efeito quântico ainda mais misterioso – um que Einstein em si descreveu como uma “assustadora ação à distância”.

Bisturi que identifica tecidos com câncer



Cientistas britânicos criaram um bisturi elétrico inteligente capaz de identificar, em apenas três segundos, se um tecido do corpo humano tem câncer.
O bisturi é conectado a um equipamento que absorve a fumaça que sai do tecido quando ele é cortado. Em seguida, as substâncias químicas presentes na amostra do tecido são analisadas.
Esse tipo de diagnóstico é feito atualmente por meio de exames laboratoriais. O resultado leva pelo menos meia hora. O desenvolvimento do bisturi inteligente garante mais rapidez e eficiência a esse tipo de procedimento médico.

Os cientistas analisaram ao todo 302 tecidos e também realizaram testes em 91 pacientes na sala de cirurgia, com índice de 100% de acerto. A expectativa é de que essa nova tecnologia possa ser usada pelos médicos para identificar, além do câncer, outros problemas, como infecções.

sábado, 20 de julho de 2013

Novo uniforme do Santa Cruz une história, tradição e tecnologia



Santa Cruz entrará em campo com um novo uniforme na partida contra o Baraúnas, dia 28 deste mês, no Arruda. Depois de lançar seu terceiro uniforme nesta sexta-feira, um padrão retrô em um evento da marca esportiva que fornece o material do Tricolor, em São Paulo, o departamento de marketing e a diretoria do clube anunciaram que o time entrará em campo com a nova camisa pela sexta rodada da Série C.
De acordo com o diretor de futebol do Santa Cruz, Constantino Júnior, a ideia de fabricar um padrão retrô para o time partiu da própria fornecedora de materiais, que repetiu o feito com mais seis clubes brasileiros. A camisa do Tricolor foi desenvolvida sob o lema "vitórias de hoje nos lembram vitórias do passado", um trecho de um frevo que homenageia o clube.
- Existiu esse projeto de raízes do futebol da fornecedora e eles fizeram as camisas para remeter ao passado, à história do clube. A priori não vamos fazer nenhuma homenagem com esse padrão, até porque estamos guardando nossas homenagens para o centenário do clube (em 2014) - explicou Constantino.
Segundo o diretor, as novas camisas têm previsão de estarem nas prateleiras da loja da sede do clube ainda nesta sexta-feira.
- As camisas estarão não só na nossa loja do clube, mas também em outros estabelecimentos. O preço gira em torno dos R$ 189.
O resultado do novo padrão coral agradou à cúpula do clube.
- Ficamos muito satisfeitos, até porque une a tradição com a modernidade. Você vê de longe e remete a uma camisa histórica, mas o material dela é daquele tecido leve e tecnológico que absorve o suor.

ECHELON ESPIONANDO O BRASIL



Circula entre graduados oficiais das Forças Armadas do Brasil documento sobre a existência de sistema de inteligência capaz de captar, filtrar, examinar e decodificar o tráfego de comunicações via satélite, microondas, celulares e fibra ótica em todo o planeta. Alegam ser questão de soberania nacional e nada podem fazer. Espinha dorsal da rede Echelon, comandada pelos EUA, são estações de escuta na Nova Zelândia, Austrália, Inglaterra e no Oceano Índico direcionadas para satélites Intelsat e Inmarsat.
Projeto Echelon surgiu durante a Guerra Fria, em 1948, e foi plenamente desenvolvido na década de 70 com o lançamento dos primeiros satélites destinados a comunicações.
Após a Guerra Fria, passou a ser utilizado para objetivos outros além de sua missão original, como as espionagens política e industrial em alcance mundial e antiterror.


Embrapa cria ‘super comida’ para combater a fome

Para combater a fome e a desnutrição, o Brasil está desenvolvendo uma espécie de “super comida”. Conhecidos como biofortificados, os alimentos estão sendo desenvolvidos com seus principais nutrientes potencializados.
Feijão com alto teor de ferro, batata doce com vitamina A concentrada, arroz com bastante zinco, entre outros alimentos, fazem parte do plano desenvolvido pela Embrapa para combater a desnutrição no país, especialmente entre a camada mais pobre da população.
“Não se trata de alimentos transgênicos, mas biofortificados. Queremos uma dieta balanceada. A técnica ataca a raiz do problema e é voltada para a população carente. É um método viável tanto financeiramente quanto cientificamente” , diz Marília Nutti, coordenadora do projeto.
A técnica consiste na seleção de sementes que apresentam as características desejadas de nutrientes. Não é utilizada a manipulação genética dos alimentos. As sementes biofortificadas são distribuídas para escolas públicas de várias cidades do país, por meio de pedidos que podem ser feito pelas prefeituras ou pelas próprias escolas.

Roupa de borracha que repele tubarões

Dois empresários australianos lançaram roupas de borracha que prometem repelir tubarões. São duas peças. Uma delas, azul e branca, deixa os mergulhadores menos visíveis a esses animais. A outra, para surfistas, possui listras brancas e pretas e leva o tubarão a acreditar que o usuário não é um alimento adequado.
As roupas de borracha foram desenvolvidas com base em uma minuciosa investigação sobre como os tubarões vêem suas presas.
O lançamento do projeto coincide com uma onda de ataques desses animais no Estado da Austrália Ocidental.
Os tubarões são comuns no litoral do país, mas ataques fatais são raros – em média, uma pessoa morre a cada ano por causa vítima desse tipo de ataque.
Porém, desde julho de 2012, o saldo de mortos já chega a cinco.
A pesquisa levou em conta novas descobertas científicas sobre as percepções de luz e o daltonismo dos tubarões. O objetivo do estudo era produzir uma roupa que pudesse camuflar o banhista dentro d’água.
Um dos empresários por trás das invenções, Craig Anderson, afirmou à agência de notícias AFP que a roupa "confunde" os sistemas visuais desses animais.
Shaun Collin, pesquisador da Universidade da Austrália Ocidental afirmou que o desenho branco e preto afasta os tubarões dos surfistas.
“Muitos animais são repelidos por padrões listrados que indicam que a presa potencial não deve ser comida".
O governo do Estado da Austrália Ocidental financiou testes com bonecos e tubarões-tigre no seu litoral.
Durante o experimento, os animais ignoraram os manequins vestidos com as roupas listradas, enquanto atacaram aqueles que usavam os tradicionais trajes pretos dos surfistas.
Outros testes ainda serão feitos no sul da Austrália e na África do Sul quando o verão começar, em dezembro.
Anderson disse acreditar que haverá "demanda substancial" do mundo inteiro por suas roupas.
"Todo mundo está procurando uma solução, gente do mundo inteiro fica nervosa só de entrar na água", acrescentou.
Mas para Ali Hood, diretora da Shark Trust, no Reino Unido, entidade que estuda os tubarões, "dizer que as pessoas estão em pânico de entrar na água é exagerado".
Segundo ela, houve um crescimento nos praticantes de esportes aquáticos sem que fosse registrado um aumento proporcional dos ataques de tubarões.
Hood acrescentou que a instituição dá as boas-vindas ao progresso atrelado ao desenvolvimento de produtos que afugentem esses animais de forma não agressiva, mas fez uma ressalva.
"Infelizmente, um grande número de fatalidades atribuídas aos tubarões ocorrem em circunstâncias totalmente evitáveis: os banhistas entram na água onde há aviso sobre a presença desses animais; surfam ao anoitecer ou de madrugada nas proximidades de recifes de corais e se aproximam demais de pescadores com iscas".

?Visita do Papa ao Brasil trará mais protestos¿

A América Latina é o lar de 40% de toda a população católica mundial. Logo, era de se esperar que o Papa Francisco, o primeiro Papa latino-americano da história, escolhesse o continente como destino para sua primeira viagem ao exterior como pontífice. Começando pelo Brasil, país com a maior população católica do mundo (cerca de 123 milhões).
Diferentemente de Bento XVI, que em sua visita ao país passou a maior parte do tempo reunido com bispos, Francisco terá uma agenda cheia. O Papa se encontrará com jovens, participará de um evento em Copacabana, visitará um hospital e também uma favela que antes era dominada pelo tráfico de drogas. É possível que o perfil humilde de Francisco desperte a empatia dos brasileiros, que estão realizando marchas de protesto contra a corrupção e por melhorias no serviço público.
Porém, assim como em todas as partes do mundo, a Igreja Católica do Brasil vem perdendo fiéis para a evangélica. O perfil transformador de Francisco pode agradar aqueles que esperam uma renovação da Igreja Católica, como Frei Betto, frade dominicano adepto da teologia da libertação. Mas, apesar da sua ênfase em justiça social ter laços com a teologia libertação, é pouco provável que o Papa Francisco aborde questões como o casamento gay e o aborto durante sua viagem ao Brasil.
As autoridades brasileiras estão preocupadas com a visita do Papa e temem que a atenção dada pela mídia ao evento sirva de oportunidade para mais protestos. Embora os políticos se deleitem com a atenção recebida pelo país durante os eventos, muitos contribuintes prefeririam que seu dinheiro fosse investido em questões mais urgentes, como saúde e educação.


Copa do Mundo no Brasil terá os ingressos mais baratos da história da competição

              
           A Fifa confirmou nesta sexta-feira, 19, os preços e os detalhes das vendas dos ingressos para a Copa do Mundo no Brasil, que será realizada entre os dias 12 de junho e 13 de julho de 2014.
De acordo com a Fifa, o ingresso mais barato custará R$ 30 (meia-entrada). Esse valor valerá para jogos da primeira fase da competição para estudantes, idosos e beneficiários do programa Bolsa Família. Quem não se enquadra nesse perfil pagará R$ 60.
Os valores anunciados pela Fifa confirmam a declaração do secretário-geral da entidade, Jérôme Valcke, de que os ingressos para a Copa no Brasil seriam os menores da história.
O ingresso mais caro custará R$ 1.980, referente à partida final do campeonato, que será realizada no Maracanã, no Rio de Janeiro. As vendas dos ingressos começam no dia 20 de agosto no site da Fifa.




quinta-feira, 18 de julho de 2013

Concurso público da Sudene

A Superintendência do Desenvolvimento do Nordeste (Sudene) começa a receber inscrições no concurso público que oferece 71 vagas, sendo 67 de nível superior e quatro vagas para cargos de nível médio/técnico. A seleção será composta por prova objetiva e discursiva, a serem aplicadas no Recife, no dia 15 de setembro, das 13h às 18h. Aos portadores de necessidades especiais será reservado o percentual de 5% do total de vagas ofertadas.
Quem possui curso superior poderá concorrer às vagas de analista nas áreas de administração, biblioteconomia, ciência da computação, ciências jurídicas, comunicação social, controle interno, recursos humanos e sociologia. Ainda há vagas para arquiteto, contador, economista, engenheiro, estatístico, geógrafo, geólogo e químico. Já as oportunidades de nível médio são para agente administrativo.
Quem desejar concorrer ao cargo de analista fará provas de língua portuguesa, raciocínio lógico, conhecimentos gerais e conhecimentos específicos, entre outras. Já os interessados no cargo de agente administrativo irão responder questões de português, lógica, noções de informática, legislação institucional e conhecimentos específicos.
As inscrições serão recebidas até 12 de agosto, através do site da Fundação Getúlio Vargas (FGV). As taxas de participação custam R$ 82,00 (nível superior) e R$ 72,00 (nível médio/técnico). O boleto bancário deverá ser pago até o dia 13 de agosto. Os salários variam de R$ 2.570,02 a R$ 5.081,18.

Para conter Instagram, app terá canais temáticos e outros recursos

Duas semanas depois de o Instagram lançar uma ferramenta de compartilhamento de vídeos de até 15 segundos, o aplicativo concorrente Vine ganhou uma nova versão, com mais ferramentas de troca e descoberta de conteúdo. Agora, o aplicativo, criado por uma empresa comprada pelo Twitter, terá 15 canais temáticos para os usuários publicarem seus vídeos de até 6 segundos, como comédia, música e natureza.

Também é possível criar canais próprios. Além disso, é possível ver quais usuários estão ganhando destaque na rede do app. Ainda há uma nova opção para que apenas usuários com a sua permissão possam ver seus vídeos. A atualização vale para iOS e Android.

quarta-feira, 17 de julho de 2013

Jornais brasileiros estão passando por dificuldades à medida que a classe média adere à mídia on-line



Em seus escritórios na marginal Tietê, a editora Abril, um enorme império editorial, exibe as suas 53 revistas em uma parede, mas essa coleção está prestes a encolher. Roberto Civita, o presidente da Abril, morreu em maio, o que pegou a empresa familiar com a guarda baixa. Em uma situação em que já enfrenta receitas decrescentes, no mês passado a Abril anunciou que demitiria um punhado de editores sênior e que fundiria suas dez divisões editoriais em apenas cinco. Analistas especulam que pelo menos dez revistas deficitárias e mil empregos possam vir a serem cortados nos próximos meses. “O prédio está tremendo”, afirmou um executivo de marketing.
A Abril não está sozinha. Em junho a Folha de São Paulo, o maior jornal do país, demitiu 24 funcionários, 6% do pessoal. O Estado de São Paulo também foi atingido. Em maio, após a morte de seu diretor, Ruy Mesquita, o jornal cortou 50 empregos. O Jornal da Tarde, que pertence ao mesmo grupo, e que enfrentou a ditadura militar que governou o país de 1964 a 1985, foi fechado no ano passado. Avalia-se que a crise tenha eliminado 280 empregos apenas em São Paulo neste ano. “Estamos no meio de uma tempestade”, afirma Jayme Sirotsky, ex-presidente da Associação Mundial de Jornais. “Todo mundo está tentando produzir conteúdo jornalístico de qualidade e ainda assim permanecer lucrativo em um ambiente hostil”.
Essas são agruras familiares. Convulsões demográficas, desaceleração econômica e a tecnologia estão comprometendo às editoras brasileiras. As editoras contavam que os 40 milhões de brasileiros que deixaram a pobreza na década passada gerariam uma nova onda de assinantes. Em vez disso, a nova classe média passou a acessar as notícias on-line: quase metade de todos os domicílios tem conexão à internet hoje em dia.


domingo, 14 de julho de 2013

EUA espionaram milhões de e-mails e ligações de brasileiros



Na última década, pessoas residentes ou em trânsito no Brasil, assim como empresas instaladas no país, se tornaram alvos de espionagem da Agência de Segurança Nacional dos Estados Unidos (National Security Agency - NSA, na sigla em inglês). Não há números precisos, mas em janeiro passado o Brasil ficou pouco atrás dos Estados Unidos, que teve 2,3 bilhões de telefonemas e mensagens espionados.
É o que demonstram documentos aos quais O GLOBO teve acesso. Eles foram coletados por Edward Joseph Snowden, técnico em redes de computação que nos últimos quatro anos trabalhou em programas da NSA entre cerca de 54 mil funcionários de empresas privadas subcontratadas - como a Booz Allen Hamilton e a Dell Corporation.
No mês passado, esse americano da Carolina do Norte decidiu delatar as operações de vigilância de comunicações realizadas pela NSA dentro e fora dos Estados Unidos. Snowden se tornou responsável por um dos maiores vazamentos de segredos da História americana, que abalou a credibilidade do governo Barack Obama.
Os documentos da NSA são eloquentes. O Brasil, com extensas redes públicas e privadas digitalizadas, operadas por grandes companhias de telecomunicações e de internet, aparece destacado em mapas da agência americana como alvo prioritário no tráfego de telefonia e dados (origem e destino), ao lado de nações como China, Rússia, Irã e Paquistão. É incerto o número de pessoas e empresas espionadas no Brasil. Mas há evidências de que o volume de dados capturados pelo sistema de filtragem nas redes locais de telefonia e internet é constante e em grande escala.
Criada há 61 anos, na Guerra Fria, a NSA tem como tarefa espionar comunicações de outros países, decifrando códigos governamentais. Dedica-se, também, a desenvolver sistemas de criptografia para o governo.
A agência passou por transformações na era George W. Bush, sobretudo depois dos ataques terroristas em Nova York e Washington, em setembro de 2001. Tornou-se líder em tecnologia de Inteligência aplicada em radares e satélites para coleta de dados em sistemas de telecomunicações, na internet pública e em redes digitais privadas.

O governo Obama optou por reforçá-la. Multiplicou-lhe o orçamento, que é secreto como os de outras 14 agências americanas de espionagem. Juntas, elas gastaram US$ 75 bilhões no ano passado, estima a Federação dos Cientistas Americanos, organização não governamental especializada em assuntos de segurança.

quarta-feira, 10 de julho de 2013

Nanorrobôs é o futuro das cirurgias de risco

  
Pesquisadores do Institute of Robotics and Intelligent Systems de Zurique, na Suíça, estão próximos do desenvolvimento de um novo integrante das salas cirúrgicas do futuro: nanorrobôs mais precisos e menos invasivos que qualquer instrumento médico.
A ideia é utilizar esses pequenos médicos, que têm uma agulha retrátil e a espessura de quatro fios de cabelo, para procedimentos específicos em áreas de difícil acesso, como aplicação de remédios ou descascamento de superfícies. Até agora, apenas o olho foi escolhido para ser o objeto de exploração dos primeiros testes dos robôs com humanos.
Como é muito pequeno, entretanto, ele não teria espaço para uma bateria ou qualquer outra fonte de energia – e a solução encontrada para superar esse obstáculo é bastante simples e criativa. Trata-se do OctoMag, um sistema que usa vários eletroímãs colocados ao redor do paciente para controlar o robô. Quer movê-lo para algum lado? Basta aumentar ou diminuir a força desse equipamento em uma das laterais.
Por enquanto, não há previsão para que o OctoMag saia do campo das pesquisas.


NASA tenta proteger a Terra dos impactos de asteroides

  
Em 24 de junho a NASA, a agência espacial americana, anunciou que havia descoberto o 10.000º “Objeto Perto da Terra” (NEO, na sigla em inglês), o nome deveras técnico dado a asteróides e cometas que orbitam o Sol nas proximidades da Terra e podem vir, portanto, a se chocar contra o planeta em algum momento. Dez mil objetos potencialmente perigosos soam como uma quantidade grande, mas a NASA acredita que é possível que haja dez vezes esse número ainda esperando para serem descobertos.
Uma semana antes, em 18 de junho, a agência lançou um “Grande Desafio” destinado a angariar e coordenar ajuda do setor, da academia e de quem quer que esteja interessado em um projeto que visa detectar qualquer asteróide que possa ameaçar a Terra. A agência também tem planos de ressuscitar um mofado telescópio espacial chamado de Wide-field Infrared Survey Explorer para auxiliar na caçada. E Lori Garver, o responsável pela administração da agência, pediu que o orçamento de um programa para encontrar 90% dos NEOs com um diâmetro superior a 140 metros (cujo impacto poderia devastar um país pequeno) seja dobrado. Até agora a NASA acredita ter encontrado um quarto desses objetos, mas finalizar a missão com o atual ritmo de descobertas levará décadas.
A razão para toda essa atividade são os eventos ocorridos em 15 de fevereiro, quando um asteróide de meros 15-20 metros de extensão explodiu com a força de uma bomba atômica de médio porte sobre Chelyabinsk, na Rússia, e outro, muito maior, passou de raspão pela Terra algumas horas depois. O que até então era tido como algo pertencente a livros de ficção científica subitamente se tornou um perigo claro e iminente – mas um que, diferentemente de terremotos, erupções vulcânicas, ondas gigantes e furacões, podem ser evitados pela ação humana.?


Facebook: busca a partir de conteúdos compartilhados




O Graph Search, novo sistema de busca social do Facebook, começa a funcionar nesta segunda, 8, para usuários dos Estados Unidos e para quem acessa a versão em inglês do site. Ainda não há previsão de quando o recurso estará disponível em outros países.
O recurso, que foi apresentado em janeiro deste ano, deixará mais fácil o acesso a informações no perfil dos amigos e dos contatos em geral. O sistema mostra resultados baseados nos interesses dos usuários. Músicas, lugares, fotos e páginas que foram curtidas pelo usuário entram na busca e se tornam um meio para ter mais contatos e interações, segundo o presidente e fundador do Facebook, Mark Zuckerberg. Ele disse ainda, que cogitou trabalhar com o Google, mas a Microsoft demonstrou maior disposição em fazer coisas específicas para a rede, por isso a busca social usa o motor do Bing.
A ferramenta traz uma nova barra de buscas na parte superior do site. Desde seu anúncio, no início de 2013, alguns usuários selecionados já puderam experimentar o recurso. Entretanto, as regras ainda não são claras. Dados pessoais e algumas informações que os usuários imaginavam ser privadas podem ser acessados por outras pessoas. A rede social ainda trabalha para explicar e definir quais dados pode entrar na busca social.
A grande diferença do Graph Search para a busca na web é que invés de usar palavras-chave, a busca social combina frases de conteúdos compartilhados no Facebook para fazer a pesquisa. Nesta primeira fase, a busca se concentra em pessoas, fotos, locais e interesses. Num segundo momento também será possível buscar em posts, comentários e ações.



terça-feira, 9 de julho de 2013

Centrais sindicais farão greve geral no dia 11 de julho

  
A União Geral dos Trabalhadores (UGT) vai realizar Dia Nacional de Luta com Greves e Mobilização. A data está marcada: para o próximo dia (11/07) numa ação conjunta com as centrais sindicais CGTB (Central Geral dos Trabalhadores do Brasil), CSB (Central dos Sindicatos Brasileiros), CTB (Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil), CUT (Central Única dos Trabalhadores), CSP-Conlutas (Central Sindical e Popular), Força Sindical e NCST e os movimentos sociais (MST – Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra).
As centrais sindicais definiram a seguinte pauta de reivindicações:
- Contra a PL 4.330, que institucionaliza as terceirizações
- Fim do fator previdenciário
- 10% do orçamento da União para o SUS (Sistema Único de Saúde)
- 10% do PIB para a educação pública
- Jornada de 40 horas semanais, sem redução dos salários.
- Transporte público de qualidade
- tarifa zero
- Auditoria nas grandes obras públicas
- Reforma Agrária
- suspensão dos leilões de petróleo.


sábado, 6 de julho de 2013

Campanha eleitoral liberada na internet


A minirreforma eleitoral do grupo de trabalho presidido pelo deputado Cândido Vaccarezza (PT-SP) prevê uma bondade para os políticos. O texto inclui dois parágrafos ao Artigo 57-A da Lei 9.504 de 97, a Lei dos Partidos, e libera ‘a qualquer tempo a manifestação político-eleitoral individual na internet, com ou sem pedido de voto’.
O pacote pode entrar em pauta na Câmara na terça. Se o texto passar no Congresso e a presidente aceitar, a campanha na rede começa no dia seguinte à sanção da lei.


 
BLOG DO ANDRÉ CAFÉ
SÓ JESUS SALVA
//