Redes Social



twitterfacebookgoogle pluslinkedinrss feedemailhttps://www.wowapp.com/w/andrecafe/joinhttps://www.instagram.com/andrecafee/

domingo, 31 de março de 2013

CATÓLICOS NA ÁFRICA


A Igreja Católica teve uma ascensão rápida na África. De acordo com o Vaticano, a África tem 186 milhões de católicos, 16% do rebanho global, um aumento de mais de seis vezes no último meio século.
A vitalidade da Igreja africana é marcada não apenas pelo seu tamanho, mas também pela devoção de seus fiéis. “O africano é incuravelmente religioso”, afirma o arcebispo de Accra, Charles Palmer-Buckle. Uma pesquisa de 2010 do Centro de Pesquisa Pew em Washington ranqueia a África subsaariana como a região mais religiosa do mundo. Embora a cristandade tenha substituído as religiões africanas tradicionais, os cultos de rituais animistas antigos foram passados adiante.
As profundas raízes do catolicismo no continente são menos conhecidas. O norte da África gerou pelo menos três papas. Os colonizadores portugueses do que hoje é Gana apresentaram a fé à África oriental há mais de 500 anos. Há muito tempo a Igreja mantém uma rede de colégios e clínicas.
Embora viceje na África, a Igreja também está envolvida em polêmicas. Até que ponto os líderes eclesiásticos estão dispostos a alterar os rituais para agradar aos gostos locais? A Igreja africana deveria pleitear ainda mais autonomia em relação a Roma para avançar seu próprio programa? Há uma forte competição dos evangélicos, sobretudo entre os jovens.
Fonte - opinião

Carro dobrável: fim dos congestionamentos


Um projeto de uma empresa espanhola em parceria com o Instituto de Tecnologia de Massachusetts (MIT, na sigla em inglês) promete revolucionar o trânsito nos grandes centros urbanos.
A empresa desenvolveu um carro elétrico dobrável que reduz o tráfego e de quebra ajuda a diminuir as emissões de carbono. Quando dobrado, o carro elétrico ocupa um terço do espaço que um carro normal. Ou seja, em uma vaga onde caberia um automóvel convencional, cabem três carros dobráveis.
A empresa diz que o objetivo não é vender os carros dobráveis, mas sim estimular a população a alugá-los. O usuário pegaria o carro em um ponto e o deixaria no destino. “É como um táxi, só que dirigido pelo passageiro”, diz o dono da empresa. A ideia é conectar o carro dobrável à rede de transportes coletivos.
O projeto segue uma tendência que vem se tornando comum nas grandes cidades: o esquema de uso coletivo de carros. Segundo alguns especialistas, o mundo vem se conscientizando de que o sistema de transporte deve passar por uma reestruturação e que possuir um carro particular pode acabar gerando mais custos do que benefícios.

Entenda porque a Páscoa cai em dias diferentes a cada ano



A Páscoa é um feriado determinante para o ano letivo escolar e a data dos feriados. Este ano ela cairá no dia 31 de março para os cristãos ocidentais, e no dia 5 de maio para os orientais. Dependendo do hemisfério, ela pode variar de data em até um mês de diferença. Mas por que a data da Páscoa varia tanto?
De acordo com a bíblia, Jesus teve a última ceia com seus discípulos na noite da Páscoa judaica, foi morto no dia seguinte (sexta-feira santa) e ressuscitou no domingo, quando se comemora a Páscoa cristã. O início da Páscoa judaica é determinado pela primeira lua cheia do equinócio da primavera, que pode acontecer em qualquer semana.
Para assegurar que a Páscoa caia no domingo, o Conselho de Nicéia, realizado em 325 DC, determinou que a Páscoa deveria ser celebrada no primeiro domingo de lua cheia do equinócio de primavera. Mas há um problema: se a primeira lua cheia cair em um domingo, a Páscoa judaica será celebrada uma semana antes da Páscoa. Para confundir ainda mais, o Conselho de Nicéia estabeleceu que a data do equinócio de primavera seria 21 de março, dia em que ocorreu o conselho, e introduziu uma tabela para definir a data das luas cheias que não está alinhada com a dos dias atuais.
A data mais cedo para comemorar a Páscoa ocorre quando a primeira lua cheia do equinócio cai no dia 21 de março, em um ano em que esta data cai em um sábado. Assim, a Páscoa é celebrada no domingo, 22 de março. Já a data mais tardia para a comemoração da Páscoa acontece quando a primeira lua cheia cai no dia 20 de março. Assim, a primeira lua cheia após 21 e março só aparecerá 29 dias depois, em 18 de abril. Caso 18 de abril caia em um domingo, a Páscoa é celebrada em 25 de abril.
A diferença da data em que a Páscoa é comemorada no Ocidente e no Oriente, se deve ao fato de que o Oriente utiliza o calendário juliano, que está 13 dias atrás do calendário gregoriano, utilizado pelos ocidentais. Várias propostas já foram consideradas para mudar a forma como a data da páscoa é calculada, mas até que haja um consenso, a data continuará variando em um espaço de cinco semanas.

Aparelho subcutâneo de apenas14 milímetros analisa sangue e envia resultado via bluetooth


Cientistas da Escola Politécnica Federal de Lausanne, Suíça, desenvolveram um minúsculo dispositivo subcutâneo capaz de analisar o sangue e enviar os resultados diretamente para o médico via celular.
O protótipo, de apenas 14 milímetros, é capaz de coletar cinco substâncias diferentes no sangue e pode ser inserido sob a pele por meio de uma seringa em locais como abdômen, pernas ou braços. Após coletar as informações, o protótipo envia os dados para o médico por meio da tecnologia bluetooth. Segundo os cientistas, é possível manter o dispositivo sob a pele por meses, antes de removê-lo ou substituí-lo.
Sandro Carrara, cientista que liderou a pesquisa, e sua equipe afirmam que o dispositivo será de grande ajuda para monitorar pacientes com diabetes ou colesterol alto. Além disso, o protótipo também pode ser usado para analisar o impacto de tratamentos como quimioterapia.
“Vai permitir o monitoramento direto e contínuo baseado na intolerância individual de cada paciente, e não em tabelas de idade e peso, ou exames de sangue semanais”, diz Giovanni de Micheli, professor que participou da pesquisa.
Até o momento, os cientistas testaram o protótipo em laboratório e animais. Os testes mostraram que o aparelho pode detectar de forma confiável os níveis de colesterol e glicose no sangue, além de outras substâncias que os médicos costumam tentar encontrar em exames.
A expectativa é que dentro de quatro anos o dispositivo esteja disponível para o público. Os resultados da pesquisa serão apresentados na conferência sobre eletrônicos Design, Automação e Teste na Europa (Date).

Depois do 3D, vem aí o 4K


Um novo padrão de televisão chamado Ultra HD tem uma definição quatro vezes maior que as melhores TVs de HD de hoje em dia, mas gerar conteúdo para esse novo formato apresenta desafios técnicos extremos. E, de todo modo, alguém precisa de mais definição?
Agora que o interesse por televisões 3D amainou, as empresas de eletrônicos estão ansiosas para encontrar outro produto arrasa-quarteirão que fará o consumidor gastar suas economias. O avanço que a maioria delas acredita que poderá realizar essa façanha é uma tecnologia de exibição conhecida como Ultra Alta Definição, que oferece quatro vezes a resolução dos mais avançados aparelhos de TV HD “1080p” de hoje em dia. Sem dúvida, o Ultra HD gera imagens impressionantes – ao menos quando o conteúdo foi gerado no novo formato de vídeo 4K.
Infelizmente, apenas um punhado de longas-metragens (que incluem “O Incrível Homem Aranha”, “Promotheus” e “O Hobbit”) foi filmado em câmeras capazes de registrar imagens em 4K.
O 4K terá o mesmo destino do 3D? Ainda é cedo para dizer. Mas a televisão 4K – muito mais do que o cinema 4K – enfrentará grandes obstáculos. Assim como a televisão 3D, o novo formato de televisão 4K é pautado por Hollywood. O formato digital de widescreen existente usado em cinemas tem 1.998 pixels de largura e 1.080 pixels de altura. O padrão de filme 4K tem o dobro dessa definição, tanto horizontal, quanto verticalmente – isto é, 3.996 pixels para as laterais e 2.160 para a dimensão vertical, o que lhe dá, ao todo, uma definição quatro vezes maior.
A título de comparação, o formato 4K usado em televisores é um pouco mais estreito, com 3.840 pixels na horizontal e 2.160 pixels na vertical. A largura da tela foi reduzida para manter a razão 16:9 da HDTV, com sua relação de 1.920 por 1.080 pixels. Isso faz com que seja possível exibir conteúdo de vídeo já existente que foi “promovido” para o formato Ultra HD sem a necessidade de faixas pretas nas extremidades da tela.
No entanto, quem precisa realmente de uma televisão 4K? Mesmo a resolução de um aparelho HDTV com 1.080 linhas escaneadas progressivamente (isto é, de cima a baixo continuamente) é desperdiçada para a grande maioria dos usuários, que costuma sentar longe demais da televisão para conseguir notar todos os detalhes que a tela exibe.
Fonte-opinião

JESUS RESSUSCITOU!


O evangelho deste domingo inicia-se com as palavras "no primeiro dia da semana". Isso exprime a nova realidade que começa com a ressurreição de Jesus, a nova criação que principia. A Páscoa é o começo de um novo tempo, a passagem de um modo de viver para outro melhor; é sair da situação de pecado e escravidão até chegar à terra da promessa, onde a vida floresce. No evangelho de hoje, os verbos de movimento — ir, correr, sair, entrar — dão justamente essa ideia. A vida nova que brota da ressurreição não sobrevém de forma mágica, mas é algo que buscamos e queremos construir, iluminados e fortalecidos pela luz do Ressuscitado.
Sabemos que custa muito viver como "ressuscitados", aceitar converter-nos em novas criaturas. Maria Madalena madrugou, correu e atingiu o objetivo. Ao anunciar a boa-nova, produziu dinamismo em Pedro e no "outro discípulo". Ela também é símbolo da nova comunidade que ainda não acredita muito, mas não se acomoda diante das dúvidas e incertezas e por isso vai em busca de esclarecimento e solução.
Os poderes da morte tentam sufocar a vida, matando seu defensor, mas a vida venceu a morte, enchendo de alegria e esperança a comunidade cristã. Apesar disso, a morte contínua agindo até que "tudo seja cumprido". O pecado acompanha a humanidade no decorrer da história.
Por outro lado, quem crê na ressurreição, quem procura remover a pedra que esconde os sinais da ressurreição e se dispõe a acreditar no "horizonte do aparentemente impossível", torna-se agente de mobilização, rechaçando a realidade desumanizadora e promovendo um mundo melhor para todos.
 A ressurreição de Jesus mostra a vida ressurgindo como valor supremo e universal, superando todas as barreiras que a limitam e mutilam. Cristo, com a ressurreição, entrega-nos um mundo novo e nos recomenda não retornar ao passado, mas cortar os vínculos com o velho mundo de egoísmo, divisões e intolerância.

quarta-feira, 27 de março de 2013

Novo Golpe no Facebook


Links maliciosos circularam no Facebook durante o final de semana dos dias 23 e 24 de março por meio de um "evento" e mensagens particulares em massa, que levavam internautas para páginas que solicitavam a instalação de um software extra para poder exibir o conteúdo. Se o internauta aceitasse a solicitação, o programa instalado era na verdade uma praga digital brasileira. Os alertas para os ataques foram divulgados pelo site de segurança "Linha Defensiva".

Uma das mensagens se disseminava apenas como "Meu Deus!! Como alguém tem coragem fazer isso???", seguido de um link. O texto era enviado em massa por meio de mensagens particulares (caixa de entrada). O Facebook bloqueou o link, e agora as mensagens não mais aparecem nas conversas, ou então aparecem marcadas como spam.
Em outra fraude, um "evento" chamado "saiba quem visitou seu perfil no Facebook" foi criado. O evento traz um link que, se clicado, também leva para uma praga digital brasileira. Segundo estatísticas do Bitly, serviço de encurtamento usado pelo link, 1.700 internautas clicaram no link. No Facebook, 25 mil pessoas foram convidadas para o evento falso. O evento foi removido nesta terça-feira (26).
Entre os códigos instalados pelas pragas estão extensões para navegadores web que se encarregam de disseminar as mensagens com vírus.


Obesidade: R$ 116 milhões


Na última semana, foi divulgado que o Sistema Único de Saúde (SUS) chega a gastar R$ 116 milhões com uma doença que nos últimos anos alcança mais vítimas: a obesidade. A pesquisa é da Universidade de Brasília (UnB) que analisou os atendimentos na média e alta complexidade e também os tratamentos feitos na rede pública por causa da obesidade e de outras doenças relacionadas a ela.
No sentido de aperfeiçoar o tratamento de pessoas obesas, o Ministério da Saúde lançou a Linha de Cuidados Prioritários do Sobrepeso e da Obesidade no SUS. Por meio das Portarias 424 e 425/2013, está prevista a prevenção feita pela Atenção Básica – com atendimento psicológico - e novas regras para procedimentos cirúrgicos e pós-cirúrgicos – o SUS dará cobertura para mais uma cirurgia plástica reconstrutiva, serão agora cinco tipos de cirurgias.

Na nova Portaria há a redução da idade mínima (de 18 para 16 anos) e máxima para cirurgias. A avaliação clínica é que vai determinar se o paciente pode ou não se submeter à cirurgia. A portaria também prevê incremento no valor pago em cinco exames ambulatoriais pré-operatórios; o reajuste médio em 20% das técnicas de cirurgia bariátrica na tabela do SUS; e o incremento financeiro, o SUS passa a autorizar a realização da técnica Gastrectomia Vertical em Manga (Sleeve) - agora estão autorizadas quatros técnicas de cirurgia bariátrica.
A obesidade é uma doença causada por altos índices de gorduras e açucares no sangue. Para evitá-la, é preciso incentivar a população a fazer atividades físicas, principalmente nas escolas.
A Confederação Nacional de Municípios (CNM) alerta os gestores para a importância do tema, tendo em vista que atualmente, o perfil epidemiológico é o de morte por doenças crônicas não transmissíveis.
O excesso de peso favorece a morte por outras doenças crônicas como problemas cardíacos, diabetes, entre outras. Prevenir e educar a população para que tenha bons hábitos alimentares e fomentar a atividade física deve ser pauta da agenda de saúde dos Municípios.

sábado, 23 de março de 2013

Estudo liga 180.000 mortes que ocorreram em 2010 ao consumo de bebidas açucaradas


Pesquisadores da Universidade Harvard, nos Estados Unidos, concluíram que o consumo de refrigerantes e outras bebidas industrializadas que contêm adição de açúcar está ligado a 180.000 mortes no mundo em 2010, sendo que a maior parte desses óbitos aconteceu em países de baixa ou média renda.
Esses achados foram apresentados nesta terça-feira em Nova Orleans, durante um encontro da Associação Americana do Coração.
Segundo Gitanjali Singh, coordenadora do estudo que levou a essas conclusões, esses dados são surpreendentes, já que “muitas vezes nós associamos o problema do consumo exagerado de refrigerantes somente a países mais ricos”, disse.
Para ela, sua pesquisa reforça a necessidade de políticas públicas que busquem reduzir o consumo de bebidas industrializadas açucaradas.
 Em Nova York, por exemplo, foi aprovada uma medida que proibiria a venda de bebidas como refrigerantes, chás e energéticos em embalagens acima de 470 mililitros em lojas, bares, cinemas e casas de shows. Porém, antes de entrar em vigor, a decisão foi derrubada por um juiz da Suprema Corte, que considerou a lei arbitrária, já que a proibição valeria apenas para algumas bebidas.
Durante a apresentação de seu estudo, Singh afirmou, porém, que o fato de milhares de mortes estarem associadas ao consumo de bebidas industrializadas açucaradas não significa que os produtos provoquem diretamente esses óbitos. O que existe é uma relação entre o hábito e uma maior prevalência de mortes causadas por doenças como as cardíacas, o diabetes e alguns tipos de câncer. Ou seja, o consumo desses produtos pode vir junto com outros fatores que elevam o risco desses problemas.
Mesmo assim, Singh acredita que é possível estimar o número de mortes ligadas às bebidas.
A pesquisa da Harvard levou em consideração levantamentos nutricionais feitos ao redor do mundo e também as características de consumo de refrigerantes e outras bebidas açucaradas em vários países.
Os autores concluíram que, em 2010, 180.000 mortes no mundo são atribuíveis ao consumo dessas bebidas, sendo que 130.000 foram causadas pelo diabetes, 45.000 por doenças cardíacas e 4.600 por diferentes tipos de câncer.
Outro lado — Em nota, a Associação Americana de Bebidas (ABA, sigla em inglês) considerou que o estudo "é mais sensacionalista do que científico". "De maneira alguma a pesquisa mostra que consumir bebidas açucaradas provoca doenças como as cardiovasculares, diabetes ou câncer, que foram as verdadeiras causas das mortes dos participantes do estudo. Os pesquisadores deram um grande salto quando eles fizeram, de forma errada e ilógica, esse cálculo."

quinta-feira, 21 de março de 2013

Blog do André Café: TELEXFREE

Blog do André Café: TELEXFREE: Conheça a Telexfree e saiba como ganhar muito dinheiro Clik no link abaixo e veja a apresentação completa da empresa em poucos minut...

Pterossauro Brasileiro é o terceiro maior réptil voador


Paleontólogos do Museu Nacional da UFRJ (Universidade Federal do Rio de Janeiro) acabam de tornar o céu pré-histórico do Brasil um lugar bem menos seguro ao anunciar a descoberta de um réptil voador que, de uma ponta à outra das asas, pode ter medido 8,5 metros.
A criatura parece pertencer a uma espécie já conhecida de pterossauro, como são designados esses animais, mas nenhum bicho do grupo descoberto até hoje no Brasil chegou perto desse tamanho. Trata-se do terceiro maior pterossauro do planeta, sobrepujado apenas por duas outras espécies, uma norte-americana e outra europeia, que empatam com cerca de 10 m de envergadura.
Detalhes do achado, anunciado na manhã de ontem, estão em um artigo na revista "Anais da Academia Brasileira de Ciências".

Os pesquisadores analisaram fósseis de três indivíduos, todos da chapada do Araripe, região nordestina que é um dos locais do mundo mais ricos em vestígios de pterossauros, alguns excepcionalmente bem preservados, com tecidos moles, como músculos e vasos sanguíneos.
Do trio, o animal mais avantajado é o que teve mais material ósseo preservado: parte do crânio, vértebras, pelve e pedaços de ambas as asas. Segundo os pesquisadores, o bicho pertencia à espécie Tropeognathus mesembrinus. Provavelmente era um devorador de peixes, alimento abundante no ambiente costeiro que predominava no Araripe à época.
Alexander Kellner, paleontólogo que coordenou a pesquisa, destaca que o novo espécime contraria a ideia de que certos grupos de pterossauro não teriam o potencial evolutivo de alcançar dimensões gigantes, ou que esse gigantismo só apareceu pouco antes da queda de um meteorito que os fez desaparecer há 65 milhões de anos.
"De repente, você tem um animal de 110 milhões de anos que já chegava a esse tamanho", afirma Kellner. "As pessoas falavam em limite de envergadura para esse tipo de pterossauro, mas sempre pode aparecer um maior."
Como nenhum bicho voador moderno chega perto desses monstros em tamanho, há debate sobre como eles se mantinham no ar. Alguns os veem como planadores, sem vocação para o voo "real".
Para Kellner, embora as aves modernas com as maiores asas, os albatrozes, tenham envergadura de apenas 3,5 m, é possível fazer uma analogia entre eles e os megapterossauros. "Um albatroz pode ficar quilômetros sem bater as asas, mas, quando precisa, ele as bate."
A pesquisa teve apoio da Faperj, fundação estadual de amparo à pesquisa do Rio. Cientistas de universidades do Ceará e de Pernambuco também assinam o estudo.
As peças ficam em exposição no Museu Nacional, na Quinta da Boa Vista, no Rio, a partir de amanhã.


quarta-feira, 20 de março de 2013

Tráfico de pessoas: congresso quer lei mais rigorosa


Juristas e integrantes da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) do Tráfico de Pessoas, da Câmara dos Deputados, apontam uma legislação mais detalhada e rigorosa como a melhor forma de combater o tráfico de pessoas, principalmente a prostituição internacional. Em um mês, parlamentares apresentarão um relatório parcial com sugestões de mudanças legislativas. Eles querem ainda um maior envolvimento da Polícia Federal nas ações contra esse tipo de crime.
Letícia Peres Mourão, acabou morta em 2008, aos 31 anos, por ter denunciado o cafetão à polícia. Letícia era obrigada a fazer até 40 programas sexuais por dia, na Espanha.
Integrantes da comissão estiveram com o ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, há duas semanas, quando acertaram a entrega do relatório e pediram o reforço da PF. Além da exportação de brasileiros e brasileiras para a Europa, os membros da CPI se preocupam com a prostituição interna, em especial na área sob a influência das obras de construção da Usina Hidrelétrica de Belo Monte, no Rio Xingu, próximo a Altamira, no Pará.
Fonte - correio

terça-feira, 19 de março de 2013

Enem 2012: estudante escreve receita de miojo na redação e recebe nota 560


O que culinária tem a ver com movimentos imigratórios para o Brasil no século XXI, tema da redação da última edição do Exame Nacional de Ensino Médio (Enem)? À primeira vista, nada. No entanto, dois corretores da prova entenderam como “adequada” a abordagem temática por parte de um candidato que descreveu como preparar um Miojo no meio de seu texto. Enquanto estudantes tiraram nota 1000 cometendo erros como “trousse”, “enchergar” e “rasoavel”, como mostrou O GLOBO na segunda-feira, o candidato que agiu com deboche ficou com 560 pontos.
Nos dois primeiros parágrafos, o vestibulando chega a comentar a questão da imigração. Mas, no parágrafo seguinte, o candidato descreve o modo de preparo do macarrão instantâneo:
“Para não ficar muito cansativo, vou agora ensinar a fazer um belo miojo, ferva trezentos ml’s de água em uma panela, quando estiver fervendo, coloque o miojo, espere cozinhar por três minutos, retire o miojo do fogão, misture bem e sirva”.
Como se nada tivesse acontecido, o candidato retoma o tema da imigração no parágrafo seguinte e conclui que “uma boa solução para o problema o governo brasileiro já está fazendo, que é acolher os imigrantes e dar a eles uma boa oportunidade de melhorarem suas vidas”. Das 24 linhas da redação, quatro foram reservadas apenas para descrever o modo de preparo da massa.
Embora haja critérios para se tirar nota zero na redação no Guia do Participante, como a fuga total do tema e impropérios ou atos propositais de anulação, o vestibulando em questão tirou 560 em 1000.
O candidato recebeu 120/200 (60%) na competência 2 da correção, em que são avaliadas a compreensão da proposta da redação e a aplicação de conhecimentos para o desenvolvimento do tema. Pela nota, o Ministério da Educação (MEC) entende que o estudante abordou o tema de forma “adequada”, embora “previsível” e com “argumentos superficiais”. Na competência 3, na qual é avaliada a coerência dos argumentos, o candidato recebeu 100/200 (50%).
Em nota, o MEC afirmou que “a presença de uma receita no texto do participante foi detectada pelos corretores e considerada inoportuna e inadequada, provocando forte penalização especialmente nas competências 3 e 4”. O órgão entende que o aluno não fugiu do tema nem teve a intenção de anular a redação, pois não feriu os direitos humanos e não usou palavras ofensivas.
Entretanto, os critérios de avaliação das redações do Enem estão longe de serem consensuais. O GLOBO mostrou ontem que redações nota 1000 (máxima) da edição de 2012 continham erros graves de grafia e concordância. Para o coordenador de Língua Portuguesa e Redação do Colégio pH, Filipe Couto, os critérios de correção não são claros.
- O edital do Enem diz uma coisa e a banca faz outra. Para ele tirar 120 na competência 2, é como se não tivesse se desviado do tema e o abordasse adequadamente, mas não foi o que aconteceu - afirmou Couto.
Já para um dos coordenadores da banca de redação do Enem, que pediu para não ser identificado, não haveria como saber se o candidato colocou a receita para ganhar linhas, testar a correção ou debochar. No entanto, segundo ela, a orientação dada aos corretores é levar ao máximo em consideração a parte onde o aluno se atém ao tema, diminuindo a pontuação em outras competências se for o caso.
- Na parte em que ele escreveu sobre o tema, ele se saiu bem. A orientação é considerar o que for possível. Desse modo, ele conseguiu metade da nota - afirmou a corretora.
Mas o raciocínio não é tão claro para quem orienta candidatos do Enem nas salas de aula. De acordo com o professor de redação do curso Pensi e da Escola Modelar Cambaúba, Raphael Torres, o candidato cometeu erros graves ao usar a primeira pessoa do singular e verbos no imperativo. E concluiu:
- A partir do momento em que se escolhe falar de Miojo, o candidato quebra a estrutura dissertativa pedida no edital. Mas a banca não enxerga isso como impropério. Ela pega as próprias brechas que fez com o Guia do Participante para legitimar a nota que deu. Ele deveria tirar uma pontuação muito mais baixa do que 560 - argumentou.
Fonte - oglobo




GOOGLE PAGARÁ UMA MULTA DE 7 MILHÕES DE DÓLARES


O Google chegou nesta terça-feira (12) a um acordo com 38 dos 50 estados dos Estados Unidos, entre eles Nova York, pelo qual pagará uma multa de US$ 7 milhões por ter invadido a privacidade dos cidadãos na coleta de dados para o recurso Street View.
A empresa se comprometeu a proteger e destruir a informação reunida de forma incorreta entre 2008 e março de 2010, quando fez fotografias no país para elaborar seu serviço de mapeamento virtual, segundo detalhou a Procuradoria Geral do estado de Nova York.
Durante o processo, a gigante da tecnologia reuniu dados através de redes wi-fi não desprotegidas dos cidadãos e armazenou informação confidencial sem o consentimento dos usuários, como e-mails, mensagens de texto, senhas e históricos da internet.
Segundo o Google, as informações foram colhidas para seus serviços de geolocalização, sem saber que esses dados confidenciais também estavam sendo recolhidos.
Assim, o gigante da internet se comprometeu a que estes dados coletados em EUA, em outra partes do mundo também colheu dados similares, serão destruídos e não serão utilizados nem compartilhados com terceiros.
"Os consumidores têm direito a proteger sua informação pessoal, vital e financeira de uso indevido e indesejado de empresas como o Google", disse o procurador-geral de Nova York, Eric Schneiderman.
No acordo com 38 estados, o Google se comprometeu a iniciar um programa de formação sobre privacidade e confidencialidade para seus funcionários, e a lançar uma campanha para educar os consumidores na proteção de sua informação pessoal.
Essa campanha incluirá, por exemplo, a divulgação de um vídeo que ensinará os usuários a codificar suas redes sem fio para torná-las mais seguras.
Dos US$ 7 milhões que o Google pagará aos estados envolvidos, entre os quais também estão Califórnia, Washington, Texas e Colorado, Nova York receberá aproximadamente US$ 92 mil, segundo apontou Schneiderman.
O procurador-geral de Connecticut, George Jepsen, também afirmou em comunicado que a importância desse acordo vai além das condições financeiras já que "assegura que o Google não vai usar táticas semelhantes no futuro para coletar informação".

segunda-feira, 18 de março de 2013

Alcoolismo atinge mais de 5 milhões de pessoas no Brasil


 Histórico de consumo abusivo de álcool, síndrome de abstinência e manutenção do uso, mesmo com problemas físicos e sociais relacionados, é o tripé que caracteriza a dependência em álcool, segundo a psiquiatra Ana Cecília Marques, professora da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp).
O tratamento da doença, que atinge cerca de 5,8 milhões de pessoas no país, segundo o Levantamento Domiciliar sobre o Uso de Drogas Psicotrópicas no Brasil, de 2005, não é fácil: dura pelo menos um ano e meio em sua fase mais intensiva e tem índice de recaída de cerca de 50% nos primeiros 12 meses.
"Ele precisa preencher os três critérios. Um só não basta para se considerar dependente", destaca a psiquiatra. Ela explica que o consumo contínuo e abusivo leva a uma tolerância cada vez maior do usuário à bebida. "O corpo acostuma-se com o [álcool]. Ele resiste mais e, para obter o efeito que tinha no começo com uma lata de cerveja, precisará tomar cinco". A falta do álcool provoca uma série de sintomas graves, como elevação da pressão arterial, tremores, enjoo, vômito e, em alguns pacientes, até mesmo convulsão. Esse é o quadro da síndrome de abstinência.
O terceiro critério para caracterização da dependência alcoólica está ligado aos problemas de relacionamento e de saúde provocados pelo consumo abusivo. "O indivíduo tem problemas no trabalho por causa da bebida. Ele perde o dia de trabalho, mas, mesmo assim, bebe de novo". A professora destaca que, além da questão profissional, devem ser considerados diversos aspectos da vida do paciente, como problemas familiares, afetivos, econômicos, entre outros.
Em relação às outras drogas, a psiquiatra informou que o tratamento da dependência de álcool se diferencia principalmente na primeira fase, que dura em média dois meses. "Cada substância tem uma forma de atuar no cérebro, portanto, vai exigir, principalmente na primeira fase do tratamento, diferentes procedimentos farmacológicos para que a gente consiga promover a estabilização do paciente", explica.
De acordo com a médica, o álcool se enquadra na categoria de substâncias psicotrópicas depressoras, juntamente com os inalantes, o clorofórmio, o éter e os calmantes. Há também as drogas estimulantes, como a cocaína, a cafeína e a nicotina, e as perturbadoras do sistema nervoso central, como a maconha e o LSD.
"Na segunda e terceira fases, o tratamento entra em uma etapa mais semelhante, que é quando você vai se aprofundar no diagnóstico e preparar o individuo para não ter recaída", acrescenta.
A segunda fase do tratamento, a chamada estabilização, quando se trabalha a prevenção da recaída, dura, em média, de oito a dez meses. Nessa etapa, são percebidas e tratadas às doenças correlatas adquiridas pelo consumo do álcool e, então, o paciente é preparado para readquirir o controle sobre droga. "A dependência é a doença da perda do controle sobre o consumo de determinada substância. [É feito um trabalho] para que ele volte a se controlar, a entender esse processo e readquirir a autonomia. Não é mais a droga que manda nele".
A psiquiatra destaca que, nesse processo, a recaída é entendida como algo normal e que não invalida o tratamento. "Ele pode ter uma recaída e não é que o tratamento não esteja no caminho certo ou que ele não queira se tratar. Faz parte da doença, é um episódio de agudização dessa doença crônica que é a dependência do álcool. Faz parte recair", esclarece.
Na terceira etapa, que dura cerca de seis meses, ocorre o "desmame da tutela do tratamento". "Ele está manejando essa nova autonomia. Ele volta para as avaliações com menos frequência". Por fim, o paciente passa a ir ao médico com maiores intervalos entre as consultas. "Ele segue em tratamento como qualquer indivíduo que tem doença crônica. Pelo menos uma vez por ano, ele passa pelo médico. A bem da verdade, [no tratamento dessas] doenças crônicas, a gente não dá alta".
Levantamento feito em 2005 pelo Centro Brasileiro de Informações sobre Drogas Psicotrópicas (Cebrid), da Unifesp, e pela Secretaria Nacional Antidrogas (Senad), mostra que o uso do álcool prevalece entre os homens em todas as faixas etárias. Mais de 80% deles declararam fazer uso de álcool. Entre as mulheres, o percentual cai para 68,3%.
No que diz respeito à dependência, eles também estão na frente. O índice de dependentes do sexo masculino (19,5%) é quase três vezes o do sexo feminino (6,9%). A faixa etária de 18 a 24 anos, por sua vez, apresenta os maiores índices, com 27,4% de dependentes entre os homens e 12,1% entre as mulheres.
Fonte-agenciabrasil

Leasing: consumidor pode retomar valores pagos


O Superior Tribunal de Justiça (STJ) firmou tese que favorece os optantes pelo sistema de leasing - quando o consumidor escolhe por alugar determinado produto com opção de compra ao final. Segundo o tribunal, nos casos em que o consumidor não conseguir pagar as parcelas e o bem for tomado pela empresa, parte do dinheiro pode ser-lhe devolvido.
No sistema de leasing, a empresa financeira compra o bem que será usado pelo cliente em determinado período de tempo. No final do contrato, o consumidor pode devolver ou comprar esse bem. Para fechar o contrato, a empresa financeira exige que o cliente pague um valor residual como forma de garantia. Esse valor pode ser pago no início do contrato, diluído nas parcelas ou no final.
Segundo entendimento do STJ, é justamente esse valor residual que pode ser devolvido. A corte analisou o recurso de um escritório de advocacia contra a empresa financeira Safra Leasing. Os advogados pediam a devolução da quantia residual que pagaram antecipadamente no leasing de equipamentos de informática. Como não conseguiram honrar as parcelas, os equipamentos ficaram com a Safra Leasing.
O STJ condicionou a devolução do dinheiro a regras específicas. A medida só será adotada quando, somados, o valor da venda do bem e o valor residual já quitado ultrapassarem o valor residual total estipulado em contrato. O STJ ainda entendeu que a quantia devolvida ao consumidor pode ter descontos de outras despesas ou encargos previstos no contrato.
Para o autor da tese vencedora, ministro Ricardo Villas Boas Cuêva, a decisão mantém o equilíbrio econômico-financeiro entre as partes. “Tudo a bem da construção de uma sociedade em que vigore a livre iniciativa, mas com justiça social’, argumentou.
O julgamento ocorreu no final de fevereiro, mas a decisão foi divulgada apenas na sexta-feira (15) pelo STJ.
A tese foi firmada pela Segunda Seção, a mais alta instância para solução de conflitos privados que não tenham relação com a Constituição Federal. O caso é considerado um recurso repetitivo - todos os processos sobre o mesmo tema ficam paralisados em instâncias inferiores aguardando a decisão do STJ. Agora, o entendimento da corte superior pode ser seguido pelos demais magistrados e tribunais.

Nanotecnologia: mais investimentos do governo


Representantes do Comitê Interministerial de Nanotecnologia (CIN) se reuniram, no dia 12, em Brasília (DF), para discutir ações que possam colocar a área dentro da pauta de investimentos públicos.
O encontro foi presidido pelo secretário de Desenvolvimento Tecnológico e Inovação do MCTI, Alvaro Prata. Um dos principais tópicos debatidos foi a necessidade de regulamentação para o setor que deverá ajudar em assuntos associados a normas técnicas e melhores práticas.
Além de regulamentar a nanotecnologia, os integrantes do CIN conversaram sobre a necessidade de crescimento do aporte financeiro para a área. Como o tema está presente em diversas pastas do executivo, existe a possibilidade de haver duplicidade de ações.
Para evitar superposição entre as demandas, o coordenador-geral de Micro e Nanotecnologia do MCTI, Flávio Plentz, sugeriu o lançamento de chamadas públicas em parceria. Outra ação defendida pelo dirigente é que cada instituição faça um levantamento das demandas para que o grupo desenvolva um estudo minucioso sobre o tema, podendo dessa forma direcionar melhor os investimentos.
Simultaneamente aos debates, o comitê trabalha para concluir o documento da Iniciativa Brasileira de Nanotecnologia (IBN). O documento, que em breve estará disponível, servirá de guia para ações governamentais.
Fonte-agenciagestao

sexta-feira, 15 de março de 2013

Alpha Crucis: o maior navio de pesquisa civil da história da oceanografia brasileira


A cena lembra a de um bando de retirantes aglomerados em volta de um carro-pipa no sertão nordestino. Só que no meio do oceano.
Assim que cada garrafão é içado das profundezas pelo guincho, uma fila de pesquisadores com baldes, galões e garrafas térmicas vazias se forma no convés do Navio Oceanográfico Alpha Crucis para coletar o líquido precioso. Em poucos minutos, a água é separada e distribuída pelos laboratórios da embarcação: 60 litros para genética de bactérias, outros 60 litros para análise de clorofila, mais 20 litros para microscopia de plâncton, e por aí vai. Dia após dia, garrafa após garrafa, o ciclo se repete cada vez que o navio "estaciona" em um novo ponto de coleta.
O líquido tão cobiçado pelos cientistas parece não ter nada de especial. É água do mar, transparente e inodora; aparentemente igual à que qualquer criança poderia coletar com um baldinho na orla de Santos. Só que as aparências enganam. O navio está em alto-mar, a 200 milhas náuticas (370 km) do Porto de Santos, e o leito do oceano aqui não dá pé para ninguém - está mais de 2 mil metros abaixo do casco do Alpha Crucis, submerso em escuridão eterna. As amostras de água coletadas aqui são bem diferentes das da praia, e valem ouro para a oceanografia brasileira.
"É água, sim, mas uma água muito cara" resume, com precisão germânica, o alemão Rudiger Rottgers, único estrangeiro a bordo, numa equipe de 18 professores e jovens cientistas de universidades de São Paulo, Paraná, Rio Grande do Norte e Paraíba.
Cada dia do Alpha Crucis no mar custa cerca de R$ 54 mil, incluindo combustível, alimentação, salários da tripulação e outros gastos operacionais. O navio, de US$ 11 milhões, foi comprado em 2012 pela Universidade de São Paulo (USP) e pela Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp), com a proposta de revolucionar as ciências oceânicas no Brasil. Com 64 metros e capacidade para passar até 70 dias contínuos no mar, é o maior navio de pesquisa civil da história da oceanografia nacional.
É fim de janeiro. Esta é a quarta expedição de pesquisa do Alpha Crucis desde que o navio chegou ao Brasil, em maio do ano passado. Três delas dedicadas ao projeto Carbom (Caracterização Ambiental e Avaliação dos Recursos Biogênicos Oceânicos e da Margem Continental Brasileira e Zona Oceânica Adjacente), que tem como objetivo descrever e quantificar todos os processos relacionados ao ciclo de carbono no oceano brasileiro. Um desafio de proporções oceânicas, literalmente.
Os resultados serão cruciais para o estudo de questões relacionadas às mudanças climáticas, à sustentabilidade da pesca, à biotecnologia e à conservação da biodiversidade marinha. "O carbono é à base de tudo, pois é a matéria-prima da matéria orgânica que alimenta todos os processos biológicos e muitos dos processos bioquímicos do oceano", justifica o pesquisador Frederico Brandini, do Instituto Oceanográfico da USP, que coordena o projeto.
O objetivo é descrever como gira a "economia de carbono" do oceano brasileiro, quantificando tudo que entra e tudo que sai, quanto fica estocado, por quanto tempo, de que forma (no plâncton, nos peixes, nos sedimentos ou dissolvido na água), e qual o saldo disso tudo para os seres humanos, os seres marinhos e o planeta como um todo. "Sabemos como esses processos funcionam qualitativamente, mas precisamos entendê-los também quantitativamente para tomar decisões. Precisamos de números", explica Brandini.
Toda essa contabilidade está embutida de alguma forma nas amostras de água trazidas a bordo. Por mais transparentes que sejam, elas contêm "escondidas" dentro delas milhões de células de plâncton e de moléculas orgânicas dissolvidas. As quantias variam de acordo com a profundidade, a distância da costa e outras características geofísicas do local. E é justamente nessas diferenças que os cientistas estão interessados.
A expedição dura seis dias, com poucas horas de sono entre cada um. O navio não para de se mexer jamais, e a sensação é que o trabalho a bordo também não para nunca. Centenas de amostras de água, de várias profundidades, são coletadas de um total de 14 pontos (chamados "estações oceanográficas") selecionados ao longo do percurso, para serem levadas de volta a terra para análise.
É só o início de uma longa jornada científica oceânica, prevista para consumir três anos de pesquisa, incluindo mais dez expedições com o Alpha Crucis no Sudeste e no Nordeste. O Carbom faz parte do Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia para os Oceanos, envolvendo 14 instituições e 120 cientistas.
Fonte - estadao

quinta-feira, 14 de março de 2013

DOAÇÃO DE SANGUE

           A Senhora Sônia Maria de Sá Marinho, parente de nossa companheira e colega,está internada no Hospital Santa Joana.

      A paciente está precisando de doação de sangue. Os doadores podem comparecer ao HEMOPE. Para maior comodidade dos companheiros e companheiras marque hora de sua doação pelos números 0800 081 1535 ou 3182 4600.

AMAR O PECADOR É VENCER O PECADO

E fácil e cômodo atirar pedras, julgar e condenar os outros. A resposta de Jesus na cena da mulher adúltera, porém, é séria chamada de atenção para a maldade que pode se esconder no coração humano. Quando julgamos os outros, queremos como que esconder os próprios pecados. E então vem à tona a hipocrisia, pois como podem estar limpas mãos que apedrejam e que escondem um coração incapaz de perdoar?
Quanto aos que se orgulhavam de ser exemplo de piedade e aos especialistas da religião, Jesus os faz olhar para si mesmos. Suas palavras funcionam como um espelho, um espelho libertador que pedras nunca poderão quebrar.
No episódio, quem é que estava livre do pecado, para ter a autoridade de atirar pedras naquela mulher que, logicamente, não havia cometido adultério sozinha? E, ainda que fosse o caso de apedrejar, onde estava seu parceiro no erro?
Neste tempo de Quaresma, convite à revisão de vida e conversão para a Páscoa do Senhor, Jesus continua a nos colocar diante do espelho de sua Palavra, para que nos vejamos como somos, sem máscara ou hipocrisia.
Quando tomamos consciência de nossos limites e erros, só nos cabe a atitude de quem suplica o perdão, das pessoas e de Deus. Os acusadores de então foram embora, um a um, ao serem colocados diante dos próprios pecados.
 Jesus, que não vem para condenar, mas para salvar, de fato nunca condenou ninguém. O Mestre sempre ensinou a rejeitar o pecado, mas nunca o pecador. Ensinou a nunca confundir quem peca com o pecado cometido.
 Ao pecador Jesus nos ensina a amar, porque todos pecamos e necessitamos de amor. Um amor sem limites como o seu, de quem se doa e sabe perdoar. Perdoando e amando, criamos relações novas, de acolhida e inclusão. E então aprendemos, simples assim, que amar o pecador é vencer o pecado escondido em nós.

O primeiro papa não europeu em mais de 1.300 anos


Os 115 cardeais da Igreja Católica reunidos no Vaticano elegeram na tarde desta quarta-feira, 13, o novo papa, sinalizado pela aparição da fumaça branca na chaminé instalada na Capela Sistina, palco do conclave.
Jorge Mario Bergoglio, de 76 anos, será o primeiro papa não europeu em mais de 1.300 anos e o primeiro papa Francisco da Igreja Católica.
Antes de ser apresentado ao público, que aguardava em frente à Basílica de São Pedro, o novo papa foi levado para a Sala das Lágrimas, onde se trocou e refletiu sobre o novo cargo.
Ao surgir na sacada da Basílica, o papa Francisco fez uma oração em homenagem ao papa Emérito, Bento XVI, e em seguida a oração Urbi et Orbi.
“Agradeço muito pela acolhida. Antes de tudo, gostaria de fazer uma oração pelo nosso bispo emérito Bento XVI. Oremos todos juntos por ele, para que o Senhor o abençoe e Nossa Senhora o receba”, disse Francisco.
Foram necessárias cinco votações para que os cardeais chegassem a um acordo sobre o sucessor de Pedro. A aparição da fumaça branca levou ao delírio os fiéis de todas as partes do mundo reunidos na Praça São Pedro, sob a chuva fina e um frio de nove graus.
No início da tarde, uma gaivota branca pousou na chaminé da Capela Sistina confundindo muitos fiéis, que pensaram se tratar da fumaça branca.
Preocupação social
No Vaticano, longe de possíveis manchas dos tempos de ditadura, é esperado que o homem silencioso que agora é Papa conduza a estrutura da Igreja Católica com mão de ferro e com uma marcada preocupação social.
Políticos argentinos foram repetidamente alvo da retórica afiada do sacerdote, acusados por ele de não combater a pobreza e preocuparem-se apenas em seguir no poder.
Conhecido por sua simplicidade, Bergoglio vivia sozinho, em um apartamento, no segundo andar do edifício da Cúria, ao lado da Catedral de Buenos Aires, no coração da cidade. A imprensa local lembra hoje que, da janela de seu apartamento, foi testemunha da violência na Praça de Maio durante a crise de dezembro de 2001.
Indignado, ligou para o ministro do Interior para lhe pedir que desse instruções para que os agentes diferenciassem entre ativistas e correntistas que reivindicavam seus direitos.
Em 2004, após a tragédia da boate Cromagnon, percorreu os hospitais da cidade para ajudar as famílias das vítimas.
Pouco amigo de aparições na imprensa, Bergoglio tentou manter um baixo perfil público, costuma usar transporte público e inclusive se confessa na Catedral. Ele foi dos poucos cardeais que, quando chegou a Roma para a eleição do novo papa, não usou veículos oficiais.
O novo papa é um amante dos autores clássicos, gosta de tango e não esconde sua paixão pelo futebol, especialmente pelo San Lorenzo de Almagro – tem uma camisa assinada pelo elenco.
'Destruição do plano de Deus'
Em 2010, ele também enfrentou a presidente Cristina Kirchner quando o governo apoiou uma lei para permitir o casamento entre pessoas do mesmo sexo. "Não vamos ser ingênuos: não se trata de uma simples luta política; é uma tentativa de destruição do plano de Deus", disse Bergoglio em carta, dias antes de o projeto ser aprovado pelo Congresso.

terça-feira, 12 de março de 2013

Mapeamento cerebral?


Ao definir que os Estados Unidos têm a meta de mapear o cérebro humano ativo, o presidente Obama pode ter escolhido um desafio ainda mais difícil do que encerrar a guerra no Afeganistão.
Em mais de um século de pesquisas sobre as células interligadas que compõem o cérebro, conhecidas como neurônios, cientistas reconhecem que estão apenas começando a arranhar a superfície de um desafio que será muito mais complexo do que o sequenciamento do genoma humano.
A administração Obama em breve irá anunciar a intenção de juntar as peças --e as verbas-- para um projeto de pesquisa, previsto para durar uma década, que terá a meta de montar um mapa abrangente da atividade cerebral.
Antes de os cientistas poderem começar a traçar o mapa da atividade cerebral, eles precisam desenvolver as ferramentas para o estudo do cérebro. E, antes de desenvolverem ferramentas que funcionem com humanos, precisam conseguir fazê-lo com espécies mais simples --supondo que aquilo que aprenderem poderá ser aplicado a humanos.
Além dos desafios tecnológicos, há questões que envolvem o armazenamento das informações colhidas por pesquisadores e questões éticas sobre o que poderá ser feito com os dados.
Muitos neurocientistas são céticos quanto às possibilidades de êxito de um esforço para abrir a chave dos enigmas do cérebro.
"Acredito que o paradigma científico subjacente a esse projeto de mapeamento é desatualizado, na melhor das hipóteses. Na pior, é simplesmente equivocado", disse Donald G. Stein, neurologista da Escola de Medicina da Universidade Emory, em Atlanta. "A busca por um mapa de caminhos neurais estáveis que possam representar funções cerebrais é inútil."
A meta das pesquisas com animais é obter amostras de aproximadamente mil neurônios simultaneamente. O cérebro humano possui entre 85 bilhões e 100 bilhões de neurônios. "Precisamos desenvolver novas técnicas, algumas delas a partir do zero", disse Rafael Yuste, neurocientista da Universidade Columbia, em Nova York, pioneiro no uso de lasers para medir a atividade de neurônios no córtex de camundongos.
Um artigo publicado no ano passado no periódico "Neuron" descreveu um caminho possível para o mapeamento do cérebro humano ativo. Assinado por seis cientistas destacados, o artigo propõe que o projeto comece com espécies cujos cérebros tenham um número muito pequeno de neurônios, passando em seguida para animais progressivamente mais complexos.
Os cientistas citaram o verme C. elegans, que até hoje é o único animal do qual existe um mapa estático completo, ou "connectome". Esse verme possui apenas 302 neurônios com 7.000 conexões. Os autores propõem estudar a seguir a mosca drosófila, que possui 135 mil neurônios, o peixe-zebra, com aproximadamente 1 milhão de neurônios, o camundongo e o musaranho-pigmeu, o menor mamífero conhecido, cujo córtex é composto de aproximadamente 1 milhão de neurônios.
Mas o salto para o cérebro humano é tão enorme que o neurocientista Terry Sejnowski, do Instituto Salk, descreveu o desafio como "a marcha de 1 milhão de neurônios".
Os pesquisadores já propuseram várias tecnologias que podem ser aplicadas, mas muitas delas ainda são protótipos ou apenas especulativas. Algumas, como os nanorrobôs que estão sendo projetados em lugares como o laboratório do Instituto Wyss da Universidade Harvard, aparentam ter saído diretamente da ficção.
As tecnologias empregadas hoje para mapear a atividade cerebral em alta resolução exigem a abertura do crânio, limitando drasticamente o que é possível fazer.
Os cientistas reconhecem o desafio de capturar a quantidade de informação gerada por neurônios. Num encontro em janeiro, cientistas concluíram que seriam necessários três petabytes de capacidade de armazenamento para a informação gerada por apenas 1 milhão de neurônios em um ano.
O Grande Colisor de Hádrons, em Genebra, gera cerca de dez petabytes de dados anualmente.
Se o cérebro contém 100 bilhões de neurônios, isso significa que o cérebro completo gera cerca de 300 mil petabytes de dados a cada ano.

segunda-feira, 11 de março de 2013

PARABÉNS RECIFE


Ritmos intensos e contagiantes, que vão do frevo ao maracatu. Do carnaval ao rock. Da coloração vasta dos seus manguezais, ao azul do seu mar. Isso, sem falar nos seus variados sabores e aromas. É, Recife, tu és contagiante e por isso, a cada ano, ficamos cada vez mais apaixonados.
Parabéns, Recife aos 476 anos


ESQUINA DO CALDINHO


Avenida Sebastião Salazar, n.º 605
 Galeria Bom Jesus - Térreo - Loja 05 Cajueiro Recife/PE 
Próximo ao Colégio Jarbas Pernambucano
 Fones para contato: 
(81) 8717.4900 / 8874.5417 9153.7370 / 9204.4640
 
BLOG DO ANDRÉ CAFÉ
SÓ JESUS SALVA
//