Redes Social



twitterfacebookgoogle pluslinkedinrss feedemailhttps://www.wowapp.com/w/andrecafe/joinhttps://www.instagram.com/andrecafee/

quinta-feira, 31 de janeiro de 2013

BBB: o que há de pior na TV brasileira


*Que me perdoem os ávidos telespectadores do Big Brother Brasil (BBB), produzido e organizado pela nossa distinta Rede Globo, mas conseguimos chegar ao fundo do poço. A nova edição do BBB é uma síntese do que há de pior na TV brasileira. Chega a ser difícil encontrar as palavras adequadas para qualificar tamanho atentado à nossa modesta inteligência.
Dizem que Roma, um dos maiores impérios que o mundo conheceu, teve seu fim marcado pela depravação dos valores morais do seu povo, principalmente pela banalização do sexo. O BBB é a pura e suprema banalização do sexo.
Impossível assistir este programa ao lado dos filhos. Gays, lésbicas, heteros… todos na mesma casa, a casa dos “heróis”, como são chamados por Pedro Bial. Não tenho nada contra gays, acho que cada um faz da vida o que quer, mas sou contra safadeza ao vivo na TV, seja entre homossexuais ou heterossexuais. O BBB é a realidade em busca do IBOPE.
Veja como Pedro Bial tratou os participantes do BBB. Ele prometeu um “zoológico humano divertido”. Não sei se será divertido, mas parece bem variado na sua mistura de clichês e figuras típicas.
Pergunto-me, por exemplo, como um jornalista, documentarista e escritor como Pedro Bial que, faça-se justiça, cobriu a Queda do Muro de Berlim, se submete a ser apresentador de um programa desse nível. Em um e-mail que recebi há pouco tempo, Bial escreve maravilhosamente bem sobre a perda do humorista Bussunda referindo-se à pena de se morrer tão cedo. Eu gostaria de perguntar se ele não pensa que esse programa é a morte da cultura, de valores e princípios, da moral, da ética e da dignidade.
Heróis?
Outro dia, durante o intervalo de uma programação da Globo, um outro repórter acéfalo do BBB disse que, para ganhar o prêmio de um milhão e meio de reais, um Big Brother tem um caminho árduo pela frente, chamando-os de heróis. Caminho árduo? Heróis? São esses nossos exemplos de heróis? Caminho árduo para mim é aquele percorrido por milhões de brasileiros, profissionais da saúde, professores da rede pública (aliás, todos os professores) , carteiros, lixeiros e tantos outros trabalhadores incansáveis que, diariamente, passam horas exercendo suas funções com dedicação, competência e amor e quase sempre são mal remunerados.
Heróis são milhares de brasileiros que sequer tem um prato de comida por dia e um colchão decente para dormir, e conseguem sobreviver a isso todo dia.
Heróis são crianças e adultos que lutam contra doenças complicadíssimas porque não tiveram chance de ter uma vida mais saudável e digna. Heróis são inúmeras pessoas, entidades sociais e beneficentes, Ongs, voluntários, igrejas e hospitais que se dedicam ao cuidado de carentes, doentes e necessitados (vamos lembrar de nossa eterna heroína Zilda Arns).
Heróis são aqueles que, apesar de ganharem um salário mínimo, pagam suas contas, restando apenas R$16 para alimentação, como mostrado em outra reportagem apresentada meses atrás pela própria Rede Globo.
Tenha dó!
O Big Brother Brasil não é um programa cultural, nem educativo, não acrescenta informações e conhecimentos intelectuais aos telespectadores, nem aos participantes, e não há qualquer outro estímulo como, por exemplo, o incentivo ao esporte, à música, à criatividade ou ao ensino de conceitos como valor, ética, trabalho e moral. São apenas pessoas que se prestam a comer, beber, tomar sol, fofocar, dormir e agir estupidamente para que, ao final do programa, o “escolhido” receba um milhão e meio de reais. E ai vem algum psicólogo de vanguarda e me diz que o BBB ajuda a “entender o comportamento humano”. Ah, tenha dó!!!
Veja o que está por de trá$$$$$$$$$ do BBB: José Neumani da Rádio Jovem Pan fez um cálculo de que se 29 milhões de pessoas ligarem a cada paredão, com o custo da ligação a 30 centavos, a Rede Globo e a Telefônica arrecadam oito milhões e setecentos mil reais. Eu vou repetir: oito milhões e setecentos mil reais a cada paredão.
Já imaginaram quanto poderia ser feito com essa quantia se fosse dedicada a programas de inclusão social, moradia, alimentação, ensino e saúde de muitos brasileiros? (Poderia ser feito mais de 520 casas populares; ou comprar mais de 5 mil computadores).
Essas palavras não são de revolta ou protesto, mas de vergonha e indignação, por ver tamanha aberração ter milhões de telespectadores. Em vez de assistir ao BBB, que tal ler um livro, um poema de Mário Quintana ou de Neruda ou qualquer outra coisa…, ir ao cinema…. , estudar… , ouvir boa música…, cuidar das flores e jardins… , telefonar para um amigo… ,visitar os avós… , pescar…, brincar com as crianças… , namorar… ou simplesmente dormir. Assistir ao BBB é ajudar a Globo a ganhar rios de dinheiro e destruir o que ainda resta dos valores sobre os quais foi construída nossa sociedade.
          Por talvez: Luis Fernando Veríssimo

*O texto acima surgiu na internet em meados de 2010 e foi atribuído ao jornalista Luis Fernando Veríssimo, articulista do jornal O Globo. Naquele mesmo ano, em nota ao blog do Ricardo Noblat, Veríssimo nega a autoria e garante que é um dos três ou quatro brasileiros que nunca acompanharam o programa. De todo modo, quem quer que seja o autor, acertou.

Procon Pernambuco faz alerta sobre a Telexfree


Com a promessa de garantir lucro rápido e fácil, a empresa norte-americana Telexfree tem despertado não só a curiosidade, como a desconfiança de centenas de pernambucanos. Tanto que o Procon Pernambuco vem recebendo desde o início do ano pedidos de informações a respeito da legitimidade do negócio, que promete, através de uma plataforma VOIP, remunerar quem aceita trabalhar na rede (leia mais sobre o assunto no blog Vou Investir).
Para obter os ganhos, os adeptos da ferramenta precisam publicar diariamente um anúncio da empresa em sites da internet. No entanto, antes é necessário desembolsar uma taxa que vai de US$ 299 (plano ADCentral) a US$ 1.375 (plano ADCentral Family). Os ganhos prometidos pela Telexfree aos participantes variam de US$ 20 a US$ 100 por semana, o que daria uma rentabilidade mínima de 6,68% semanais, percentual acima de qualquer aplicação financeira tradicional do mercado.
O que a Telexfree faz, segundo o Procon Pernambuco, trata-se de um negócio conhecido por “Pirâmide de Ponzi”, onde o lucro dos participantes é condicionado à adesão de novos investidores. Isto é: quem já está no negócio é remunerado com a verba dos outros entrantes. O órgão esclarece que caso o cidadão que entrou no negócio seja lesado, a denúncia deverá ser feita ao Ministério Público ou à Polícia Federal.
Entenda
A pirâmide tem o nome por conta do imigrante italiano Charles Ponzi, que conseguiu fazer fortuna rapidamente nos Estados Unidos utilizando esse método. O sistema financeiro é insustentável e funciona à base de novos investidores. Os primeiros envolvidos investem e conseguem lucrar recrutando outros participantes, porém, quanto maior o alcance da pirâmide, menos sustentável ela fica, pois depende dos investimentos posteriores. Sem novos recursos, a grande parcela dos envolvidos fica no prejuízo.
No mercado, negócios deste tipo têm recebido o nome de “marketing multinível”, atividade que já foi praticada por outras empresas no passado, como a também americana Amway ou a brasileira Avestruz Master, que decretou falência anos atrás.
Fonte - DP

quarta-feira, 30 de janeiro de 2013

"O Louco do mergulho"


Essa á para "colecionador".
      Vale à pena dar uma olhada. É evidente que depois de 60 anos a filmagem está comprometida, o que é uma pena.
Laurens (Larry) V Griswold (1905 - 1996), conhecido como "O Louco do mergulho", foi um ginasta americano e artista que esteve envolvido no desenvolvimento inicial do trampolim.
Griswold desenvolveu um número de acrobacias e palhaçadas, atuando profissionalmente durante anos.
Charles Chaplin, do alto de sua competência e extraordinário talento dizia que Griswold era muito melhor que ele, querendo, com isso, enaltecer suas magníficas qualidades.
Fingia ser um homem bêbado e descoordenado que tentava pular de um trampolim para efetuar um grande mergulho.
Um ato hilário e, ao mesmo tempo, arrepiante.
Aqui, uma de suas apresentações no "Frank Sinatra Show" datada de Novembro de 1951 (Isso mesmo, 1951).
Repare na magreza do Sinatra.
Veja o vídeo: 

Matemática: resolvido um dos grandes problemas do mundo


Um americano e uma espanhola anunciaram ter resolvido um dos grandes problemas matemáticos do século 20, que muitas pessoas tentaram comprovar antes deles, sem sucesso.
A teoria dos "subespaços invariantes em espaços de Hilbert" foi formulada nos anos 1930 pelo húngaro-americano John von Neumann e se baseou na teoria do matemático alemão David Hilbert (1862-1943). Segundo o problema, todo operador em um espaço de dimensão infinita possui um subespaço próprio que não varia.
No entanto, até agora ninguém tinha conseguido demonstrar a correção do enunciado. Por isso, a descoberta de Carl Cowen e Eva Gallardo representa um "marco histórico", considerou o presidente  da Sociedade Matemática Espanhola, Antonio Campillo, na apresentação da descoberta, que coincidiu com o congresso da instituição em Santiago de Compostela, no noroeste da Espanha.
Cowen, da Universidade de West Lafayette, nos EUA, admitiu que se trata de um conceito difícil de entender porque vai além das três dimensões do nosso mundo.
Para tentar explicá-lo, ele usou uma bola de basquete: "Se você gira uma bola, ela sempre gira sobre um eixo", demonstrou. Então, "podemos imaginar, talvez não com muita clareza, uma bola de dimensão infinita e um espaço de dimensões infinitas" e provar que assim ela também pode girar, explicou.
Apresentada em uma curta solução de menos de 20 páginas, a fórmula de Cowen e Eva foi analisada por três especialistas que não encontraram erros, ao contrário do ocorrido no passado com os trabalhos de outros matemáticos, asseguraram os autores.
Para solucionar o problema, que exigiu três anos de trabalho, os dois cientistas optaram por abordá-lo a partir da teoria das "funções de variável complexa", explicou Eva, que atua na Universidade Complutense de Madri. Segundo ela, "é uma perspectiva diferente da habitual que talvez tenha dado a chave".
O impacto da descoberta "será imediato e de enorme transcendência" para a comunidade matemática mundial, afirmou Campillo, tanto por sua contribuição para a ciência básica quanto por suas possíveis aplicações práticas.

terça-feira, 29 de janeiro de 2013

Redes Sociais são mais perigosas que sites pornográficos


  
Em uma pesquisa realizada pela Kaspersky Lab, 21% dos links maliciosos presentes na Internet estão hospedados em redes sociais, contra 14% que estão disponibilizados em sites de conteúdo adulto. Segundo o estudo, sites como Facebook, Twitter e Google+ tornaram-se uma arma em potencial para os cibercriminosos, pois, quanto mais popular, maior a possibilidade da criação de links maliciosos para serem propagados pela rede.
A maioria dos links maliciosos encontrados pelos analistas da Kaspersky Lab em redes sociais estão no Facebook e em seu clone russo, o VKontakte, tornando as redes sociais o terceiro lugar no ranking de maior ameaça de redirecionamento para links perigosos.
O vencedor de maior disseminação de malware é o YouTube, que abriga atualmente 31% dos links maliciosos. Os serviços de busca, como o Google, ficam em segundo lugar com 22%, onde é realizada manipulação de resultados para o redirecionamento a links maliciosos.

Pele: tecnologia promete retardar o envelhecimento


Com o avanço da tecnologia na área dermatológica, o código genético de cada um, pessoal e único, passa a ser utilizado com uma ferramenta a mais na eterna luta contra o envelhecimento. O sonho de uma pele eternamente jovem pode não estar tão longe de ser realizado. Ao realizar a análise de DNA, é possível criar tratamentos e cremes específicos de acordo com as características individuais de cada paciente. Mas, segundo os especialistas, o otimismo deve ser bem dosado, já que há um caminho a ser percorrido.
"Ainda existe muito a se desenvolver na área", diz a dermatologista Andrea Godoy. "Até o momento, nós não ‘consertamos’ alterações genéticas nem causamos mutações que revertam à queda de cabelos ou o desenvolvimento de câncer de pele", ressalta. Para Andrea, o tratamento com avaliação genética só oferece uma análise objetiva das deficiências e necessidades individuais. "Por exemplo, o exame auxilia na determinação e nas causas da flacidez, ajudando assim na escolha do ativo, ou seja, da substância que será adicionada ao creme que, pelo menos teoricamente, será capaz de parar ou reverter a evolução do processo", explica.

Sirius: o acelerador de elétrons de terceira geração


Deve começar ainda este ano, no Laboratório Nacional de Luz Síncrotron (LNLS), em Campinas, a construção do novo acelerador de elétrons de terceira geração, batizado de Sirius.
Capaz de emitir radiação com maior brilho e gerar imagens com mais resolução que o atual, de segunda geração, o equipamento poderá atrair para o país cientistas de destaque no cenário internacional, como a israelense Ada Yonath – vencedora do Nobel de Química em 2009 por seu trabalho sobre a estrutura e a função dos ribossomos – ou o americano Brian Kobilka – premiado em 2012 pela descoberta de um novo receptor celular –, afirmou Antonio José Roque da Silva, diretor do LNLS.
“Será uma facilidade aberta que atenderá às mais diversas áreas da ciência, desde medicina, biofísica, biotecnologia, biologia molecular e estrutural, até paleontologia, ciências dos materiais, agricultura e nanotecnologia. Se o equipamento estiver realmente no estado da arte, vai atrair pesquisadores de ponta de todo o mundo”, disse.

Paulista cria aplicativo para ajudar na busca por pessoas desaparecidas

As estatísticas do desaparecimento de pessoas no Brasil assustaram o jovem Johnny Hederson, de apenas 19 anos. “Estava assistindo uma reportagem e me bateu aquela pergunta: Será que existe um aplicativo para fazer a divulgação rápida já no momento do desaparecimento?”, diz o paulista, que faz um curso de sistemas da informação. Foram três dias de pesquisa, diz Hederson, para descobrir que ninguém no Brasil fazia um serviço do tipo.
Com a ideia em mãos, Hederson se juntou a outros três sócios para criar o Find People. Enquanto o jovem paulista mora no Rio de Janeiro, Leandro Neves, Bruno Lira e Daniel Amaral formam a base da empresa em Maceió.
“Foram três meses de trabalho e lançamos oficialmente o aplicativo na semana passada”, lembra Hederson. Por enquanto, o programa funciona com uma base de dados de pessoas desaparecidas já existente, mas cada usuário que entra pode cadastrar mais gente. “Pedimos algumas informações sobre a pessoa, como a idade, a data de nascimento, o último lugar em que foi visto”, explica.
Além disso, enviar uma foto ajuda bastante no processo. “Nós ligamos para quem não coloca foto para pedir, porque é importante”, conta o jovem. A equipe do Find People que fica em Maceió recebe os dados e os checa, para pedir mais informações e perguntar se houve mesmo o desaparecimento. Segundo a startup, já são 150 pessoas desaparecidas cadastradas na base.
Para o futuro, Hederson tem grandes planos para o Find People. Ele conta que a companhia pensa em criar uma tecnologia de reconhecimento fácil para o “app”. “Quando você vê uma pessoa na rua, por exemplo, poderá apontar a câmera e o software vai dizer se ela está entre os desaparecidos”, disse o jovem.
Disponível para iOS (acesse aqui) e Android, a equipe do Find People já está criando uma versão para Windows Phone.


Vem ai uma nova rede social: o "Swipp"


Disposta a mudar a forma de medir a opinião pública, nasceu nesta quarta-feira (23) a nova rede social "Swipp", uma plataforma estruturada em torno de um índice de valores sobre pessoas, produtos e ideias em que a popularidade varia em função dos votos dos usuários.
A ambiciosa proposta do "Swipp" é uma ferramenta democrática global que vai além dos "trending topics" e o número de seguidores no Twitter e Facebook, sistemas habitualmente utilizados para conhecer a importância ou a fama de algo ou alguém.
"Queremos recolher e mostrar o que todo mundo pensa sobre qualquer tema imaginável", afirmou à Agência Efe o responsável de marketing e comunicação internacional do "Swipp", Frederik Hermann.
Esta rede social, que pretende unir o dinamismo do Twitter e a densidade do Wikipedia, foi sendo criada durante o último ano e meio com o trabalho de 15 pessoas em Mountain View, no Vale do Silício californiano, próximo da sede do Google, com o convencimento de que pode se transformar na próxima revolução na internet.
"Esperamos alcançar 200 mil usuários em um curto prazo e talvez um milhão em um ano", comentou Hermann. A partir desta quarta, o "Swipp" está disponível em 5 idiomas através do site "Swipp.com", conta com aplicação nativa para iPhone e de acesso gratuito com o único requisito de ter conta no Facebook.
Uma vez registrado, o usuário será convidado a publicar seu primeiro "swipp", no qual deverá indicar o tema da mensagem, o que viria a ser a "hashtag" no Twitter, e poderá acrescentar um comentário.
O "Swipp" começa a funcionar com mais de 10 milhões de conceitos registrados e 4 milhões de fotografias em seus servidores, embora os usuários possam propor novos temas sobre "produtos, pessoas, lugares e coisas", disse Hermann.
O diferente neste caso é que além de expressar uma opinião, o usuário poderá pontuar o grau de conformidade ou inconformidade com o assunto em questão, para qual há uma barra de votação que varia entre -5 e +5. Essa avaliação será somada ao resto das outras avaliações gerais no "Swipp", cujo sistema elabora uma espécie de índice que mede a oscilação da opinião dos usuários com relação aos temas.
Esta referência mostra a pontuação média acumulada no "Swipp", a pontuação média do dia, a tendência da questão (se é de alta ou de baixa) e o número total de "swipps" emitidos.
O índice global é feito por lugares, por gênero, e também é possível ver um gráfico sobre a evolução dessas pontuações. Hermann disse que cada usuário poderá opinar quantas vezes queira sobre um tema, embora unicamente o último "swipp" será computado no sistema para evitar distorções e abusos.
Ao contrário do Facebook e do Twitter, que apesar de seus êxitos demoraram a encontrar fórmulas para tirar rentabilidade econômica de suas plataformas, o "Swipp" nasce com um plano de negócio definido que faz concorrência às consultoras de estudo de opinião.
As marcas comerciais poderão contratar os serviços do "Swipp" para conhecer com detalhes o que as pessoas pensam sobre seus produtos e detectar as tendências, e contarão com ferramentas específicas para tramitar o volume de informação pública.
Os criadores do "Swipp", no entanto, querem que a rede social vá além dos comentários e opiniões, e sirva como fonte de conhecimento para o usuário através de sua vinculação com o "Freebase", base de dados gratuita e colaborativa propriedade do Google que se alimenta, entre outros sites, da Wikipedia.
De olho em fevereiro, o "Swipp" prepara aplicações especiais para seguir o Super Bowl, assim como a festa do Oscar, e nos próximos meses tonará público seu protocolo API para facilitar aos programadores externos o desenvolvimento de novas aplicações e usos para seu sistema.
Fonte - folha

domingo, 27 de janeiro de 2013

Nanotecnologia: fim das superbactérias


De acordo com o site VentureBeat, a IBM anunciou o desenvolvimento de um novo nanomedicamento sintético para destruir microrganismos que se tornaram resistentes aos antibióticos e que podem causar infecções graves. Trata-se de um hidrogel antimicrobiano atóxico, biodegradável e biocompatível capaz de matar as superbactérias quase instantaneamente.
Segundo a publicação, os produtos desinfetantes utilizados atualmente — tanto em residências como em hospitais — estão se tornando cada vez menos efetivos, pois os organismos estão ficando cada vez mais resistentes aos ingredientes ativos. O hidrogel desenvolvido pela IBM pode ser aplicado tanto em superfícies contaminadas como em ferimentos, podendo inclusive ser injetado para tratar os mais diversos tipos de infecções.
O hidrogel possui carga positiva e, quando é aplicado sobre superfícies contaminadas ou injetado no organismo, atrai instantaneamente os micróbios e bactérias devido à carga negativa de suas membranas. Depois de atrair os microrganismos, o hidrogel rompe as membranas que os envolvem, aniquilando os agentes patogênicos de forma instantânea e eficiente.
Conforme explicaram os desenvolvedores, o nanomedicamento é capaz de matar 100% das superbactérias, além de reduzir a probabilidade de que elas reapareçam. Além disso, graças à sua composição de mais de 90% de água, o hidrogel pode ser facilmente aplicado sobre equipamentos médicos ou incorporado a cremes e gelatinas injetáveis.



sábado, 26 de janeiro de 2013

Pernambucanos desenvolveram uma substância capaz de desvendar crimes



Pesquisadores brasileiros da Universidade de Brasília e da Universidade de Pernambuco desenvolveram uma substância capaz de desvendar crimes. A tecnologia vai ajudar a Polícia Federal nas investigações.
A substância é capaz de rastrear pistas ao gerar pontos luminosos deixados pelo disparo de uma bala. A arma e as mãos do atirador também ficam marcadas. Agora, a tecnologia nacional depende da aprovação do Congresso para que uma lei regularize as políticas de uso.
A substância é um material luminescente que, misturado à pólvora da munição, se espalha pelo local do crime. Sem poder ser visto a olho nu, o produto só é identificado com luz ultravioleta. “Esse material fica na roupa ou no corpo de uma pessoa até 24 horas, e mesmo que ele tome banho ainda pode se encontrar vestígios do material”, explica Cintia D’Angelis, estudante de química.
A Polícia Federal estuda a possibilidade de usar o produto em munições fabricadas no Brasil e na ajuda ao trabalho de investigação em municípios que não têm acesso a recursos tecnológicos, pois o uso só depende da luz ultravioleta, o que barateia o custo de toda a investigação.
“Nesse momento, essa interface da perícia com a universidade visa ainda a otimização do aperfeiçoamento desses marcadores. Em primeiro lugar, a verificação e a comprovação da sua eficácia para depois um projeto de lei que venha abalizar o uso disso no Brasil”, explica Márcio Talhavini, perito criminal da Polícia Federal.

PROGRAMA DE AÇÃO



Toda boa organização, além de fazer constantes avaliações, elabora seus programas de ação. O profeta Isaías apresentou um programa de vida que Jesus assumiu para si. A Igreja, enquanto instituição, também tem sua programação. Quem não se programa dificilmente avança ou inova.
O programa de ação assumido por Jesus é este: anunciar a boa-nova aos pobres, proclamar a libertação dos cativos, recuperar a visão dos cegos e libertar os oprimidos. Jesus sabe que não há vida digna com a fome, a miséria, a doença, a prisão. Propôs-se, portanto, cumprir uma tarefa nada fácil, à qual se dedicou ao longo de sua vida missionária.
Demonstrou com sua prática que o evangelho é boa-nova de libertação para as pobres e injustiçados.  Não é uma mensagem "cor-de-rosa" que serve para dar "conforto espiritual" aos que vivem na miséria ou para apaziguar a consciência dos que tiram proveito da miséria alheia. A proposta de Jesus é bem concreta.
Se quiser ser fiel ao Mestre, a Igreja terá de fazer sua essa tarefa. A sua missão preferencial aos pobres jamais pode ser esquecida, sob risco de perda de rumo. A Igreja é um corpo de muitos membros unidos; se algum membro sofre, deve receber cuidados preferenciais.
Como membros da Igreja, Corpo de Cristo, fomos no dia do batismo, ungidos e chamados a assumir o projeto de continuar a missão libertadora iniciada por Jesus. Todos os membros da Igreja são importantes e têm uma missão, assim como os membros do corpo tem cada um sua função. Só assim o evangelho se mostra vivo, e não letra morta que ficou a dois mil anos de distância.
Em todos os tempos, a palavra que vem de Deus possui a força e a eficácia dele proveniente — interpela, provoca, consola, cria comunhão e salva das mais diversas maneiras. Ela continua se tornando o "hoje" da história. E cada um de nós — membro do povo de Deus — é chamado a dar atualidade ao texto antigo, isto é, torná-la relevante para os nossos dias.

sexta-feira, 25 de janeiro de 2013

Cyprinodon diabolis: os peixes mais raros do mundo


Peixes adultos da espécie Cyprinodon diabolis de Devils Hole mal chegam a 2 cm de comprimento. No entanto, a espécie deixou uma marca desproporcional no mundo. Na natureza, seu hábitat se limita a uma placa de pedra calcária de 4 por 2 metros no Devils Hole, um curioso lago desértico em Nevada, próximo ao Vale da Morte. Esta espécie, portanto, foi um dos primeiros peixes a serem protegidos pela Lei de Espécies Ameaçadas americana. Proprietários de terras locais, cujo direito de extrair água foi proibido desde então, apelaram contra as consequências dessa proteção até a Suprema Corte, mas em 1976 eles perderam e os Cyprinodon diabolis sobreviveram.
A contagem mais recente, no entanto, sugere que a sorte da espécie está com os días contados. Apenas 75 continuam vivos, o menor número jamais registrado em uma pesquisa de outono (quando se espera que a população esteja em nível mais alto). Ted Koch, membro do Serviço de Vida Silvestre e Peixes dos EUA, responsável pelo bem-estar do Cyprinodon diabolis, convocou uma renião neste mês para discutir maneiras de fazer com que essa população sobreviva. Se os peixes de fato morrerem em seu hábitat nativo, estoques mantidos em aquários podem impedir que a espécie se torne totalmente  extinta. Não se sabe, no entanto, se a população criada em cativeiro poderia ser reinserida em seu lago de origem.

Linfoma: nanotecnologia substitui quimioterapia


Pode ser possível tirar proveito do próprio colesterol para destruir o linfoma - sem usar quimioterapia.
Isto graças a uma nanopartícula, que funciona como uma espécie de agente secreto duplo no interior do corpo humano.
Cientistas descobriram que a nanopartícula aparece para as células cancerosas do linfoma como se fosse seu alimento preferido, o colesterol HDL - lipoproteínas de alta densidade, mais conhecido como colesterol bom.
Mas, quando a célula engole a nanopartícula, a nanopartícula na verdade toma conta da célula tumoral, impedindo que qualquer colesterol entre, levando-a à morte por falta de alimento.
A descoberta foi feita por Shad Thaxton e Leo Gordon, da Universidade Northwestern (EUA).
As nanopartículas - partículas com diâmetros na casa dos nanômetros (bilionésimos de metro) - nada mais são do que células sintéticas que imitam o colesterol bom.
A principal diferença é que elas possuem uma nanopartícula de ouro de apenas cinco nanômetros como núcleo - o ouro foi escolhido porque não é tóxico para o corpo humano.
Após enganar a célula tumoral, a estrutura esponjosa da nanopartícula de ouro suga seu colesterol, impedindo que a célula se alimente.
No estudo agora divulgado, os experimentos mostraram que esse HDL sintético matou as células do linfoma de células B, o tipo mais comum da doença, em células humanas em cultura, e inibiu o crescimento do tumor em camundongos.
Linfoma é um termo genérico para designar um grupo de diversas doenças neoplásicas do sistema linfático, geralmente envolvendo a proliferação descontrolada de linfócitos B ou T.
"Esta descoberta tem potencial para eventualmente se tornar um tratamento não-tóxico para o linfoma de linfócitos B, sem envolver quimioterapia," disse o Dr. Gordon.
Fonte - ds

As novelas fazem aumentar o número de divórcios no Brasil


Um estudo realizado pelo Banco Interamericano do Desenvolvimento – BID, constatou que as novelas fazem aumentar o número de divórcios no Brasil.  Alberto Chong é coordenador da pesquisa.
Os pesquisadores analisaram as três últimas décadas e verificaram que a taxa de divórcios no Brasil cresceu cinco vezes desde 1980.
Segundo o resultado das pesquisas do BID, a porcentagem de mulheres divorciadas é maior nas regiões onde se pode sintonizar a Rede Globo, em especial nas pequenas comunidades que recebem o sinal dessa emissora.
Infelizmente qualquer pessoa sabe que isso é verdade, mas a pesquisa vem comprovar esta tristeza para aqueles que ainda acham que as novelas brasileiras são inofensivas.
Na verdade elas fazem uma pregação sistemática de anti-valores, destruindo os pilares da civilização cristã; fomenta o divórcio, incentiva o sexo livre e sem compromisso, enaltece a luxúria, promove a vida licenciosa e vazia, elimina Deus da vida das pessoas, etc.,etc., etc.
Que tudo isso sirva de alerta aos pais para que amanhã não venham a estranhar o comportamento dos seus filhos, mesmo menores de idade.

Vocação e perseverança


Irmã Teresita, uma religiosa cisterciense espanhola de 105 anos, que vive no Mosteiro de Buenafuente, na comunidade autônoma de Castilla-La Mancha, assegurou que no claustro “não se pode ficar entediada, por que se não você termina mal” e que “como poderia estar aqui 86 anos sem ser feliz?”.
Em uma entrevista telefônica com o jornal espanhol Correo, a religiosa, batizada como Valeriana Barajuen González de Zarate, em 16 de setembro de 1908, assegurou que “a vocação é uma coisa muito grande e a perseverança não é menos”, embora tenha lamentado que muitas vezes “a vida de conforto prevalece sobre o ‘chamado’”.
Irmã Teresita ingressou no mosteiro aos 19 anos, depois de discutir com sua mãe, para agradar o seu pai, recorda.
“Fomos ver a padroeira de Álava, a Virgem Branca, e lhe pedi a vocação de Santa Teresa”, recordou, deixando para trás “três namorados”.
Entretanto, para a religiosa, “ainda que eu tivesse me casado com um príncipe não seria mais feliz que agora”.
“Eu queria a clausura e não uma comunidade de vida ativa” assegurou ao jornal espanhol.
A religiosa, que chegou a ser abadessa do mosteiro, lembrou que até a guerra civil espanhola, na década de 1930, “a vida era muito diferente. Estávamos as monjas de coro, que trabalhávamos pela comunidade e as leigas. E meu pai dizia que as monjas não trabalhavam!”.
“Sempre foi tudo muito austero”, assinalou, recordando que “mudávamos o hábito uma vez ao mês e o ferro de passar roupa era um pequeno luxo, não como agora”.
A religiosa saiu do convento em duas ocasiões. A primeira durante a guerra civil, para acompanhar suas irmãs ao médico, e em agosto de 2011, para saudar pessoalmente ao Papa Bento XVI, durante sua visita a Espanha com ocasião da Jornada Mundial da Juventude (JMJ).
Durante a viagem a Madri, a religiosa manteve os olhos fechados quase todo o tempo, para que nada a distraíra.
Apesar de sua avançada idade, Irmã Teresita se mantém informada sobre as notícias do jornal, com o que ficou sabendo da crise econômica e outras coisas e “a coisa da política”.
Tenho que inteirar-me, não me vem mau, pois me dá mais motivo para rezar”, assegura.
Irmã Teresita envia sempre “anjos em lugar de orações” às pessoas com as que se encontra ou conversa, porque “os anjos se entendem com tudo”.
A religiosa acorda todos os dias às 5:00 da manhã e vai dormir às 10:00 da noite, dedicada à regra beneditina de “ora et labora“, reza e trabalha.

quinta-feira, 24 de janeiro de 2013

Cientistas desenvolvem células resistentes ao vírus HIV


Por meio de manipulações genéticas, cientistas conseguiram desenvolver em laboratório células do sistema imunológico resistentes ao vírus HIV. No futuro, se a eficácia da terapia genética for confirmada em testes clínicos, ela pode vir a substituir o coquetel. A estratégia envolve a inserção de genes resistentes ao vírus nas células que são o alvo do HIV, chamadas linfócitos T.
A descoberta de pesquisadores da Escola de Medicina da Universidade de Stanford foi publicada esta semana na revista Molecular Therapy, do grupo Nature.
"Nós inativamos um dos receptores que o HIV usa para obter acesso à célula e acrescentamos novos genes para proteger contra o vírus, de forma a termos várias camadas de proteção, o que chamamos de ‘empilhamento’", diz o pesquisador Matthew Porteus, principal autor do estudo.
O vírus entra nos linfócitos T utilizando como porta dois tipos de proteína que ficam na superfície da célula, conhecidas como CCR5 e CXCR4. Sem esses receptores, o vírus não é capaz de entrar.
Os pesquisadores quebraram a sequência de DNA do receptor CCR5 e lá inseriram três genes conhecidos por conferirem resistência ao vírus da aids.
Depois desse verdadeiro trabalho de "recorta e cola" genético, a entrada do vírus na célula é bloqueada, o que o impediria de destruir o sistema imunológico do paciente. Os pesquisadores observam que a terapia não teria a capacidade de curar a infecção, mas sim de reproduzir o efeito do tratamento com o coquetel, com mais eficácia e menos efeitos colaterais.
A busca por uma terapia genética contra o HIV é algo que os cientistas buscam há mais de 20 anos, desde que a existência dos receptores do vírus foi descoberta, de acordo com o infectologista Esper Kallás, professor da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (USP) e membro da Sociedade Brasileira de Infectologia (SBI).
Ele explica que vários grupos procuram uma forma eficaz de bloquear o receptor CCR5, pois se constatou que sua inativação não compromete outras funções do organismo.
"Uma pessoa que não tem CCR5 não morre, pois outras proteínas substituem seu papel; não existe um comprometimento significativo da saúde", diz Kallás, que acrescenta que uma classe de drogas anti-HIV em uso atualmente tem justamente esse princípio.

A Fundação Mozilla anunciou o primeiro smartphone com o FirefoxOS , novo sistema operacional para dispositivos móveis de código aberto, para desenvolvedores. O aparelho foi desenvolvido em parceria pela Geeksphone e pela Telefonica. O produto começará a ser vendido em fevereiro pela Geeksphone, que ainda não divulgou o preço nem as primeiras regiões a receber o produto.
O smartphone é equipado com processador Snapdragon de 1 GHz, tela de 3,5 polegadas com tecnologia multitoque, câmera de 3 megapixels e 512 MB de memória RAM. O produto possui sensor de luminosidade e proximidade, além de giroscópio e GPS, e é compatível com redes Wi-Fi e 3G.
O Firefox OS é um sistema baseado em Linux projetado para explorar ao máximo os recursos da tecnologia HTML5. A ideia é permitir que os aplicativos HTML5 tenham acesso a todos os recursos do sistema e do aparelho. Em plataformas como iOS e Android, apenas aplicativos nativos podem acessar todos os recursos dos celulares.
Segundo a Mozilla, os aplicativos podem interagir diretamente com os recursos do aparelho, como fazer o celular vibrar, fazer uma ligação ou enviar uma mensagem de texto. "Nós não poderíamos ter feito isso sem os desenvolvedores. Agora nós estamos trabalhando para trazer o poder da web para os dispositivos móveis", diz Stormy Peters, diretora de sites e engajamento de desenvolvedores da Fundação Mozilla, no blog oficial.

O que é um casuar¿


O casuar (Casuarius spp.) é uma ave do grupo de aves ratitas de grande porte, nativas do nordeste da Austrália, Nova Guiné e ilhas circundantes.
As três espécies de casuar pertencem à família Casuaridae e são, com a avestruz e a ema, as maiores aves existentes na atualidade. O habitat preferencial do casuar são zonas de floresta tropical, onde haja um grande número de árvores disponíveis para produzir os frutos de que se alimentam. Neste ambiente o casuar desempenha a importante função ecológica de dispersar as sementes das árvores. O casuar é uma figura importante na mitologia das populações nativas da Oceania e representa geralmente uma figura maternal.
A plumagem do casuar é abundante e de cor acinzentada, com penas coloridas na base do pescoço. Estas aves têm uma crista encarnada no alto da cabeça, que cresce devagar durante os primeiros anos do animal e com função desconhecida. O grupo não tem dimorfismo sexual significativo, sendo as fêmeas apenas um pouco maiores e mais coloridas. Uma característica distintiva é a presença de uma garra em forma de punhal presente no dedo interno. Como nos outros strutioniformes, o casuar tem as asas atrofiadas e três dedos em cada pata.
O casuar é uma ave ágil, que pode correr a cerca de 50 km/h e saltar 1,5 m sem qualquer balanço. São animais normalmente pacatos e tímidos que, no entanto podem ser extremamente agressivos e perigosos para o Homem para proteger o ninho ou as suas crias.
Na época de reprodução os machos reclamam um território e procuram atrair uma fêmea, que permanece apenas, até pôr entre de 3 a 5 ovos. Após a postura a fêmea abandona o ninho e pode eventualmente acasalar noutro território. Os machos cuidam sozinhos dos ninhos e das crias durante os nove meses seguintes. Os juvenis são de cor acastanhada e só ganham a plumagem típica do adulto por volta dos três anos.





quarta-feira, 23 de janeiro de 2013

Os filmes de tecnologia para assistir em 2013



Os fãs de tecnologia e de cinema terão um bom ano de lançamentos. Muitos filmes de ficção científica, documentários ou biografias chegarão aos cinemas em 2013.
            Veja uma seleção das novidades mais esperadas para este ano. Então pegue seus gadgets, estoque a pipoca e dê uma olhada na lista:
Jobs
Estréia: abril
            A história do genial inventor do iPhone e iPad será interpretada por ninguém menos que o badalado Ashton Kucther.
            O longa conta a trajetória de Jobs desde a juventude até a criação da Apple, mesclando com o período em que ele se envolveu com drogas e com a contracultura. A direção é de Joshua Michael Stern, com roteiro de Matt Whiteley.
Ainda há outro filme biográfico, em produção pela Sony Pictures, com roteiro de Aaron Sorkin, redator de “A Rede Social”, “The Newsroom” e “The West Wing”.                 Este será baseado na biografia escrita por Walter Isaacson e também deve chegar aos cinemas ainda em 2013.
Star Trek Into Darkness
Estreia: julho
Capitão Kirk, Spock e companhia estarão de volta em mais um episódio da épica saga de Star Trek. Produzido pela Paramount e dirigido por J.J. Abrams, criador de Lost e Fringe, o filme relatará uma história em que os tripulantes da Enterprise terão que acabar com uma arma de destruição em massa.
Robopocalypse
Estreia: 2013, sem mês definido
Um prato cheio para os fãs de ficção científica. Inspirado no livro de Daniel H. Wilson, Ph.D em robótica e contribuidor da revista Popular Mechanics, o filme exibirá um futuro pós-apocalíptico dominado por robôs. Um grupo de humanos sobreviventes lutará contra a ameaça tecnológica instalada no mundo.
Ah, sim! O filme será dirigido por Steven Spielberg (Tubarão, Indiana Jones e muitos outros).
TPB:AFK
Estréia: 2013, sem mês definido
A história de um dos maiores sites para baixar arquivos piratas será contada em um documentário. O filme tratará sobre os fundadores do The Pirate Bay, de sua luta contra a mídia e as revoluções que o serviço proporcionou.
Produzido de forma independente, o longa será distribuído gratuitamente na internet.
Downloaded
Estreia: março
O Napster, serviço pioneiro no compartilhamento de arquivos na internet, também vai virar documentário. O filme relatará a jornada do Napster desde o nascimento, em 1998, até a sua venda à Rhapsody, loja de música online, em 2011. Na trajetória será possível acompanhar mais detalhes da briga do Napster com a indústria da música e como ele perdeu audiência para outros serviços como iTunes e Spotify.
Homem de ferro 3
Estreia: abril
O milionário e sagas Tony Stark voltará aos telões com sua armadura ultra-tecnológica. Dirigido por Shane Black, escritor do filme "Máquina Mortífera", o filme contará com um exército de combatentes, criado a partir da nanotecnologia Extremis.
Robocop
Estréia: agosto
Outro clássico da ficção científica. Desta vez, o policial biônico terá uma nova história, iniciada a partir do zero. No novo filme, dirigido pelo brasileiro José Padilha (Tropa de Elite), o policial Alex Murphy terá seu corpo salvo pela OmniCorp, que o transformou em ciborgue. Com sua vida remodelada, terá que enfrentar perigos e desafios cada vez maiores no ano de 2029.
Detona Ralph
Em cartaz
Produzido pela Disney, o filme conta a história de Ralph, um vilão dos videogames que quer se tornar mocinho. A divertida e infantil animação conta com uma série de referências aos jogos que marcaram época, tornando o filme um prato cheio para as “crianças mais adultas” que gostam de videogames.
Fonte - olhardigital
 
BLOG DO ANDRÉ CAFÉ
SÓ JESUS SALVA
//