Redes Social



twitterfacebookgoogle pluslinkedinrss feedemailhttps://www.wowapp.com/w/andrecafe/joinhttps://www.instagram.com/andrecafee/

sexta-feira, 13 de abril de 2012

Nanotecnologia na detecção da tuberculose


Pedro Viana Baptista e Miguel Viveiros Bettencourt, ambos investigadores da Universidade Nova de Lisboa (UNL), recorreram às nanotecnologias para desenvolver um teste que deverá permitir detectar com grande sensibilidade, a baixo custo e sem equipamentos sofisticados, o bacilo da tuberculose e as suas mutações genéticas mais frequentemente implicadas na resistência aos antibióticos.
Nesta sexta-feira vão receber o Prêmio de Mérito Científico Santander Totta/Universidade Nova de Lisboa, numa cerimônia na reitoria da UNL, que contará com a presença de Jorge Sampaio, enviado do secretário-geral das Nações Unidas para a tuberculose.


O sistema que desenvolveram baseia-se na utilização de nanopartículas de ouro ligadas a “sondas” de ADN destinadas a reconhecer (por complementaridade das bases do ADN) sequências genéticas específicas do bacilo Mycobacterium tuberculosis. Quando uma solução destas nanossondas, inicialmente de cor vermelha intensa, é colocada em presença do ADN proveniente de uma amostra biológica a testar e é acrescentado sal comum, se o bacilo estiver presente a cor permanece a mesma, mas na ausência dele vira de forma abrupta para azul. Trata-se da “primeira descrição de utilização de nanopartículas de ouro coloidal para a detecção específica de Mycobacterium tuberculosis”, explicam os cientistas. 



O sistema também recorre à amplificação (aumento do número de cópias) do ADN das amostras, processo que necessita de temperaturas de apenas 35 a 40 graus Celsius e pode, portanto ser facilmente atingida recorrendo a fogões ou fornos solares, “de fácil implementação em zonas distantes de laboratórios equipados”, salientam. 



O prêmio, atribuído anualmente e cujo montante é de 25 mil euros, “visa distinguir projetos de investigação a desenvolver por investigadores juniores da UNL de natureza interdisciplinar que envolva, pelo menos, duas das unidades orgânicas desta universidade”, lê-se no regulamento. Neste caso, os autores trabalham, respectivamente, no Departamento de Ciências da Vida da Faculdade de Ciências e Tecnologia e no Instituto de Higiene e Medicina Tropical.

Nenhum comentário:

 
BLOG DO ANDRÉ CAFÉ
SÓ JESUS SALVA
//