Redes Social



twitterfacebookgoogle pluslinkedinrss feedemailhttps://www.wowapp.com/w/andrecafe/joinhttps://www.instagram.com/andrecafee/

segunda-feira, 30 de abril de 2012

Primeiro pé biônico simula as funções do pé humano




Recentemente a iWalk, empresa que fabrica próteses, apresentou o BiOM, um pé biônico que esteve em desenvolvimento pelos últimos 20 anos. O que o tornaria diferente de uma prótese comum é que ele replica perfeitamente a “ação” do pé, tornozelo, calcanhar e tendões, como se houvesse osso, pele e músculo de verdade.


Isso quer dizer que, para usar o BiOM, a pessoa não precisa gastar mais energia para “arrastar” um pé mais pesado ou mais leve, acarretando problemas posturais e, em alguns casos, ganho de peso e diabetes. Caminhar com um pé desses não é difícil – funciona como se o usuário tivesse o pé de volta: de acordo com pacientes que participaram dos testes a sensação é de caminhar sobre areia. Segundo a empresa, não há problemas de estabilidade e equilíbrio.


Durante os testes do pé biônico, apenas um paciente decidiu que não usaria o BiOM – mas, segundo o presidente da iWalk, Tim McCarthy, apenas porque ele era muito sedentário e achou que seria um desperdício que a invenção ficasse com ele e não com alguém que a usasse mais.


O próximo passo da empresa é desenvolver próteses similares para outros membros, inicialmente para substituir joelhos. O conceito seria o mesmo do BiOM: simular tendões, juntas e o peso certo para que o usuário não sofra problemas de adaptação.


O MAIOR PEIXE DE ÁGUA DOCE JÁ PESCADO NO MUNDO



Pescadores da cidade tailandesa de Chiang Khong capturaram o que é, provavelmente, um dos maiores peixes de água doce já vistos. Com 292kg e conhecido como bagre gigante do rio Mekong, o animal é estudado pelo WWF em parceria com a National Geographic Society que atuam na região para evitar a extinção da espécie.

Pesando o mesmo que um urso pardo, o bagre do rio Mekong é uma das várias espécies de peixes de água doce gigantes ameaçados de extinção.

“Ficamos felizes com o recorde que estabelecemos, ao mesmo tempo fico preocupado porque este tipo de peixe gigante é pouco estudado e está muito ameaçado. Alguns deles, como o próprio bagre de Mekong, têm alto risco de desaparecerem”, afirmou o pesquisador do WWF, Zeb Hogan.

Os peixes de água doce gigantes estão em extinção no mundo todo, inclusive no Brasil. A maior espécie encontrada nos rios brasileiros é a piraíba que atinge até 2,8m e tem ampla distribuição na bacia amazônica. Por sua característica migratória, os bagres sofrem especialmente o impacto de grandes obras de infra-estrutura, especialmente represas e reservatórios que impedem a mobilidade da espécie. A dourada e a piramutaba, por exemplo, são bagres nacionais conhecidos por realizarem as mais longas migrações de peixes em qualquer bacia hidrográfica do mundo.


Nanoarte

Desenvolvida por profissionais de áreas como física, química, engenharia, medicina e biologia, a nanotecnologia lida com partículas invisíveis mesmo para um microscópio comum - trata-se de medidas em nanômetro, unidade 1 milhão de vezes menor que 1 mm. Com o aumento significativo das pesquisas envolvendo a nanotecnologia, surgem aparelhos de medicina, computação e até mesmo materiais que impedem o acúmulo de gorduras no fogão. E também nasce um novo tipo de expressão artística: a nanoarte.

A sobreposição de partículas de materiais como óxido de prata, óxido de ferro, polímeros, entre outros, formam imagens únicas, que lembram componentes da natureza como flores e rios. Suas formas são captadas em preto e branco por microscópios de altíssima resolução que realizam fotografias. Depois de captada, um editor de imagens dá o seu toque artístico complementando com cores a partir de um programa de computador.

No Brasil, essa atividade começou a ser praticada em 2009 por um grupo de estudiosos da Universidade Federal de São Carlos (UFSCar) e da Universidade Estadual Paulista (Unesp). "Achávamos que estávamos criando algo inovador no mundo, mas depois descobrimos que obras semelhantes eram feitas anteriormente pelos Estados Unidos", conta o coordenador do projeto e professor do Instituto de Química da Unesp Elson Longo. Ele se refere ao cientista que iniciou a nova modalidade de arte no mundo, o americano Cris Orfescu.

Segundo o professor, o projeto Nanoarte teve início com a ideia de difundir a ciência para um público maior de uma forma diferente. "Queríamos mostrar para as pessoas a estrutura de um material em nanoescala. Para isso, colorimos as imagens e a transformamos em um quadro de pintura", explica. Longo afirma então que a ideia é fazer com que a população se interesse pela atividade dos cientistas e compreenda que os materiais possuem diferentes formas e propriedades.

As obras podem expostas em formato de fotografias ou vídeos. O grupo de pesquisadores está apresentando seus exemplares principalmente na região de São Paulo, mas elas também já circularam pela Europa e pelos Estados Unidos. Foi em Nova York que o Brasil obteve destaque, recebendo prêmios na Mostra Internacional de Nanoarte, ocorrida em 2010. A imagem Net-like, do pesquisador Ricardo Tranquilin, ficou em segundo lugar, e Bees at home, da técnica Daniela Caceta, obteve a quarta posição.

Os exemplares de nanoarte são vendidos a preços que vão de US$ 3 mil até US$ 14 mil. Para o professor da Unesp, o alto valor é justificável. "Quem pode ter um aparelho de mais de 1 milhão de euros para produzir uma obra como essa?", indaga, referindo-se ao custo do microscópio de alta resolução que possibilita a captação da figura. Além disso, Longo ressalta que pelo seu difícil e oneroso modo de produção as imagens obtidas acabam sendo únicas, diferente de obras tradicionais, que podem ter semelhanças entre si.

Os curiosos ou admiradores da nanoarte não precisam, porém, desembolsar tamanha quantia para apreciar as obras. Basta acessar o YouTube e pesquisar o assunto. É possível ainda encomendar um DVD com vídeos e fotos do projeto pelos e-mails de Elson Longo (elson@iq.unesp.br) ou dos autores das imagens Rorivaldo Camargo (rorivaldo@liec.ufscar.br) e Ricardo Tranquilim (ricas@liec.ufscar.br).

sábado, 28 de abril de 2012

Internet: velocidade 10 vezes mais com 4G

A Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) lançou nesta sexta-feira a licitação das faixas de frequência de 2,5 gigahertz (GHz), destinadas à telefonia de quarta geração (4G). A tecnologia promete uma velocidade de tráfego de dados 10 vezes maior que a tecnologia 3G atual. Isso significa que, dos atuais 1 Mbps de velocidade média disponível hoje na internet móvel 3G, os usuários devem se conectar com velocidades de 9 Mpbs a 12 Mbps com a quarta geração, segundo o ministro das Comunicações, Paulo Bernardo.
A frequência do 4G é mais alta que a do 3G usada hoje. A diferença entre baixas e altas frequências de telefonia é similar às características das rádios AM e FM: quanto menor a frequência, menor a qualidade do sinal e maior a área de abrangência; quanto maior a frequência, maior a qualidade e menor a área de abrangência.
Assim, as altas frequências - como a do 4G - são ideais para a transmissão de grande quantidade de dados em áreas menores (e de maior concentração populacional, como as grandes cidades), o que requer maior quantidade de antenas, investimento que é compensado pela maior demanda de serviços. Já as frequências mais baixas são mais adequadas para áreas rurais e regiões remotas, onde a concentração populacional (ou a demanda pelos serviços) é menor.
Juntamente com o leilão do 4G, o governo também licitará as faixas de 450 megahertz (MHz) para ampliar a cobertura dos serviços de telefonia e, em alguns casos, levar a internet às áreas rurais.
Ao contrário do leilão do 4G, que busca o maior preço possível, o leilão do 450 MHz buscará o menor preço para oferecer ao consumidor. O edital prevê que a cesta de serviços para esse leilão deverá ter preço máximo de R$ 63, sem impostos. Ela leva em consideração uma franquia de 100 minutos para usuários pós-pagos, sendo aproximadamente R$ 30 para serviços de voz e R$ 32 para dados.

Tecnologia no futebol: ¿foi gol ou não, isso pode?


A Fifa confirmou nesta sexta-feira, em comunicado oficial, que os sistemas das empresas Hawk-Eye e GoalRef serão submetidos a testes entre maio e junho, para verificar se suas tecnologias são capazes de determinar com precisão se uma bola ultrapassou totalmente a linha do gol. Os testes serão conduzidos pelos Laboratórios Federais Suíços de Ciência e Tecnologia de Materiais.
As duas companhias haviam sido aprovadas pela Fifa em março para que pudessem disponibilizar suas tecnologias. As análises serão compostas por quatro elementos: teste de campo (em estádios escolhidos pelas empresas); testes com vários jogadores próximos do gol; testes de laboratório, simulando variações climáticas e de umidade; e por último, partidas reais de futebol profissional.
Nos testes em partidas oficiais, apenas o fiscal dos laboratórios terá acesso às respostas da tecnologia, deixando os árbitros e auxiliares de fora do processo. Portanto, o dispositivo não terá influência no resultado final dos jogos, que deverão ser a final da Hampshire FA Senior Cup (torneio das divisões menores da Inglaterra) e alguns jogos do Campeonato Dinamarquês.
Após os dados dos testes terem sido coletados, eles serão fornecidos à International Board, órgão que tem o poder de modificar as regras do jogo, para que uma decisão final sobre o uso da tecnologia no futebol seja tomada em 2 de julho. Nesta data, a International Board fará uma reunião especial em Kiev, na Ucrânia.

sexta-feira, 27 de abril de 2012

Nano: vidro autolimpante, antiembaçante e antireflexo


Cientistas do Massachusetts Institute of Technology (MIT) lançaram mão de nanotecnologia para desenvolver um vidro antiembaçante, autolimpante e antirreflexo. Na superfície do vidro, camadas muito finas criam uma lâmina de minúsculos cones.
A altura deles é cinco vezes maior do que a largura, mas de tamanho comparável ao grão de areia. Este padrão praticamente elimina reflexos e repele a água.
Os pesquisadores filmaram uma gota de água caindo sobre o vidro com a tecnologia. A textura do vidro empurra o líquido para cima, o que faz lembrar uma pequena bola de borracha quicando no chão. O trabalho foi publicado na revista "ACS Nano"
A expectativa é que o vidro com a nanotextura possa ser fabricado em larga escala, com baixo custo e grande aplicabilidade. Ele poderia ser aproveitado em sensores óticos, telas de celulares (sobretudo smartphones), televisores, carros e mesmo em janelas de prédios ou casas.
As placas de geração de energia solar chegam a perder 40% de sua eficiência em seis meses por causa de sujeira acumulada na superfície. O problema seria muito reduzido com a nova tecnologia. Além disso, o painel seria mais eficiente. O vidro convencional pode refletir até metade dos raios de sol, dependendo da incidência dos raios. Com a nanotextura, essa porcentagem seria praticamente insignificante.

quarta-feira, 25 de abril de 2012

Tecnologia bélica: Brasil pede aos EUA colaboração


O ministro de Defesa brasileiro, Celso Amorim, pediu nesta terça-feira ao secretário de Defesa dos Estados Unidos, Leon Panetta, colaboração na área militar, incluindo a transferência de tecnologia.
Amorim e Panetta se reuniram nesta terça-feira em Brasília na primeira reunião do comitê binacional de cooperação em assuntos de defesa, cuja criação foi acordada há três semanas em Washington entre o presidente dos EUA, Barack Obama, e  Dilma Rousseff.
Na reunião, que durou cerca de 1h, Amorim propôs ao americano colaborar em acordos envolvendo transferência de tecnologia bélica ao país sul-americano.
Na entrevista coletiva posterior ao encontro, o ministro precisou que o Brasil não reivindica a doação de tecnologia, mas o "acesso" a esses meios e, por sua vez, manifestou seu interesse em dialogar sobre questões "mais amplas" na área de segurança e defesa.
A transferência de tecnologia é um dos requisitos que costuma exigir o Governo do Brasil em seus acordos internacionais de compra de máquinas e veículos.
Os Estados Unidos se comprometeram recentemente em transferir a tecnologia de fabricação dos caças de combate Super Hornet F/A-18 da Boeing, se o Brasil aderir pela oferta americana em uma licitação para a compra de 36 aviões deste tipo.
Na disputa por fornecer as aeronaves também a companhia francesa Dassault, com seus caças Rafale, e a sueca Saab, com o modelo Grippen.
A visita de Panetta a Brasília faz parte de um roteiro pela América Latina. Ontem, o secretário americano esteve na Colômbia. Antes de retornar aos EUA, ele irá na sexta-feira ao Chile.

Nanotecnologia: novo arma contra envelhecimento da pele


A luta incansável contra a aparência cansada da pele pode ganhar um novo aliado. A Faculdade de Ciências Farmacêuticas, da Universidade Estadual Paulista (Unesp), apresentou uma nova formulação baseada em pesquisas em nanotecnologia para combater o envelhecimento cutâneo. Os primeiros testes em pessoas mostraram-se eficaz no combate às rugas, sem causar irritação.
O pesquisador desenvolveu uma nova formulação para transportar o palmitato de retinol, substância muito empregada nos cremes anti-idade convencionais. De acordo com Chorilli, a nanotecnologia foi empregada para melhorar a estabilidade e ação da formulação, tornando o retinol mais eficaz.
— O inovador é a possibilidade de obtenção de cristais líquidos com silicones, menos agressivos que os tensoativos convencionais. A formulação penetra nas camadas mais internas da epiderme e controla a velocidade do princípio ativo que é liberado — diz o pesquisador.
Os estudos do farmacêutico começaram há três anos. Na última fase, 32 voluntárias, com idade entre 30 e 45 anos, utilizaram um creme teste para avaliar a eficácia da fórmula. As voluntárias aplicaram o creme por 30 dias na área ao redor dos olhos. No fim do período, o especialista constatou uma diminuição no tamanho e profundidade das rugas na região, e percebeu uma melhoria na comparação com a área que não recebeu o cosmético.
O próximo passo, segundo Chorilli, é incorporar o palmitato de retinol e outras vitaminas nos produtos anti-idade. O pesquisador garante que a etapa para desenvolver o cosmético é “relativamente simples”, e a descoberta poderia ser empregada em breve no mercado. O pesquisador não cita valores, mas garante que o produto é economicamente viável.

terça-feira, 24 de abril de 2012

Comissão de juristas aprova criminalização do enriquecimento ilícito

A comissão de juristas que prepara anteprojeto da reforma do Código Penal no Senado aprovou nesta segunda-feira (23) a criminalização do enriquecimento ilícito.
Significa que devem responder na Justiça os servidores, juízes ou políticos, por exemplo, que não puderem comprovar a origem de valores ou bens, sejam eles móveis ou imóveis. A previsão de pena varia de 1 a 5 anos. Além disso, o bem deverá ser confiscado.
Para o relator da reforma, Luiz Carlos dos Santos Gonçalves, trata-se de 'um momento histórico na luta contra a corrupção no Brasil'.
"Criminalizamos a conduta do funcionário público que enriquece sem que saiba como. Aquele que entra pobre e sai rico", afirmou.
Segundo Gonçalves, não há qualquer previsão desta natureza hoje no Código.
"O país está descumprindo tratados internacionais contra corrupção, que determinam a criminalização. Estamos levando essa proposta para o Senado e os representantes do povo vão discuti-la", completou.
O texto prevê ainda que a punição seja aumentada em metade ou dois terços caso a propriedade ou posse seja atribuída a terceiros. Caso se prove também o crime que deu origem ao enriquecimento, como corrupção ou sonegação, por exemplo, o réu deixa de responder por enriquecimento ilícito e passa a responder pelo outro crime, que, em geral, tem a pena mais alta.
A mudança do anteprojeto de reforma do Código Penal deve ser entregue até o fim de maio para votação do Senado. Em seguida, as modificações serão apreciadas pela Câmara dos Deputados.

Tecnologia: novo controle digital de energia da CPU

Prometendo oferecer maior precisão nos ajustes de tensão para melhorar a eficiência, a estabilidade e a performance da placa-mãe, a ASUS foi a primeira no mundo a oferecer a tecnologia Dual Intelligent Processors, que usa dois chips integrados: o TPU (Unidade de processamento TurboV) e o EPU (Unidade de processamento de Energia). Atualmente, em sua terceira geração, a tecnologia traz também o novo controle de energia DIGI+, que possui três reguladores digitais de tensão, permitindo ajustes extremamente precisos não só para a alimentação da CPU, mas também para as memórias.

O DIGI+ atua em conjunto ao Identificador Digital de Tensão (SVID) do processador, detectando e respondendo rapidamente às mudanças de carga; evitando desperdício de energia e melhorando o desempenho e a estabilidade do sistema.
Com os controladores digitais programáveis, o usuário pode atingir níveis de desempenho sem precedentes em overclock, graças a um controle preciso sobre as voltagens da CPU e das memórias, com opções como Load-Line Calibration também para o VCCSA, até 30% a mais de corrente na alimentação das memórias e ajuste “on the fly” da frequência de trabalho de cada VRM.
A ASUS defende que com todas essas opções e ferramentas intuitivas, como o TurboV e o BIOS UEFI com interface gráfica, fazer overclock em sistemas com grande quantidade de memória é tão fácil quanto em máquinas mais simples.

Tecnologia: novo iPhone ainda mais fino

A nova geração do iPhone, o smartphone da Apple, que é esperada para o segundo semestre de 2012, deve adotar uma nova tecnologia que permitirá que ele seja mais fino que o iPhone 4S. A informação é do site da revista Wired.

A nova tecnologia "in-Cell", usada pela Sharp e pela Toshiba Mobile Display (TMD), "funde" o sensor de toque à tela LCD, eliminando uma camada do smartphone. Atualmente, como compara a Wired, o iPhone é um "sanduíche" com três camadas: uma camada de vidro, uma camada para o sensor de toque e outra camada para o LCD.

Com isso, o novo iPhone poderá ser 0,44 mm mais fino em relação ao iPhone 4S, que tem 9,3 mm de espessura. Para o analista Min-Chi Kuo, que falou que o desejo da Apple é quebrar a barreira dos 8 mm fazendo o novo smartphone ter 7,9 mm de espessura.

Além disso, o novo iPhone deverá ser, pelo mesmo motivo da fusão de camadas na tela, mais leve. Atualmente, a última geração do smartphone no mercado pesa 140g.

Pernambuco pede apoio contra a seca


A seca que atinge várias cidades nordestinas será pauta de uma reunião entre governadores e uma equipe de ministros do governo federal, nesta segunda-feira, em Aracaju, Sergipe. O governador Eduardo Campos confirmou participação no encontro. Pernambuco está na expectativa de viver uma das piores secas da história.

Diagnóstico do governo do Estado aponta que tem chovido de 50% a 75% menos do que a média histórica dos últimos 30 anos no Sertão e Agreste. Já são 29 municípios em estado de emergência por causa da estiagem. Mais de 300 mil pessoas estão diretamente atingidas pela seca.

Na última sexta-feira, a cúpula do Executivo estadual se reuniu para consolidar os dados em um documento que será entregue pelo governador no encontro desta segunda. Antes da viagem, o governador se reúne com a equipe para reavaliar a pauta de discussão e definir valor para novas obras solicitadas pelo Estado.
Fonte- JC

domingo, 22 de abril de 2012

Porque nós católicos acendemos velas



Por que se acende uma vela a Deus ou a um santo? Para comprá-los a fim de alcançar uma graça? Ou para apaziguá-los a fim de ficarmos livres de um mal que nos atormenta ou de uma desgraça que nos ameaça? Nem um nem outro.
O sentido da vela acesa é muito mais nobre e mais profundo.

Símbolo de consumação

Deus é nosso Criador e nós, suas criaturas; quer dizer que tudo o que somos e tudo o que temos nos foi dado de graça por Deus. Por conseguinte, seu poder sobre nós é absoluto e seus direitos ilimitados. Pode até exigir a nossa própria vida em sacrifício. Até os povos pagãos reconheciam esse direito a seus falsos deuses. Por isso ofereciam-lhe sacrifícios humanos (crianças, geralmente, por causa de sua inocência), para acalmar a sua ira ou conseguir o que desejavam.

A Bíblia Sagrada nos diz também que o Deus verdadeiro pediu a Abraão que lhe sacrificasse seu filho único Isaac. Abraão obedeceu. Mas no instante em que segurava a faca para matar o filho em cima da fogueira, Deus enviou seu Anjo que reteve a mão do pai e substituiu o filho por um carneiro (Gn 22). Deus mostrava, assim, que os sacrifícios humanos não são agradáveis a seus olhos e que só quis pôr à prova a fidelidade e a obediência de seu servo.

Na história da humanidade houve um só sacrifício de seu próprio Filho feito homem, Nosso Senhor Jesus Cristo, na cruz, para a salvação e a redenção do gênero humano. Esse sacrifício continua renovando-se misticamente, de modo incruento, onde houver um sacerdote e um altar.


Que relação pode haver entre um sacrifício e uma vela acesa? A vela acesa substitui, perante de Deus, a pessoa que a acende: consome-se, como se fosse um holocausto oferecido a Deus. O holocausto era, na Antiguidade e na lei mosaica, o sacrifício mais perfeito, porque por ele a vítima era oferecida a Deus e queimada, por inteiro, em reconhecimento a seu poder e direito absolutos sobre quem a oferecia. A vela acesa é um holocausto em miniatura.

A pessoa adquire a vela, que passa a lhe pertencer, a ser sua. Acende-a para ser consumida em seu lugar.

Uma vela acesa a Deus simboliza, portanto, a adoração e a entrega total de quem a acende ao Deus Todo Poderoso, Senhor e Criador de todos os seres. Uma vela acesa a um santo tem o mesmo simbolismo, só que este sacrifício é oferecido a Deus por intermédio daquele santo. É claro que está longe de ter o mesmo valor do sacrifício eucarístico, cujo valor é infinito, visto que por ele é o próprio Homem-Deus que se oferece a seu Pai. Mas nem por isso deve ser desprezado ou abolido. Deve-se, sim, evitar a má interpretação e o exagero, isto é, evitar dar-lhe maior valor do que ele tem. Vela acesa é, pois, símbolo de consumação.

Símbolo de Cristo, Luz do mundo

A vela acesa tem também outro simbolismo. Irradiando luz iluminadora, simboliza Cristo “Luz do mundo”, conforme ele próprio se qualificou. Por isso, nos ofícios litúrgicos, usam-se velas acesas, sobretudo durante a semana santa e o tempo pascal.

Por que Acender Velas?

O costume de acender velas tem origem nas prescrições do Antigo Testamento: “O Senhor disse a Moisés: “Ordena aos israelitas que te tragam óleo puro de olivas esmagadas para manter, continuamente acesas as lâmpadas do candelabro. Disporás as lâmpadas no candelabro de ouro puro para que queimem continuamente diante do Senhor”. Lev 24, 1-4.

A vela acesa, enquanto rezamos, tem como idéia básica a “LUZ” como oposição às “trevas” está nas suas raízes: Por exemplo, o profeta Simeão falou da vinda de Cristo como “Luz para iluminar as nações” (São Lucas, 2,20). Simeão refletia consigo mesmo a profecia do profeta Isaías sobre a vinda do Messias: “O povo que andava nas trevas viu uma Grande Luz; sobre aqueles que habitavam na sombra da morte resplandeceu uma Luz” Is 9,1. Esta profecia cumpriu-se no Novo Testamento, quando a Virgem Maria apresentou seu filho Jesus no templo de Jerusalém. (Lc. 2, 22-32:). Também Jesus identificou-se a si mesmo com estas palavras: “Eu Sou a LUZ do mundo, aquele que me segue não andará nas trevas, mas terá a Luz da Vida” Jo 8,12.

Acender velas é um meio poderoso de unir a nossa oração individual com a oração da Igreja e com Nosso Senhor Jesus Cristo, a Luz do mundo. Mas atenção: as velas não devem substituir nossas orações nem devemos esperar efeitos mágicos delas. Mas, como expressão de nossa presença diante do Altíssimo, para louvá-Lo e depois suplicar que Sua luz ilumine as trevas de nossos pecados, fazendo-nos deles tomar consciência para um sincero arrependimento, pedido de perdão, de ajuda e proteção na vida.
Agora que você já sabe porque acendemos velas, faça a sua brilhar agora. Clique aqui

sábado, 21 de abril de 2012

Governo Brasileiro faz parceria para expandir uso de tablets, smartphones e internet móvel

O Ministério das Comunicações anunciou nesta sexta-feira (20) uma parceria com a norte-americana Qualcomm para expandir a banda larga móvel no Brasil e o uso de tablets e smartphones.

A empresa é líder mundial em tecnologia de telecomunicações e vai montar em São Paulo um centro de tecnologia para desenvolver aplicações destinadas a smartphones e tablets, em colaboração com empresas fabricantes.

É a primeira vez que a empresa americana, líder mundial em tecnologia sem fio, faz acordo desse tipo com um país da América Latina. Está previsto também no acordo a criação de um laboratório de testes, mas a empresa se esquivou de revelar o volume dos investimentos.

O ministro das Comunicações, Paulo Bernardo, informou que já discutiu com o Ministério da Fazenda a possibilidade de o governo promover desoneração para os novos dispositivos que forem desenvolvidos com o fim de "massificar de forma mais rápida as telecomunicações". O foco principal é o meio rural, onde esses serviços são deficientes. O objetivo do governo é levar tecnologia de quarta geração para a zona rural, com o uso da frequência de 450 megahertz, ideal para áreas distantes.

Bernardo já discutiu a questão da desoneração com o secretário-geral do Ministério da Fazenda, Nelson Barbosa. De acordo com o ministro, não haverá prejuízo de arrecadação com novas desonerações.

— Não vamos abrir mão de receita que já existe, porque estaremos trazendo produção do exterior para cá, permitindo aumento de receita e não redução. E novas fábricas poderão gerar muitos empregos e pagar tributos. É o mesmo tratamento que damos aos computadores, laptops, netbook e tablet.

A Qualcomm vai participar também do programa Ciência sem Fronteiras, dos ministérios da Ciência, Tecnologia e Inovação e da Educação, na concessão de bolsas para estudantes interessados em desenvolver conhecimento nessa área.

O presidente da Qualcom Incorporated, Rafael Steinhauser, prevê que os dispositivos de telecomunicações deverão passar a trabalhar sempre em plataformas de comunicação em nuvem, que permite acesso irrestrito em quaisquer partes do mundo. Segundo ele, a plataforma sem fio é a principal plataforma computacional utilizada no mundo.

— No mundo do celular, como do computador e da TV, tudo está convergindo para o sistema de plataformas operacionais não só abertas, que permitem utilização de aplicativos no mundo inteiro, mas também usando a plataforma com aplicativos em nuvem. O Brasil precisa participar disso também, de forma que o usuário faça acessos com o mundo inteiro, independentemente da marca de seu aparelho. Tudo isso é muito importante também na própria indústria, na área da publicidade, na área social, na mídia, na saúde, na educação e na área de entretenimento e de jogos.

sexta-feira, 20 de abril de 2012

Manaus: primeiro Laboratório de Nanotecnologia é inaugurado

Em 2009, o professor Lizandro Manzato, com o apoio de pesquisadores do Instituto Federam do Amazonas (Ifam), idealizaram o projeto do que seria o primeiro laboratório de pesquisa em nanotecnologia da região Norte do País. Agora, três anos depois de buscar e conseguir recursos, o grupo de pesquisadores irá inaugurar o Laboratório de Síntese e Caracterização de Nanomateriais (LSCN).
O laboratório será inaugurado hoje (20), a partir das 16h, e tem como principais áreas de pesquisa a síntese e a caracterização de diversos tipos de materiais nanoestruturados, em particular, os nanopós.
O investimento inicial vai propiciar o desenvolvimento de novos materiais para aplicação em diversas áreas, como agricultura, biologia, química, materiais de construção, cerâmica e produtos farmacêuticos. Contribuir na inovação tecnológica e na geração de capital intelectual especializado para o nosso Estado é a grande meta desta iniciativa.
O LSCN conta com uma equipe própria do Ifam e participação de doutores do Departamento de Física da Universidade Federal do Amazonas (Ufam), além de um pesquisador visitante de Cuba, por meio de convênio com a Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Amazonas (Fapeam).
Equipamentos - Atualmente, o LSCN está recebendo os últimos equipamentos importados, tendo três moinhos de alta energia, um moinho planetário de última geração, um moinho criogênico, um analisador de tamanho de partícula, um difratômetro de bancada e um calorímetro exploratório de varredura.

quarta-feira, 18 de abril de 2012

Próstata: novo tratamento contra câncer causa menos efeitos colaterais

Um novo tratamento contra o câncer de próstata, que utiliza ondas sonoras de alta frequência, pode ser uma alternativa viável à cirurgia e à radioterapia com menos riscos de causar incontinência urinária e impotência, afirmaram cientistas em artigo publicado nesta terça-feira (17).

Um teste clínico, financiado pelo Conselho de Pesquisas Médicas britânico examinou a eficácia de um novo tratamento, conhecido como ultrassom focalizado de alta intensidade (HIFU, na sigla em inglês), capaz de alcançar áreas medindo apenas alguns milímetros.

"Os resultados demonstram que 12 meses depois do tratamento, nenhum dos 41 homens do teste tiveram incontinência urinária e apenas 1 em 10 teve ereção fraca, ambas efeitos colaterais comuns do tratamento convencional", relatou um comunicado sobre o estudo, publicado na revista Lancet Oncology.

"A maioria dos homens (95%) também ficou livre do câncer depois de um ano", acrescentou.

O câncer de próstata é a forma mais comum de câncer em homens.

O tratamento convencional consiste em radioterapia ou remoção cirúrgica da próstata, métodos que podem danificar o tecido saudável circundante, provocando em alguns casos disfunção erétil ou incontinência.

O HIFU atinge uma pequena área afetada pelo câncer. As ondas sonoras fazem com que o tecido vibre e esquente, matando as células cancerosas.

O procedimento é feito com anestesia geral e a maioria dos pacientes tem alta 24 horas depois, destacou o comunicado.

"Nossos resultados são muito encorajadores", afirmou o doutor Hashim Ahmed, que chefiou o estudo.

"Estamos otimistas de que homens diagnosticados com câncer de próstata possam, em breve, se submeter a um procedimento cirúrgico de um dia, que possa ser repetido com segurança uma ou duas vezes, para tratar seu problema com muito poucos efeitos colaterais. Isto representaria uma melhora significativa em sua qualidade de vida", continuou.

Um teste mais amplo será realizado com a finalidade de determinar se o novo tratamento, já em uso em hospitais por vários anos, é tão eficaz quanto o padrão.

terça-feira, 17 de abril de 2012

Sport x Santa Cruz: brigas, vandalismo e mortes marcaram dia de clássico no Recife



Diante do que foi visto o Ministério Público de Pernambuco (MPPE), por meio da 19ª Promotoria de Justiça de Defesa da Cidadania da Capital, com atuação na Promoção e Defesa dos Direitos do Consumidor, vai ingressar com uma ação civil pública para proibir o funcionamento das chamadas torcidas organizadas. A questão é que, segundo o MPPE, “membros de alguns desses grupos têm atuado como organizações criminosas, praticando crimes e perturbando a ordem pública, com repercussões graves que atingem torcedores e a população em geral”.

O documento será encaminhado à Federação Pernambucana de Futebol (FPF), assim como à Polícia Militar de Pernambuco e aos quatro clubes de futebol que ainda disputarão as semifinais do Campeonato Pernambucano de Futebol 2012, além das promotorias de Justiça das Comarcas Araripina, Salgueiro, Petrolina, Vitória de Santo Antão, Paulista, Cabo de Santo Agostinho, Belo Jardim, Santa Cruz do Capibaribe e Caruaru.

A recomendação é assinada pelo promotor Ricardo Coelho, que atua na Promoção e Defesa dos Direitos do Consumidor. De acordo com o texto, “o torcedor tem direito a segurança nos locais onde são realizados os eventos esportivos antes, durante e após a realização das partidas” e por causa dos “graves tumultos recentemente ocorridos entre torcidas organizadas dos clubes de futebol no Estado de Pernambuco, gerando crimes e depredações de patrimônio público e privado dentro e fora dos estádios, nos dias de partidas de futebol do Campeonato Pernambucano de 2012”, a preocupação da promotoria é que com a realização das partidas semifinais e finais da competição, os ânimos dos torcedores tendem a aumentar a ocorrência de situações perigosas para a sociedade como um todo e, por isso, é imprescindível prevenir que haja novas cenas de violência.

Qual o valor de uma medalha de ouro olímpica?

As medalhas de ouro que serão dadas em Londres neste ano serão as maiores e mais pesadas jamais distribuídas em jogos olímpicos de verão. Com 400 gramas, elas serão 17 vezes mais pesadas do que as dos jogos olímpicos de Estocolmo em 1912. Por outro lado, os jogos de 1912 foram os últimos em que as medalhas de ouro foram feitas inteiramente de ouro. Hoje em dia elas são feitas de prata com uma fina camada de ouro como cobertura – 6 gramas é o requerimento mínimo.

A medalha de Londres terá uma proporção de ouro de cerca de 1,5%, e a preços correntes valerá US$ 706. Cálculos da revista Economist descobriram que isto é muito mais do que o “valor de pódio” de quaisquer medalhas de ouro anteriores (baseados na estimativa da composição de medalhas e do preço do ouro à época, ajustados para a inflação). Isto se dá em parte porque os preços de ouro e prata estão em altas históricas e em parte porque a medalha deste ano é tão mais pesada, embora o peso extra seja prata e não ouro.

Pela primeira vez, a prata na medalha de “ouro” deste ano na verdade vale mais do que o seu conteúdo aurífico. Ademais, se os metais das medalhas mais antigas forem avaliados aos preços de hoje, a medalha de ouro de Londres vale um pouco mais da metade daquelas entregues em 1912.

Feira exibe dispositivos que usam o poder mental


Na Gadget Show Live, a maior feira de eletrônicos de consumo do Reino Unido, que terminou neste domingo, em Birmingham, foi testado algumas tecnologias que devem estar presentes em nossas vidas num futuro não muito distante. São produtos que exploram o uso das ondas cerebrais - mais popularmente, o poder 'da mente' -, inclusive um vestido. Entre os mais interessantes estão os que levam o chip da NeuroSky. E eles funcionam, mesmo sendo um pouco mais difíceis de operar - o que importa mesmo são os impulsos cerebrais, e é aí que pode estar à dificuldade maior.
Não adianta simplesmente "pensar na ação que se quer fazer". É preciso colocar a mente em ação para que ela envie ondas para o aparelho. Para fazer isso, vale qualquer truque: contar apenas números ímpares, contar de trás pra frente, soletrar nomes ou outras atividades parecidas. Como requerem concentração, essas atividades fazem as ondas cerebrais ficarem mais "nítidas" para serem captadas pelo eletrodo que, ligado à testa do usuário, vai lê-las.
O primeiro teste foi no MindFlex, um jogo com obstáculos que devem ser superados por uma bolinha. Completando o sistema, uma faixa vai à cabeça de quem está no comando do brinquedo. Essa faixa tem três eletrodos: um vai diretamente à testa e os outros dois são conectados às orelhas - segundo Jennifer Cooke, uma das porta-vozes da empresa, eles "fecham o circuito elétrico". Não há nenhum desconforto, embora a marca do eletrodo fique na testa por algum tempo depois que se tira a faixa. Mas o pior mesmo é a pressão psicológica para fazer o brinquedo funcionar.

Tecnologia: equipamento para preservar prédio e evitar desabamento

Uma visão além das paredes. Pela primeira vez no Brasil, pesquisadores da Universidade Estadual do Rio de Janeiro (Uerj) testam na cidade dois equipamentos importados de última geração que permitem visualizar, em 3D, estruturas de patrimônios históricos. O scanner a laser e a câmera termográfica têm olhar de Raio-X e conseguem, de longe, identificar se há vazamentos ou infiltrações nas paredes e evitar acidentes que depredem o patrimônio. Eles podem ser usados até para impedir desabamentos.

Se a tecnologia já fosse usada no País, casos como o desmoronamento de prédios na Rua Treze de Maio, no Centro, em janeiro, poderiam ser evitados. Segundo o professor de Engenharia Cartográfica da Uerj Jorge Luís Nunes, o ideal seria que todo prédio tivesse a ‘varredura’ antes e depois de reformas. “Também serve como comparação: podemos avaliar se o prédio sofreu modificações”, explica.

sábado, 14 de abril de 2012

Recife será a primeira cidade brasileira a aplicar leis para melhorar a segurança de clientes e bancários


Após dois meses de fiscalização às agências bancárias e milhões em multas aplicadas, a Federação Brasileira de Bancos (Febraban) oficializou a intenção dos bancos do Recife em cumprir as legislações federal e municipal referentes à segurança das agências.
Com a assinatura de um termo de ajustamento de conduta (TAC) entre o Ministério Público de Pernambuco (MPPE) e a Febraban - que deve acontecer no fim da próxima semana - o Recife será a primeira cidade brasileira a aplicar leis para melhorar a segurança de clientes e bancários.
A informação sobre a intenção da Federação de Bancos foi repassada pelo promotor de justiça Ricardo Coelho, na quarta audiência pública para tratar do assunto. Segundo ele, a assinatura do TAC é um "grande avanço" para a segurança bancária no Brasil.
"É um fato inédito no País. A Febraban nos procurou ontem (quarta-feira) para dizer que quer assinar o TAC o mais rápido possível. E isso é o resultado da pressão que fizemos", explicou.
Segundo o promotor, desde agosto do ano passado, quando o MPPE deu entrada com uma ação civil pública para obrigar as agências a cumprirem a legislação, 27 bancos entraram na Justiça.

O ineditismo dessa ação - que reuniu do mesmo lado Ministério Público Estadual, Procon, polícias e sindicatos - já tem repercussão nacional. "Nessa reunião, já vieram Ministério Público Federal e a Agência Brasileira de Inteligência. A tendência agora é que se crie uma nova legislação federal contemplando tudo isso que estamos discutindo desde o ano passado, pois a atual é de 1972", afirmou o promotor.

Com o TAC, os bancos terão que colocar biombos nas agências, dois vigilantes por piso, vidros blindados, entrada exclusiva para carros-fortes entre outras medidas.

De acordo com levantamento da Polícia Civil, este ano 16 bancos já sofreram roubos ou furtos, 11 casos a mais que no mesmo período de 2011 (janeiro a março).

sexta-feira, 13 de abril de 2012

Nanotecnologia na detecção da tuberculose


Pedro Viana Baptista e Miguel Viveiros Bettencourt, ambos investigadores da Universidade Nova de Lisboa (UNL), recorreram às nanotecnologias para desenvolver um teste que deverá permitir detectar com grande sensibilidade, a baixo custo e sem equipamentos sofisticados, o bacilo da tuberculose e as suas mutações genéticas mais frequentemente implicadas na resistência aos antibióticos.
Nesta sexta-feira vão receber o Prêmio de Mérito Científico Santander Totta/Universidade Nova de Lisboa, numa cerimônia na reitoria da UNL, que contará com a presença de Jorge Sampaio, enviado do secretário-geral das Nações Unidas para a tuberculose.


O sistema que desenvolveram baseia-se na utilização de nanopartículas de ouro ligadas a “sondas” de ADN destinadas a reconhecer (por complementaridade das bases do ADN) sequências genéticas específicas do bacilo Mycobacterium tuberculosis. Quando uma solução destas nanossondas, inicialmente de cor vermelha intensa, é colocada em presença do ADN proveniente de uma amostra biológica a testar e é acrescentado sal comum, se o bacilo estiver presente a cor permanece a mesma, mas na ausência dele vira de forma abrupta para azul. Trata-se da “primeira descrição de utilização de nanopartículas de ouro coloidal para a detecção específica de Mycobacterium tuberculosis”, explicam os cientistas. 



O sistema também recorre à amplificação (aumento do número de cópias) do ADN das amostras, processo que necessita de temperaturas de apenas 35 a 40 graus Celsius e pode, portanto ser facilmente atingida recorrendo a fogões ou fornos solares, “de fácil implementação em zonas distantes de laboratórios equipados”, salientam. 



O prêmio, atribuído anualmente e cujo montante é de 25 mil euros, “visa distinguir projetos de investigação a desenvolver por investigadores juniores da UNL de natureza interdisciplinar que envolva, pelo menos, duas das unidades orgânicas desta universidade”, lê-se no regulamento. Neste caso, os autores trabalham, respectivamente, no Departamento de Ciências da Vida da Faculdade de Ciências e Tecnologia e no Instituto de Higiene e Medicina Tropical.

As lições do lápis para nossa vida

Até do lápis a gente pode tirar um lição! Tudo depende do modo como a gente vê as coisas. Há cinco qualidades nele que nos ajudam a refletir:
Primeira qualidade: O lápis é guiado por tua mão. Podes fazer grandes coisas, mas não deves esquecer nunca que existe uma mão que guia teus passos. Esta mão é a mão de Deus, que te ama muito.
Segunda qualidade: De vez em quando precisas usar o apontador. Isso faz com que o lápis sofra um pouco, mas no final, ele está mais afiado.
Portanto, saibas suportar as dores, porque elas te farão melhor.
Terceira qualidade: O lápis sempre permite que usemos uma borracha para apagar aquilo que estava errado.
Corrigir o que erramos é importante para nos mantermos no caminho da justiça.
Quarta qualidade: O que realmente importa no lápis não é a madeira ou sua forma exterior, mas o grafite que está dentro.
Portanto, cuida bem do teu interior e dos teus sentimentos.
Quinta qualidade: Finalmente o lápis sempre deixa uma marca.
Tudo o que fizeres na vida, deixará traços positivos ou negativos. Vai depender da tua conduta moral.

quinta-feira, 12 de abril de 2012

A verdadeira bondade


Bondade é ter uma disposição de alma pela qual a gente deseja sinceramente o bem das pessoas e fica sinceramente alegre com o bem que acontece aos outros.
Cada desdém que recebemos, cada injúria, cada desatenção, será como que uma condecoração a mais que levaremos ao Céu. Será um grau de luzimento a mais que carregaremos por toda a eternidade.

Governo cria Sistema de Laboratórios em Nanotecnologias

Pesquisadores e empresas já podem contar com o Sistema de Laboratórios em Nanotecnologias (SisNano), que acaba de ser oficializado pelo governo.

O SisNano visa desenvolver um programa de mobilização de empresas instaladas no Brasil e de apoio às suas atividades, para atuarem no desenvolvimento de processos, produtos e instrumentação, envolvendo ciência e tecnologia na nanoescala.

A iniciativa tem também como objetivo promover o avanço científico e tecnológico e a inovação na área, além de aperfeiçoar a infraestrutura, o desenvolvimento de pesquisa básica e aplicada, promover a formação de recursos humanos e capacitar o país a desenvolver programas de cooperação internacional.

Laboratórios estratégicos e associados

O sistema será formado por duas categorias de laboratórios, estratégicos e associados.

Os Laboratórios Estratégicos são laboratórios do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI) nos quais a utilização dos equipamentos é disponibilizada a usuários externos, numa fatia nunca inferior a 50% (cinquenta por cento) do tempo de máquinas.

Apesar disso, eles são totalmente financiados pelo MCTI e terão forte missão educacional no âmbito das nanociências e das nanotecnologias.

Os Laboratórios Associados ao SisNano são laboratórios especializados, localizados nas universidades e institutos de pesquisa, nos quais uma fração mínima de 15% do tempo dos equipamentos será disponibilizada a usuários externos à instituição.

Difusão do conhecimento em nanotecnologia

Em sequência à criação do SisNano, a Secretaria de Desenvolvimento Tecnológico e Inovação realizou uma reunião com os Institutos Nacionais de Ciência e Tecnologia (INCTs), ligados ao desenvolvimento da nanotecnologia no Brasil, para ampliar a difusão do conhecimento coletivo entre os órgãos e dar início a um plano de divulgação das ações.

No total, 16 institutos, todos ligados à nanotecnologia, enviaram seus principais pesquisadores e equipes para apresentarem propostas de ações para o plano de divulgação.

"A proposta é ter contato com o que os institutos estão desenvolvendo para, em seguida, começar a estabelecer um material de divulgação da Nanociência e Nanotecnologia para o público em geral, jovens estudantes e empresariado brasileiro," disse o secretário Adalberto Fazzio.

O secretário salientou a necessidade dos diversos laboratórios definirem um tempo a ser aberto para a comunidade utilizar e participar nas áreas definidas como prioritárias.

Ele salientou que os laboratórios vinculados ao SisNano terão prioridade. "Isso funcionará a parte das ações do MCTI. Mas certamente os laboratórios que estiverem vinculados e associados a estes programas terão prioridade com base em critérios, expertise, competência, mérito e região de atuação".

O governo federal ainda deverá anunciar o Comitê Executivo de Nanotecnologia, com participação de nove ministérios.

quarta-feira, 11 de abril de 2012

Nanotecnologia poderá transformar água da privada em água potável

Em breve você não olhará para sua privada com os mesmos olhos. Uma nova pesquisa, desenvolvida pela Universidade de Manchester e financiada pela Fundação do empresário Bill Gates, pretende usar nanotecnologia para transformar água contaminada da privada em água potável.
A inovação vem da extração de energia a partir de dejetos humanos. De acordo com a pesquisadora Sarah Haigh, coordenadora do projeto, a ideia é adicionar uma mistura de bactérias e nanopartículas de metais à água do vaso sanitário.
O resultado dessa reação química é altamente proveitoso, pois garante não só a purificação da água como também que ela gere quantidade significante de hidrogênio, que pode ser usado, entre outras coisas, como combustível de foguetes.

Para a realização desse trabalho, a Fundação Bill e Melinda Gates doou U$ 100 mil para a Universidade de Manchester, na Inglaterra. A intenção é dedicar o estudo para erradicar a pobreza no mundo e melhorar a vida dos países onde o acesso à água é restrito.

Se a pesquisadora Sarah Haigh conseguir provar que esse tipo de nanotecnologia pode realmente ser usado para esse fim, a fundação do cofundador da Microsoft doará mais 1 milhão de dólares para os aperfeiçoamentos do estudo até 2013.

sábado, 7 de abril de 2012

ADVOGADOS TÊM O DIREITO DE QUESTIONAR SENTENÇAS

O SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL DECIDIU QUE OS ADVOGADOS TÊM O DIREITO LEGÍTIMO DE CRITICAR UMA DECISÃO DA QUAL DISCORDEM.

O Supremo Tribunal Federal decidiu que os advogados têm o direito legítimo de criticar uma decisão da qual discordem. O Habeas Corpus foi concedido pelo Supremo Tribunal Federal aos advogados Sérgio Roberto Niemeyer Salles e Raimundo Hermes Barbosa em uma ação de um magistrado contra os profissionais, que questionaram uma sentença. De acordo com o Supremo, "os protestos foram formulados em termos objetivos e impessoais", o que garante a livre manifestação. Os réus foram representados pelo advogado Alberto Zacharias Toron.

De acordo com a decisão, mesmo que representem duras críticas, os atos praticados pelos advogados "não podem ser qualificados como transgressões ao patrimônio moral de qualquer dos sujeitos processuais".

Mello observa também que o STF tem decidido que o advogado transforma a sua atividade profissional, quando exercida com independência e sem restrições, em prática "inestimável" de liberdade. "Qualquer que seja a instância de poder perante a qual atue, incumbe, ao advogado, neutralizar os abusos, fazer cessar o arbítrio, exigir respeito ao ordenamento jurídico e velar pela integridade das garantias? legais e constitucionais? outorgadas àquele que lhe confiou à proteção de sua liberdade e de seus direitos". O ministro acrescenta que o profissional não pode ser cerceado injustamente na prática legítima de expor sua opinião sobre situações de arbítrio estatal ou desrespeito aos direitos daquele a quem defende.
A decisão diz também que "o Estado não tem o direito de exercer, sem base jurídica idônea e suporte fático adequado, o poder persecutório de que se acha investido, pois lhe é vedado, ética e juridicamente, agir de modo arbitrário, seja fazendo instaurar investigações policiais infundadas, seja promovendo acusações formais temerárias, notadamente naqueles casos em que os fatos subjacentes à persecutio criminis revelam-se destituídos de tipicidade penal".

Além disso, o ministro Celso de Mello alegou que o parecer do Ministério Público, que pedia a condenação do advogado pela prática de calúnia, difamação e injúria, "extrapolou os limites materiais dos fatos narrados pelo autor da representação", que pedia a condenação por injúria. O ministro afirmou que "o fato que constitui objeto da representação traduz limitação material ao poder persecutório do Ministério Público, que não poderá, agindo ultra vires, proceder a uma indevida ampliação objetiva da delatio criminis postulatória, para, desse modo, incluir, na denúncia, outros delitos cuja perseguibilidade, embora dependente de representação, não foi nesta pleiteada por aquele que a formulou".

Ainda na decisão, Mello disse que "a existência de divórcio ideológico resultante da inobservância, pelo Ministério Público, da necessária correlação entre os termos da representação e o fato dela objeto, de um lado, e o conteúdo ampliado da denúncia oferecida pelo órgão, de outro, constitui desrespeito aos limites previamente delineados pelo autor da delação postulatória e representa fator de deslegitimação da atuação processual do Parquet".




Nanotecnologia: remédio contra o câncer

Uma equipe de cientistas, engenheiros e médicos de diversos centros de estudos dos Estados Unidos descobriram efeitos promissores de uma droga contra o câncer usando nanotecnologia. Chamada BIND-014, ela é indicada no tratamento de tumores sólidos e tem como grande trunfo conseguir chegar diretamente ao câncer.
A droga é a primeira aposta programada da nanomedicina em medicamentos com vista a estudos clínicos em humanos. O estudo foi publicado na edição eletrônica da revista científica “Science Translational Medicine” na quarta-feira (4).
No estudo, os pesquisadores demonstram a capacidade da BIND-014 de atingir um receptor que faz chegar altas concentrações da droga no tumor, ao mesmo tempo em que mostra notável eficácia, segurança e propriedades farmacológicas comparadas ao quimioterapêutico docetaxel (Taxotere).
"A BIND-014 demonstrou, pela primeira vez, que é possível gerar medicamentos com propriedades orientadas e programadas que podem concentrar o efeito terapêutico diretamente no local da doença, revolucionando a forma como as doenças complexas, tais como o câncer, são tratadas", disse Omid Farokhzad , um dos autores do estudo e médico-cientista do Departamento de Anestesiologia do Brigham and Women's Hospital (BWH), uma das entidades que participaram da pesquisa.
"As tentativas anteriores de desenvolver nanopartículas orientadas não tiveram sucesso em estudos clínicos em humanos, devido à dificuldade de conceber e dimensionar uma partícula capaz de atingir a evasão tumoral à resposta imune [capacidade dos tumores de evitar que sejam destruídos pelo sistema de defesa do organismo]", disse Robert Langer, outro autor do estudo e professor do Instituto David H. Koch para Pesquisa Integrativa de Câncer do Instituto de de Tecnologia de Massachusetts (MIT).
Mundança de paradigma no tratamento do câncer
De acordo com os pesquisadores, a medicação é a primeira deste tipo a alcançar a avaliação clínica e demonstrar uma concentração de droga diferencialmente elevada em tumores atingidos por nanopartículas encapsuladas.
A administração do medicamento mostrou ainda um aumento de até 10 vezes nas concentrações de droga dentro de tumores, com a supressão de seu crescimento melhorada e prolongada em vários modelos de tumores em comparação com o quimioterápico.
"Tem sido um privilégio fazer parte da equipe que desenvolveu essa tecnologia na sua concepção até sua tradução clínica. O BIND-014 forneceu dados clínicos que mostram sinais de eficácia, mesmo em doses relativamente baixas, validando o impacto revolucionário da nanomedicina e é uma mudança de paradigma para o tratamento de câncer. " , disse Philip W. Kantoff, professor de Medicina na Harvard Medical School e também co-autor do estudo.
A pesquisa e o desenvolvimento da nanomedicina programável para mostrar efeitos anti-tumorais em humanos representa mais de uma década de pesquisa realizada inicialmente em laboratórios acadêmicos no BWH e no MIT, com financiamento do National Cancer Institute, junto às instituições citadas, entre outras.
 
BLOG DO ANDRÉ CAFÉ
SÓ JESUS SALVA
//