Redes Social



twitterfacebookgoogle pluslinkedinrss feedemailhttps://www.wowapp.com/w/andrecafe/joinhttps://www.instagram.com/andrecafee/

terça-feira, 31 de janeiro de 2012

Facebook: A grama do vizinho é mais verde

Pesquisas não param mesmo de aparecer sobre o comportamento dos internautas, e as redes sociais são mesmo o foco da vez. A última, da universidade americana de Utah Valley, coletou dados de mais de 400 estudantes.
A conclusão foi que o usuário que passa muito tempo no Facebook é mais suscetível a ter a impressão que a vida dos outros é melhor que a dele. Por outro lado, pessoas que passam mais tempo em “socialização real” tendem a ser mais felizes que os frequentadores da rede social.

domingo, 29 de janeiro de 2012

Laboratório impulsiona nanotecnologia

Um dos avanços tecnológicos mais importantes da última década no Brasil é a criação do Laboratório Multiusuário de Nanociência e Nanotecnologia, o Labnano, primeiro do Brasil idealizado para atender a demandas em nanotecnologia de centros de pesquisa públicos e privados, além de empresas. Inaugurado em novembro do ano passado, com um investimento de R$ 7 milhões, o laboratório, localizado dentro da sede do Centro Brasileiro de Pesquisas Físicas (CBPF), no Rio, já começou a ser utilizado por universidades, pesquisadores e empresas.

Possui equipamentos de última geração para estudos de amostras em escala nanométrica, tão pequena quanto a de um bilionésimo de metro. A expectativa dos pesquisadores é de que o laboratório ajude a impulsionar as pesquisas na área de materiais nanoestruturados, com ênfase na produção de estruturas, tais como sensores usados em imageamento térmico e diagnósticos médicos. "O projeto do Labnano é lançar um modelo inovador e participativo, que agregue a comunidade envolvida com nanociência e nanotecnologia em torno da gestão, operação e utilização do Laboratório. É um laboratório aberto a toda a comunidade científica", afirma André Pinto, tecnologista do Labnano.

O Labnano está equipado com microscópio eletrônico de varredura (MEV), sistema de nanolitografia por feixe de elétrons (Nanolito) e microscópio eletrônico de transmissão (MET). A perspectiva é que possa apoiar os projetos desenvolvidos por grupos de pesquisa das instituições parceiras do empreendimento, como o próprio CBPF, as Universidades Federal e Estadual do Rio de Janeiro e a PUC-Rio, entre outras.

Integrado ao Labnano, um sistema de deposição de filmes finos -espécie de lâminas com espessuras em escala nanométrica - vai funcionar também em regime multiusuário e de maneira complementar aos demais sistemas do Laboratório. A deposição de filmes finos simples ou em multicamadas pode servir ao estudo das propriedades ópticas, magnéticas ou elétricas desses materiais.

O funcionamento do laboratório é gerenciado por um Comitê Técnico-Científico, formado pelos especialistas das instituições que participam do projeto. Além disso, um Comitê Assessor Externo irá avaliar o mérito das propostas para utilização do Labnano. Segundo André, a divisão de uso do Labnano foi definida em 60%para projetos da comunidade científica, 20% para projetos do CBPF, 10% para prestação de serviços pelo CBPF e 10% para manutenção dos equipamentos e capacitação técnica.

Pesquisadores podem aumentar conexão por fibra em até 10 vezes


Pesquisadores do NICT (National Institute of Information and Communications Technology) conseguiram desenvolver uma melhoria na transmissão de informações por meio de uma reestruturação do que se conhece hoje por se dizer "conexão por fibra óptica".

Usando nanotecnlogia eles reestruturaram o material utilizado para produzir os cabos e conseguiram aumentar a frequencia de transmissão de 10 Thz para 70 Thz.

Oração ao Coração generoso de Jesus


Ó Coração generoso de Jesus, está em vosso poder tornar o meu coração inteiramente vosso. Por mim mesmo nada tenho e nada posso; mas vós me destes um coração que pode e deseja amar-vos.
Fazei, pois, ó meu Jesus, que de hoje em diante a vossa santa vontade seja a única regra de todos os meus pensamentos, desejos e ações.
Coração de Jesus, abrasado de amor por nós, inflamai o nosso coração de amor por Vós.
(Padre Nosso, Ave Maria, Glória ao Pai)
Doce Coração de Jesus fazei com que eu vos ame cada vez mais.

quinta-feira, 26 de janeiro de 2012

Sol tem maior tempestade em seis anos

A Nasa divulgou imagens da tempestade solar mais forte registrada nos últimos seis anos.
A radiação solar entrou em contato com a atmosfera da Terra. Em países do norte da Europa, foi possível enxergar um fenômeno conhecido como aurora boreal, com luzes de tons verdes no céu.
A aurora boreal geralmente só é observada muito mais ao norte, mais próxima do polo.
Uma companhia aérea americana que faz a rota entre o norte dos Estados Unidos e a Ásia alterou o percurso dos seus aviões que passam pelo círculo polar ártico, temendo que o choque da radiação solar com a atmosfera terrestre afetasse a aeronave.
Cientistas afirmam que a radiação decorrente das tempestades solares não oferece riscos a saúde das pessoas. No entanto, alguns satélites podem ser afetados.

quarta-feira, 25 de janeiro de 2012

Cientistas escrevem tabela periódica em fio de cabelo


O microscopista Mike Fay, da Universidade de Nottingham, pegou um fio de cabelo grisalho do professor de química Martyn Poliakoff para criar a menor tabela periódica do mundo. Ele usou técnicas de nanotecnologia para gravar os 118 elementos químicos em uma largura equivalente a 100 milésimos de milímetro.
O processo retirou camadas microscópicas do cabelo, registrando a marca da tabela periódica. Para se ter uma ideia do tamanho, cerca de um milhão de tabelas nanoscópicas iguais poderiam ser impressas em uma pequena folha de post-it.

segunda-feira, 23 de janeiro de 2012

Universo: quatro novas descobertas

A verdadeira cor da Via Láctea, exoplanetas, um observatório voador e a matéria escura estão entre as últimas descobertas da astronomia.
No último congresso da Sociedade Astronômica Americana, realizado em Austin, nos Estados Unidos, de 8 a 12 de janeiro, especialistas de todo o mundo apresentaram os últimos desenvolvimentos no estudo do Cosmos.
Embora não se conheça vida fora da Terra, para os especialistas estamos iniciando uma nova era no que diz respeito ao nosso conhecimento sobre outros planetas.
"O telescópio Kepler e as microlentes gravitacionais estão abrindo uma espécie de nova era para a descoberta dos planetas", diz James Palmer, especialista em ciência da BBC.
Mais planetas são revelados e novas formas de observação e ferramentas acrescentam dados que ajudam a esclarecer, aos poucos, alguns mistérios do espaço. Veja alguns deles:
A COR DA VIA LÁCTEA
A aparência branca da Via Láctea vista da Terra é, na verdade, resultado de um jogo de luz.
"Para os astrônomos, um dos parâmetros mais importantes é a cor das galáxias. Isso nos indica a idade das estrelas", diz Jeffrey Newman, da Universidade de Pittsburgh
Uma comparação entre várias galáxias também teve um resultado pouco surpreendente: a cor é de fato branca.
A novidade, no entanto, refere-se à tonalidade específica.
Trata-se do branco da neve da primavera logo depois do amanhecer ou antes do entardecer, segundo os pesquisadores, o que poderá trazer informações sobre a idade da Via Láctea.
Até então, um problema recorrente para detectar a tonalidade era a poeira espacial que interfere nos observatórios instalados na terra.
Os pesquisadores reuniram, então, informações de milhões de galáxias similares à Via Láctea. A partir de um modelo especificamente elaborado para o estudo, foi feita uma média de cor, cujo resultado foi o branco da neve.
Com o resultado, será possível avançar no estudo sobre a origem da Via Láctea, que já tem várias estrelas em fase de decadência, diz o professor.
ESTRELAS E PLANETAS
Usando uma microlente gravitacional, a equipe de cientistas encontrou uma série de exoplanetas (estão fora do Sistema Solar) girando em torno de outras estrelas. A descoberta indica a existência de milhões de outros planetas, apenas na Via Láctea.
O método que permitiu a descoberta consiste em usar a gravidade de uma estrela grande para amplificar a luz de estrelas ainda mais distantes e com planetas ao seu redor.
Os astrônomos usam uma série de telescópios relativamente pequenos, conectados em rede, e através destes observam o raro evento de uma estrela passando diante da outra, como se vê da Terra.
A equipe de cientistas usou recentemente esse sistema para observar planetas e ainda, que o número de descobertas tenha sido relativamente pequeno, pode-se chegar a uma estimativa de quantos podem existir na galáxia.
Embora o telescópio Kepler seja a principal ferramenta para descobrir novos exoplanetas nos últimos anos, as microlentes são melhores para localizar planetas de todos os tamanhos e em diferentes distâncias.
"Apenas nos últimos 15 anos fomos de nenhum planeta conhecidos além do Sistema Solar aos 700 que temos hoje", diz Martin Dominik, da Universidade de Saint Andrews, no Reino Unido.
OBSERVATÓRIO EM AVIÃO
O congresso também mostrou dados captados por um telescópio bastante incomum, cuja particularidade é estar instalado na carcaça de um avião 747.
O grande feito do Sofia (Observatório Estratosférico para Astronomia Infravermelha) foi captar imagens do que parece ser uma estrela em formação.
"Esta parte da Nebulosa de Órion tem sido observada por décadas. É o mais próximo da formação de uma estrela na galáxia, o que nos dá a melhor medida de como as estrelas se formam", explica o professor James De Buizer, da USRA (Universities Space Research Association).
Com 15 toneladas, o telescópio é montado em um suporte giratório para que possa permanecer com suas lentes fixas nas estrelas.
Ele foi projetado especialmente para analisar o Cosmos na porção infravermelha do espectro eletromagnético, uma vez que os telescópios instalados na Terra não conseguem enxergar essa parte porque o vapor-d'água na atmosfera absorve essa luz infravermelha.
MATÉRIA ESCURA
No congresso, uma equipe franco-canadense apresentou as maiores imagens já vistas da chamada matéria escura, a misteriosa substância que compõe 85% do Universo.
As imagens cobrem um espaço cem vezes maior que aquele até então captado pelo telescópio Hubble e são compatíveis com as teorias em voga até então.
Na nova imagem, os aglomerados de matéria escura podem ser vistos circundando as galáxias, conectados por filamentos soltos de matéria escura.
A professora Catherine Heymans, da Universidade de Edimburgo, explica: "As teorias da matéria escura indicavam que ela formaria uma intrincada e gigante rede cósmica."
“É exatamente o que vemos nesses dados, uma rede cósmica abrigando as galáxias”, diz.
A matéria escura não emite nenhum tipo de radiação eletromagnética e por isso não pode ser observada, sozinha, por telescópios. Ela pode, no entanto, ser detectada por meio de um estudo de como a luz é refletido por elementos que ficam à sua volta.
As quatro imagens foram feitas em diferentes estações do ano, cada uma capturando uma parcela do céu que, vista da Terra, é tão grande como a palma de uma mão.
Essas descobertas constituem um grande salto adiante no entendimento da matéria escura e da forma como ela afeta o jeito que vemos a matéria normal nas distintas galáxias pela noite.
Juntas, as imagens mostram mais de 10 milhões de galáxias, cuja luz traz indícios da estrutura mais ampla da matéria escura.
A professora Catherine Heymans, da Universidade de Edimburgo, explica que "a luz de uma galáxia distante que chega até nós é curva, por causa da gravidade da massa da matéria que se encontra no meio do caminho".
"A Teoria da Relatividade de Einstein nos diz que a massa altera o espaço e o tempo, então quando a luz chega até nós, vinda do Universo, caso cruze a matéria escura, essa luz torna-se curva e a imagem que vemos é distorcida", explica a professora.

Votação da SOPA e PIPA adiada


Face à oposição dos utilizadores, de empresas ligadas à internet e celebridades, o Congresso dos Estados Unidos da América (EUA) suspendeu o debate das duas leis anti-pirataria informática que têm sido alvo de contestação. SOPA (Stop Online Piracy Act) e PIPA (Protect Intellectual Property Act), como são referidas pela comunidade online, têm o objectivo de combater a pirataria online, com particular ênfase nas cópias ilegais de filmes e outras formas de media hospedadas em servidores alojados fora dos EUA.

As autoridades dos EUA recuaram na discussão das leis anti-pirataria na internet e a notícia é assumida como uma vitória dos defensores da internet livre. O Senado norte-americano e a Câmara dos Representantes dos EUA, apresentaram, respectivamente, a proposta PIPA (Protect Intellectual Property Act) e a proposta SOPA (Stop Online Piracy Act), que iriam ser discutidas na próxima terça-feira.


A discussão das duas propostas de lei foi esta sexta-feira suspensa indefinidamente, depois dos protestos na internet, e do grupo de hackers Anonymous levar a cabo o “maior ataque de sempre” às páginas da internet de entidades governamentais dos Estados Unidos, após o encerramento do site de partilha de ficheiros Megaupload.


Quem se manifesta contra as propostas garante que SOPA e PIPA "não passam de censura", sendo que centenas de empresas ligadas à internet, como o Google ou a Wikipedia, têm protestado com iniciativas online, garantindo que a aprovação de tais leis iria impedir parte fundamental da World Wide Web, a livre circulação de informação. As autoridades passariam a poder atropelar alguns direitos e liberdades individuais.

Assim, Harry Read, líder da maioria democrata no Senado norte-americano, suspendeu a votação na Lei de proteção do IP (PIPA), "à luz dos mais recentes eventos" e Lamar Smith, líder Republicano do Comité Judiciário da Câmara de Representantes, declarou que o seu painel não iria discutir a SOPA até ter sido "alcançado um consenso com a opinião pública".

O que acontece se SOPA e PIPA forem aprovadas?

Os projetos de lei dos EUA planeiam bloquear o acesso a sites que contenham material com direitos de autor não autorizados.

Os proprietários de conteúdos e o governo dos EUA teriam o poder de requerer ordens judiciais para fechar sites associados à pirataria.

Anunciantes, processadores de pagamento e fornecedores de serviços de internet seriam proibidos de fazer negócios com os infratores com base no exterior dos EUA.

Motores de busca (como o Google ou o Sapo, em Portugal) seriam obrigados pela SOPA a retirar dos resultados de pesquisa todos os sites considerados piratas.

As leis sugerem penas até cinco anos de prisão para quem partilhar material pirateado.

sábado, 21 de janeiro de 2012

Peixe-robô


Cientistas da Universidade de Leeds, na Inglaterra, desenvolveram um peixe-robô, o Robofish, controlado por computador, com objetivo de estudar a dinâmica de grupo de populações de peixes.
O Robofish é uma réplica de gesso, em tamanho real, do Gasterosteus aculeatus, e é controlada remotamente por computador, por meio de controles magnéticos sob o tanque de peixes.
Os cientistas conseguiram influenciar o comportamento de um cardume de 10 sticklebacks com o movimento do robô, fazendo com que os peixes o seguissem ou fizessem voltas repentinas. O site da BBC destaca que isso pode ser importante para entender padrões de migração da espécie
Robôs deste tipo já foram desenvolvidos para auxiliar em detecção de poluição, mas essa foi a primeira vez que foram feitos para interagir com peixes, afirmam os pesquisadores.
O site Science Daily conta que a pesquisa pode ser importante para estudos de dinâmica de populações e fornecer informações úteis para o gerenciamento de áreas costeiras, ajudando a prever possíveis impactos das atividades do homem no meio ambiente.

Carnívoro anterior aos dinossauros é achado no Brasil

Ele não era um leão, mas pesava mais do que um; não era um jacaré, mas tinha uma cabeça coberta por rugosidades parecidas; e não era um lobo, mas tinha grandes dentes caninos feitos para dilacerar suas presas.
Era um bicho estranho, primordial e original. E viveu no Brasil - felizmente, para os seres humanos, sem deixar descendentes.

Sua descoberta agora no Rio Grande do Sul está demonstrando que, há 260 milhões de anos, a Europa era bem mais perto do Brasil do que se imaginava.
Nem réptil nem mamífero, não se sabe se amamentava as crias ou se colocava ovos.
A certeza é que ele é uma das mais importantes descobertas paleontológicas dos últimos tempos no país. Seu nome científico é Pampaphoneus biccai --o "matador dos pampas"-- e ele foi achado na fazenda de José Bicca, em São Gabriel (RS).
O estudo que descreve a nova espécie foi publicado ontem na versão on-line na revista científica "Proceedings of the National Academy of Sciences" (PNAS) por uma equipe internacional coordenada pelo salvadorenho radicado no Brasil Juan Carlos Cisneros, da Universidade Federal do Piauí, e Cesar Schultz, da Universidade Federal do Rio Grande do Sul.
O Pampaphoneus biccai é um terápsido, animal que antes se imaginava ser um "réptil mamaliforme". Hoje, ele é visto como um parente distante dos mamíferos atuais.

PELO GOOGLE
O fóssil foi achado graças à análise de imagens de satélite por meio do site Google Earth. Os pesquisadores procuraram regiões onde se encontrariam rochas do período Permiano (de 299 milhões a 260 milhões de anos atrás).
"Em 2008 e 2009, visitamos 50 locais durante três meses no Rio Grande do Sul", disse Cisneros à Folha. E deram sorte: em uma fazenda na formação do rio do Rasto, na bacia do Paraná, acharam um crânio em boas condições da nova espécie.
"A descoberta é importante por duas razões. Em primeiro lugar, é o primeiro achado de um carnívoro terrestre da Era Paleozoica na América do Sul", afirma Cisneros. Ele se soma a achados prévios de herbívoros do período Permiano na região, como os pareiassauros e o anomodonte Tiarajudens eccentricus, e contribui para um melhor conhecimento dos ecossistemas durante esse período geológico, diz o artigo na "PNAS".
O segundo motivo para destacar a pesquisa é que as características do animal sugerem que a nova espécie é parente dos dinocefálios carnívoros encontrados na Rússia e na África do Sul.
Isso prova que as faunas terrestres do supercontinente Pangeia tinham uma distribuição global já durante o Permiano Médio. Em geral, explicam os pesquisadores, é aceito que as faunas terrestres tinham uma distribuição cosmopolita no Triássico, período posterior ao Permiano em que surgem os primeiros dinossauros.
Mas a nova descoberta e os trabalhos anteriores com anfíbios primitivos mostram que essa distribuição cosmopolita era bem anterior. Os bichos antigos eram certamente peripatéticos.

sexta-feira, 20 de janeiro de 2012

Aplicativo para bloquear celular de motorista

O governo federal disponibilizou na internet um aplicativo gratuito que bloqueia o telefone celular quando o dono do aparelho está dirigindo, bastando para isso um simples apertar de botão.
Quem ligar para o número temporariamente bloqueado será informado automaticamente que a pessoa está dirigindo e que liga mais tarde. O número de origem da chamada fica registrado.
Viva-voz também não é recomendado
Por enquanto o aplicativo só está disponível para usuários de smartphones que tenham o sistema operacional Android. O programa, cujo nome é “Mãos no volante”, pode ser baixado no site market.android.com.
Especialistas dizem que o uso do viva-voz, alternativa usada por muitas pessoas para atender o celular ao volante, não é algo recomendado porque tira até 40% da atenção no trânsito.

Guerra na Internet

As consequências do projeto de lei norte-americano antipirataria, conhecido pela sigla SOPA, não estão se limitando aos Estados Unidos. Na quarta-feira, 18, um dia antes do fechamento do site de downloads Megaupload nos Estados Unidos, o site de compartilhamento de músicas por streaming (transmissão sem necessidade de download) Grooveshark encerrou as atividades na Alemanha.
O site alega ter saído do ar por questões financeiras. A mensagem no site diz “Nós vamos sentir saudades!” e pede aos usuários que mandem mensagens para a GEMA, organização que representa a entidade de direitos autorais no país. A GEMA supostamente teria tornado os custos operacionais muito altos. O Grooveshark também responde a um processo da Universal Music Group por transmissão ilegal de músicas. O grupo pede US$ 150 mil de indenização para cada infração. Se condenado, a multa de US$ 15 bilhões inviabilizaria o funcionamento do site, que teria que sair do ar.
Na França o Allostreaming, outro site de streaming, também encerrou suas atividades definitivamente. A página, majoritariamente francófona, decidiu sair do ar na quinta-feira, 19, por causa de um processo iniciado na França. Segundo o jornal Le Monde, o Allostreaming e outros sites ligados a ele, estão na mira da indústria cinematográfica, que exigia o bloqueamento dos sites “Allo” e que sites de busca tirassem a referência a eles. O motivo seria que quase todos os vídeos abrigados no serviço estariam protegidos por leis de direitos autorais.
Uma audiência deve acontecer em março com grande parte dos provedores de acesso franceses e das ferramentas de busca. A maioria dos provedores alega que não é sua responsabilidade bloquear o acesso a sites ou conteúdos. Entre os sites de busca, o Google aceitou, ainda que contestando a legitimidade jurídica do pedido, eliminar as referências aos sites “Allo”.
Segundo a mensagem deixada pelos administradores do Allostreaming, tal procedimento motivou o fechamento do site. “Nós estamos tão desapontados quanto vocês, mas uma dezena de sites com serviços similares e uma comunidade ainda mais ativa ainda existem; basta apenas fazer uma pesquisa no site de busca de sua escolha”, diz ainda a mensagem na página principal do site, dando logo em seguida links para sites de busca com as palavras “streaming” e “film”.
Protestos
A perseguição aos sites que abrigam conteúdo protegido por direitos autorais gerou protestos de vários outros sites, como a Wikipedia, o Google e o Twitter. Além disso, o grupo de hackers conhecido por Anonymous também reagiu aos projetos de lei antipirataria e ao fechamento do Megaupload tirando os sites do FBI e do Departamento de Justiça dos Estados Unidos.

quarta-feira, 18 de janeiro de 2012

CENTRO DE TECNOLOGIA MICROSOFT É INAUGURADO NO BRASIL

A Microsoft anunciou no fim da tarde de ontem, 17, a inauguração no Brasil do maior Microsoft Technology Center (MTC) da América Latina. O MTC, que já é referência mundial de inovação em 17 países, permite a organizações, parceiros e clientes ter uma noção exata de como a tecnologia pode ser aplicada às suas necessidades e ainda mensurar seu impacto real.
Em seus 1300m2, as organizações poderão desfrutar de ambientes de desenvolvimento e implementação, centros interativos nos quais será possível degustar as mais recentes tecnologias e interagir com soluções de interface natural, além de laboratórios de soluções de indústria e salas multitarefas. O Envisioning Center é uma das principais experiências, pois se trata de um espaço que permite visualizar, por meio de cenários customizados, como o portfólio de soluções da Microsoft suporta e viabiliza as estratégias das organizações, permitindo que realizem todo o seu potencial.
Com 700 terabytes de capacidade de armazenamento em um datacenter com 360 processadores, o MTC dá acesso às tecnologias mais recentes da Microsoft e até mesmo às futuras, ainda em versão beta. No MTC, localizado em São Paulo, toda infraestrutura conta com a colaboração de 15 parceiros – AMD, Brocade, Dell, EMC, Emerson, Emulex, HP, Intel, Jabra, NetApp, Nokia, Panduit, Polycom, Schneider e SMART – que vêem nele uma oportunidade para demonstrar suas soluções integradas com a plataforma Microsoft.

Capa para iPhone usa pintura que regenera riscos

Uma capa para o celular iPhone promete recuperar pequenos riscos causados no aparelho utilizando pintura com nanotecnologia. Chamada de Scratch Shield e desenvolvida pela montadora Nissan, o sistema é usado em veículos da companhia como o Murano e o 370Z e pela primeira vez é testada em um produto não-automotivo.
Com a tecnologia, arranhões são reparados em menos de uma hora, sendo que riscos mais profundos podem desaparecer em uma semana, segundo a Nissan. O gel utilizado não irá brilhar tanto quanto nos carros, mas poderá criar uma superfície aderente e, com plástico ABS, tem maior rigidez.
A empresa afirma que já está testando o produto, que recebeu o nome de iPhone Shield, mas que uma produção em escala comercial está em estudo para lançamento no final de 2012.
“Pegamos inovações que temos de um ponto de vista automotivo e olhamos em como poderiam ser aplicadas para melhorar questões cotidianas. O iPhone Shield é um exemplo de como aplicar tecnologia automotiva em um outro produto de todos os dias”, disse Bob Laishley, diretor de Programa de Desenvolvimento de Negócios Exteriores da Nissan na Europa.

terça-feira, 17 de janeiro de 2012

Cristãos: os acossados

O Cristianismo cresce quase tão rápido quando a própria humanidade, mas os seus 2,2 bilhões de seguidores não podem contar com segurança baseada apenas em números. Em parte, porque a localização da maior religião do mundo está começando a se deslocar para regiões mais quentes (em vários sentidos) do mundo. De acordo com um relatório publicado pelo Pew Forum em dezembro, a parte cristã da população da África subsaariana disparou ao longo do último século, de 9% para 63%. Ao mesmo tempo, a proporção de cristãos entre os europeus e entre os povos das Américas caiu, respectivamente, de 95% para 76% e de 96% para 86%.
Mas esse deslocamento, do norte para o dinâmico sul, não é presságio de um futuro fácil. Na Nigéria vários cristãos foram mortos em atentados islâmicos a bomba, com alvo em celebrações de Natal. No Irã e no Paquistão há cristãos no corredor da morte, por “apostasia” – deixar o islamismo – ou blasfêmia. Dezenas de igrejas na Indonésia foram atacadas ou fechadas. Dois terços da população cristã pré-guerra no Iraque fugiu do país. No Egito e na Síria, onde déspotas seculares deram ao cristianismo certa proteção, agitação política e o zelo dos muçulmanos ameaçam antigos grupos cristãos.
Mas nem todos os problemas dos cristãos se devem aos muçulmanos. A religião também enfrenta perseguição nos países oficialmente comunistas, China e Vietnã. Na Índia nacionalista hindu querem penalizar cristãos que fazem convertidos. Na Terra Santa igrejas locais se encontram em uma encruzilhada entre a invasão israelense em sua propriedade e tentativas de islamitas de monopolizar a vida na Palestina. Seguidores de Jesus podem acabar se tornando uma raridade em sua terra natal.
Felizmente, em comparação tanto com as guerras de religião que acabaram por dividir o cristianismo, e com diversas lutas dentro das religiões modernas, como aquelas entre muçulmanos, pouco sangue tem sido derramado. Mas esse tipo de brutalidade é relevante. Regimes ou sociedades que perseguem cristãos tendem a oprimir outras minorias também. Muçulmanos sunitas, que demonizam os cristãos, odeiam xiitas. E quando se envolve religião, qualquer conflito fica difícil de resolver.
E quanto aos que veem a perseguição de outras religiões como uma parte da sua missão divina? Nenhuma religião é inocente: de Déli a Jerusalém muitos dos que estão trabalhando para instigar o ódio são homens religiosos. Mas existe um problema específico com o islamismo. A lei islâmica (embora não o Alcorão) muitas vezes condena à morte pessoas que abandonaram sua religião.
Há sinais de mudança. A Organização para Cooperação Islâmica, com 57 membros, já atenuou, encorajada pelos norte-americanos, suas propostas para penalizar “blasfêmia” em várias resoluções das Nações Unidas. A Organização também condenou os ataques na Nigéria. Mas muitos outros líderes muçulmanos ainda precisam aceitar que mudar de religião é um direito legal. Nesse ponto, o Ocidente não pode recuar. Caso contrário todos os crentes, cristãos ou não, permanecerão em perigo.

Igreja Católica se prepara para receber padres casados

No domingo, 8, o Vaticano anunciou a criação do Ordinariato Pessoal da Cátedra de São Pedro, uma divisão especial da Igreja Católica, da qual antigos membros da Igreja Anglicana – especialmente alguns padres casados – podem fazer parte. O Vaticano frisou que a permissão para os padres casados será uma exceção e não será uma condição permanente do sacerdócio. Se um padre for solteiro quando se juntar à congregação, ele não poderá se casar. Um padre casado que se torne viúvo não poderá se casar novamente.
Ainda assim, a Igreja Católica está preparada para abrigar um grande número de padres casados, em quantidades não vistas desde os anos que antecederam o Primeiro Conselho de Latrão, que proibiu o casamento dos padres.
Agora, como na época, os críticos e defensores da Igreja estão ressuscitando argumentos sobre as consequências de permitir a presença de padres casados em uma instituição que costuma ser um tanto cautelosa com relação a eles. Mas em meio aos debates, é importante parar e considerar o ambiente que espera as esposas dos padres. Afinal seus papeis são ainda mais inusitados e estranhos que os de seus maridos.
Embora a igreja cristã, em seus primórdios, celebrasse a castidade, ela não tomou nenhuma decisão específica sobre o celibato dos sacerdotes até o movimento de reforma no século XI. Na ocasião, o grande propósito do celibato foi estabelecer uma separação clara entre os padres e os fiéis, elevando o clero.
Naquele cenário, a mera presença da esposa do padre atrapalhava esse objetivo, criando suspeita, e despertando o ódio da congregação. É difícil imaginar que espécie de sentimentos as esposas despertarão nos dias atuais.
As esposas dos sacerdotes então devem estar alerta ao tomarem parte na Igreja Católica. Sua posição é uma anomalia e, segundo o Vaticano, elas não receberão boas vindas permanentes na estrutura da Igreja. Seria prudente então, que o Vaticano honrasse a dignidade das mulheres e dos filhos dos padres casados. E que desse início a uma verdadeira conversa sobre a continuação do celibato entre os padres. Até lá, elas devem se manter cientes da tradição religiosa que as vê, nas palavras de Damião, como “encantadoras de padres, vírus da mente e material do pecado”.

segunda-feira, 16 de janeiro de 2012

Internet: novos domínios

Está aberto o novo campo de endereços de internet, o que deve democratizar os domínios da rede. Com a nova liberação, qualquer palavra poderá ser utilizada como domínio.
“A Corporação da Internet para Atribuição de Nomes e Números (Icann) começará a aceitar pedidos para a administração de novos domínios de nível superior, ou seja, as palavras que são colocadas no fim de um endereço de site, assim como o”.com" e ".net".
Esta será a primeira vez em mais de dez anos em que haverá a possibilidade de qualquer pessoa solicitar os direitos para controlar parte do mercado global da web, e não apenas domínios específicos como um usuário da rede.
A ideia é de que novas empresas e oportunidades sejam criadas a partir de novos domínios e nomes que possam ficar à direita do ponto. “Recentemente algumas poucas opções como “.jobs" (para sites de procura de emprego) já estavam sendo liberadas. Segundo a Icann, a criação de uma maior variedade de domínios pode dar opções e estimular a inovação no campo.
Para solicitar a licença de um novo domínio de nível superior, tornando-se o que a Iccan chama de "detentor de registro", deve-se pagar uma taxa inicial de US$ 185.000. O valor ultrapassa o dobro do que a entidade pedia pelo mesmo serviço em 2000, quando as propostas para domínios ainda eram aceitas.

Exército usará antivírus nacional

O Exército brasileiro vai usar tecnologia nacional em sua defesa cibernética. A partir de agosto, com o vencimento da licença do antivírus espanhol Panda, um sistema produzido dentro do país passará a proteger os servidores e redes militares contra ataques feitos pela internet.
Para a proteção de seus sistemas o Exército investiu R$ 5,8 milhões. Contratou, em licitações fechadas no final de 2011, duas companhias brasileiras: BluePex e Decatron. A primeira vai produzir o antivírus nacional, a segunda, que abocanha maior parte do orçamento – R$ 5,1 milhões – vai criar um simulador de guerra cibernética.
De acordo com o chefe do Núcleo de Defesa Cibernética do Exército (CDCiber), coronel Luiz Gonçalves, o antivírus e o simulador são dois projetos emergências que estão sendo tocados dentro de um conjunto de ações para a proteção do “espaço virtual” brasileiro.
“Há uma política de longo prazo que está sendo desenvolvida junto ao Ministério da Ciência e Tecnologia, para criarmos uma Escola Nacional de Defesa Cibernética. Com ela vamos selecionar mão de obra especializada para termos tecnologia nacional em todas as frentes de nosso sistema de defesa cibernético”, disse.

Casa Branca: Não a censura à web!

A Casa Branca se pronunciou neste sábado sobre dois projetos de lei que estão sendo discutidos no Senado e na Câmara dos Deputados dos Estados Unidos que preveem o bloqueio de sites que compartilham conteúdo que fere direitos autorais. O governo americano afirmou que não apoiará quaisquer projetos que rompam os padrões abertos da internet. As informações são do site Huffington Post.
"Embora acreditemos que a pirataria on-line pelos sites estrangeiros seja um problema sério que requer uma resposta legislativa séria, não vamos apoiar a legislação que reduz a liberdade de expressão, aumenta o risco de segurança cibernética ou enfraquece a dinâmica inovadora da internet global", diz o comunicado da Casa Branca. Os dois projetos em andamento no Congresso americano sofrem forte oposição de empresas de tecnologia, como Google, Facebook, Twitter, eBay e Fundação Mozilla, e são apoiados por estúdios de Hollywood e detentores de direitos autorais, que afirmam que a lei é necessária para combater sites estrangeiros que vendem filmes piratas e mercadorias falsificadas.
O Stop Online Piracy Act (Sopa), discutido na Câmara, prevê mais poder ao governo na retirada do ar de sites que reproduzam conteúdo não autorizado pelos autores. O Protect IP Act (Pipa), que daria autoridade ao procurador-geral dos EUA para bloquear domínios de internet.
A Casa Branca afirmou também que "qualquer esforço para combater a pirataria online deve se proteger contra o risco de censura online de atividade lícita e não devem inibir a inovação, nossos negócios dinâmicos grandes e pequenos". "Nós temos que evitar a criação de novos riscos de segurança cibernética ou perturbar a arquitetura subjacente da internet", afirmou o governo americano.
A Casa Branca, porém, enfatizou que esse não é o fim do debate na luta contra a pirataria online. "No futuro, continuaremos a trabalhar com o Congresso em uma base bipartidária sobre a legislação que fornece novas ferramentas necessárias para a luta global contra a pirataria, enquanto defende vigorosamente uma internet aberta com base nos valores da liberdade de expressão, privacidade, segurança e inovação", diz a nota.

domingo, 15 de janeiro de 2012

O QUE TETRODOTOXINA ?



A Tetrodotoxina (TTX) é uma potente neurotoxina que bloqueia os potenciais de ação nos nervos. Esta substância liga-se aos poros dos canais de sódio existentes nas membranas das células nervosas. O envenenamento é causado pela ingestão de toxina produzida nas gônadas e outros tecidos viscerais de alguns peixes da classe Tetraodontiformes, à qual pertencem o peixe fugu japonês ou baiacu.     
Esta toxina e a saxitoxina são dois venenos dos mais potentes conhecidos, sendo a dose letal mínima de cada uma delas, no camundongo, de aproximadamente 8 ug/kg. São fatais para o homem. Ocorre também na pele de salamandras aquáticas, bodião, sapo Atelopus (da Costa Rica), determinados polvos, estrela-do-mar, anjo-do-mar, porco-espinho e caranguejo xantídeo.   
Nenhuma alga foi identificada como responsável por essa produção e até recentemente a tetrodoxina foi considerada como um produto metabólico do hospedeiro. Recentes estudos da produção da tetrodoxina/anidrotetrodoxina por determinadas bactérias, incluídas as cepas da família da Vibrionaceae, Pseudomonas sp., e Photobacterium phosphoreum, apontam uma origem bacteriana para estas toxinas.

sexta-feira, 13 de janeiro de 2012

Relógio que navegar na web

Relógios "inteligentes" equipados com o sistema operacional Android, do Google, prometem colocar a web nos punhos dos usuários na Feira Internacional de Eletrônica de Consumo (CES), em Las Vegas, Nevada (oeste dos Estados Unidos).
A gigante japonesa da eletrônica Sony e a jovem empresa italiana I'm Watch exibiram ao público do grande evento anual da alta tecnologia relógios que utilizam o software do Google para permitir aos usuários checar mensagens de correio eletrônico, ouvir músicas ou ter acesso a qualquer outro conteúdo online.
O relógio SmartWatch, da Sony, chegará ao mercado no final de março, enquanto o do I'm Watch foi lançado na quarta-feira. "Este é o momento adequado para este relógio", disse o chefe executivo e cofundador da I'm Watch, Massimiliano Bertolini, no stand da companhia na feira.
O preço do relógio da I'm Watch vai dos US$ 350 para os modelos coloridos, com pulseiras de silicone e caixa de alumínio com tela sensível ao toque (touchscreen), aos US$ 15 mil dólares para os de ouro adornados com diamantes, segundo o designer da empresa, Gianluca Negrello.
Com este relógio, os usuários recebem alerta de novas mensagens do Gmail (o correio eletrônico da Google) ou de atualizações nas comunidades online do Facebook ou do Twitter, e podem acessar álbuns de fotos digitais ou os serviços gratuitos da Google na web, como a agenda Calendar.
Embora não seja possível enviar mensagens a partir do I'm Watch, o usuário poderá se conectar à loja online da empresa para baixar aplicativos ou música. Também poderá fazer chamadas telefônicas através do I'm Watch. A Sony anunciou no CES que no final de março lançará um SmartWatch touchscreen capaz de se conectar com telefones celulares por meio de Bluetooth. Haverá aplicativos especiais para o SmartWatch, que terá um preço de US$ 149, indicou a empresa.

quinta-feira, 12 de janeiro de 2012

QUE AS TARTARUGAS HIBERNAM


As tartarugas possuem um corpo largo e curto coberta por uma carapaça de osso e revestida de escamas que lhes serve de abrigo. Em vez de dentes possuem um bico ósseo de bordos cortantes com o qual cortam e esmagam os alimentos.   
Existem três espécies de tartarugas como: as terrestres, que são herbívoras, as tartarugas de água doce e as tartarugas marinhas, que são carnívoras. Estes animais fazem parte da família dos répteis; existem 250 espécies.
As tartarugas detestam o frio e podem hibernar enterradas ou escondidas no fundo dos pântanos sem respirar.
Curiosidade: A tartaruga-aligátor tem um bico cortante capaz de cortar o dedo e até um lápis. Existe uma tartaruga que adora os dedos dos pés dos nadadores!

Nanotecnologia: gadgets à prova d'água

Possuir uma proteção contra água para seu gadget é algo muito interessante - inclusive para evitar problemas com chuva e umidade - e está sendo mostrado na CES 2012.
Trata-se de uma proteção criada com nanotecnologia, aplicada como se fosse um gel sobre os dispositivos eletrônicos. Ela impede totalmente a entrada de água pelas conexões e junções existentes no aparelho. O preço pela proteção não é dos mais altos: US$ 60 (cerca de R$ 110) em um período de 24 horas.

Governo promete o 4G operando em todas as cidades-sede até a Copa do Mundo

Não é tão antigo quanto à central telefônica da década de 1920, mas sim, o celular já virou peça de museu. Tão obsoleta quanto à pesada bateria dos primeiros “tijolões” é a ideia de um aparelho feito só para falar. A nova geração de celulares promete uma internet dez vezes mais rápida. O 3G, que ainda ontem trouxe o mundo para a palma da mão, já foi superado.
A tecnologia 4G chegou aos Estados Unidos há dois anos. Para comparar a velocidade das duas redes, a 3G e a nova a 4G, foram usados dois tabletes da mesma operadora, um ligado em cada rede.
A conexão 3G chega a uma velocidade de 1 megabit por segundo, enquanto que a 4G passa de 10 megabits. O acesso mais rápido à internet melhora a qualidade dos vídeos vistos em tempo real, sem necessidade de download.
A diferença realmente é impressionante. A qualidade do vídeo em 4G é muito superior à qualidade do mesmo vídeo em 3G.
Outro aparelho 4G foi submetido a outro teste: o de download de arquivos. Oferecemos a pessoas que usa o 3G a chance de se conectarem ao wi-fi 4G, para avaliarem a tecnologia mais moderna.
Jacqueline baixou uma foto no celular. Em geral, levava 45 segundos, e levou 20. Michael testou baixar um podcast que costuma levar de cinco a dez minutos. Com o 4G, baixou em apenas um minuto. Ele se diz impressionado, “foi muito rápido”.
Japão
No Japão, os celulares são mais usados como computador de bolso ou TV portátil. Com velocidades de download que chegam até 42 Mbps no meio da rua, Mayumi assiste a um vídeo de um grupo famoso lá, enquanto aguarda uma amiga. Qualidade perfeita.
Com a conexão japonesa, já é possível fazer uma teleconferência por telefone. Quando se captam imagens neste celular e se transmite para o computador, ficam granuladas, ficam congeladas de vez em quando. Quando o 4G chegar, não tenha dúvida. A imagem será perfeita: transmissão ao vivo usando apenas um celular.
Embora as empresas americanas usem comercialmente o termo 4G, os japoneses não consideram que a tecnologia atual, a LTE, usada tanto no Japão como nos Estados Unidos, mereça esse nome. É rápida, mas não o suficiente. Por isso, é chamada ainda de 3G pelos japoneses.
Os japoneses seguem o que sugere a União Internacional de Telecomunicações, órgão da ONU, que considera 4G a conexão com velocidade de download de pelo menos 100 Mbps.
A tecnologia funciona perfeitamente em laboratório, mas ainda faltam alguns anos para chegar às ruas. Um dos principais desafios é reduzir o tamanho do aparelho receptor.
Brasil
Estádio do Morumbi, quarta-feira. Faltam poucos minutos para o clássico São Paulo e Corinthians pelo campeonato brasileiro. O estádio não lotou, mas está cheio. Os jornalistas já estão posicionados, e não conseguimos fazer o teste de velocidade de um celular 3G.
A internet ficou instável, lenta. A velocidade, que gira em torno de 1 Mbps, ficou bem menor, porque dividimos o sinal com todo mundo que está acessando a rede.
Para a Copa do Mundo, é preciso mais.
O desafio do Brasil é maior do que o da África do Sul, porque, em 2014, os estádios estarão ainda mais cheios de smartphones e tablets. Atualmente, a telefonia móvel no Brasil funciona assim: o sinal do 3G passa por frequências de ondas entre os aparelhos e as antenas, como em uma estrada.
Quando muita gente usa o celular ao mesmo tempo, os dados emitidos e recebidos são como vários carros que congestionam a via aérea. Os sinais de alguns aparelhos são passados para estradas piores, mais lentas, as frequências do 2G. Quando isso acontece aparece aquela letra "e", de edge (limite) no aparelho. Quando o tráfico de dados é grande demais, tanto o 3G quanto o 2G ficam congestionados e o celular fica sem sinal mesmo.
Para começar a resolver isso, no ano que vem, as operadores vão abrir os sinais 3,5G. Até a copa, deve chegar o sinal do LTE, que no Brasil também chamaremos de 4G. Todos os sistemas vão funcionar ao mesmo tempo. Se o 4G ficar congestionado, o sinal vai para o 3,5G e assim por diante.
O governo promete o 4G operando em todas as cidades-sede até a Copa do Mundo. A largada será dada em abril deste ano, com a licitação da concessão do 4G. “Na hora em que assumimos o compromisso com relação à Copa, nós assumimos o compromisso com todos os eventos intermediários. Copa das Confederações, por exemplo, é a mesma coisa”, explica Ronaldo Sardenberg, ex-presidente da Anatel.
O governo deve liberar para o 4G uma frequência de menor alcance. Com isso, as empresas, além de adaptar a rede 3G, terão que montar novas antenas e investir em fibra ótica e microondas para o escoamento de dados. As operadoras vão gastar junto, esse ano, cerca de US$ 18 bilhões na expansão da rede.
Professor de engenharia elétrica do Instituto Mauá, Marcelo Motta explica que o Brasil está atrasado, mas que há tempo para instalar o 4G nas cidades-sede até a Copa do Mundo. “A implantação das redes 3G no país chegou defasada em relação ao mundo por três anos. O mesmo deve acontecer com o 4G. Muitas vezes se chega a essa situação de ter que investir em uma tecnologia sem ter o retorno da tecnologia predecessora”, diz.
Seja para ver vídeo, ver e-mail ou até mesmo para falar com alguém, o rápido crescimento do 3G no Brasil e o péssimo desempenho do sistema em grandes eventos mostra que o 4G será bem-vindo.

quarta-feira, 11 de janeiro de 2012

Redes sociais: 40 milhões conseguiram emprego em 2011

Uma pesquisa feita por uma agência norte-americana mostrou que 40 milhões de pessoas conseguiram um emprego por meio das redes sociais só no ano passado. Segundo o sistema nacional de empregos, só o Facebook ajudou 16% dos trabalhadores brasileiros a conseguir uma nova vaga em 2011.
O publicitário João Carvalho e o fotógrafo João Noronha, de Curitiba, são dois dos profissionais que se recolocaram no mercado de trabalho por meio das redes de relacionamentos. Especialistas em Recursos Humanos reconhecem a importância das redes sociais para conseguir destaque no mercado, mas alertam para as informações com opiniões pessoais, que podem atrapalhar ao invés de ajudar os profissionais na busca por emprego.

Evite se tornar alvo dos criminosos nas redes sociais

Divulgar informações pela Internet exige responsabilidade. Muitos acabam se tornando alvos fáceis dos criminosos por publicarem na rede, informações preciosas que facilitam o trabalho dos bandidos.
A Polícia Civil esclarece que os criminosos costumam procurar um alvo antes de agir. Com as redes sociais, o trabalho deles fica ainda mais fácil, quando não se toma as medidas necessárias para evitar chamar a atenção dos bandidos.
Primeiramente, é necessário utilizar nas redes sociais, as mesmas regras de segurança utilizadas no dia a dia. Ninguém vai chegar a um desconhecido e mostrar uma foto de família, então, não faça isso na rede. Uma foto de biquíni, não vai ser colocada no mural da faculdade para que todos vejam. No mural do Facebook, por exemplo, funciona da mesma forma, uma foto publicada no perfil, pode ser vista por qualquer um.
A dica mais importante dada pela polícia é que se utilizem os filtros para separar os amigos em grupos. A maioria das redes sociais possui essa ferramenta, a dica é separar os contatos por níveis de intimidade, por exemplo, família, amigos, colegas de trabalho, etc. Dessa forma, ao postar uma publicação ou foto, ela poderá ser direcionada a determinado grupo, como apenas familiares ou colegas de trabalho. Desta forma é possível evitar que a vida pessoal se torne pública.
Outro lado
Para esclarecer um crime, os investigadores da Polícia Civil utilizam de todos os artefatos possíveis. Hoje em dia é comum a utilização das redes sociais para a polícia descobrir determinada informação que pode ser importante. Tudo é válido.
Vale ressaltar que a informação publicada em um perfil de rede social pode ser usado contra a pessoa pela polícia, que pode incluir as informações no inquérito policial.
Polícia localiza vítima de assalto
Na última terça-feira, dia 3 de janeiro, uma residência no Bairro São Francisco foi invadida por assaltantes, que levaram notebook, televisão, máquina fotográfica digital, roupas e sapatos. Pai e filha dirigiram-se à delegacia para registro de boletim de ocorrência do fato. Ao mesmo tempo, um rapaz era preso nas imediações do bairro, em atitude suspeita, com uma máquina fotográfica digital e alegou ter acabado de comprar o objeto de um amigo.
O rapaz foi levado à delegacia para esclarecimentos enquanto os investigadores começaram a procurar pistas sobre os verdadeiros proprietários da máquina. Em uma das fotos, viram uma jovem e uma toalha de banheiro pendurada atrás dela, com o nome Emmily, bordado.
Eles digitaram então o nome no Facebook e na busca identificaram a garota da foto. De posse do nome completo da moça, buscaram seu endereço no sistema de informação da polícia e por volta das 2h da madrugada de quarta-feira (04), chegaram à casa no Bairro São Francisco.
Este foi um caso em que a exposição na rede social contribuiu para a pessoa em questão, porém, a polícia alerta que as informações não fiquem abertas na rede, pois na maioria dos casos, as consequências podem ser mais nocivas do que benéficas.

Novo vírus rouba dinheiro e ainda cria extratos falsos

A nova versão do trojan SpyEye está mais poderosa do que nunca. O vírus não apenas rouba o dinheiro da conta das vítimas, mas também oferece um extrato falso para fingir que o dinheiro ainda permanece por lá. Significa que, mesmo ao verificar o extrato, a vítima não percebe que foi roubada.
Os ataques, que afetam o Windows, já foram detectados nos Estados Unidos e no Reino Unido. O vírus funciona com o roubo de senha das contas bancárias, para depois “ajustar” o que a vítima verá em sua conta. Para isso, ele espera até que o usuário realize suas transações para forjar uma tela falsa, como se nada tivesse acontecido. “Na segunda vez em que a vítima visita sua conta no banco online, o malware esconde as transações fraudulentas e altera o saldo total.", afirma a empresa de segurança Trusteer.
A companhia ainda diz que o SpyEye acaba escondendo as transações falsas até mesmo depois que o usuário efetuou o logoff na página do banco. A indicação para manter a segurança nesses casos, de acordo com a empresa, é manter o navegador sempre atualizado.

Físicos inventam 'capa da invisibilidade temporal'

Físicos apoiados pelo Departamento de Defesa dos Estados Unidos anunciaram que desenvolveram um sistema de "invisibilidade temporal" capaz de tornar um acontecimento indetectável durante uma ínfima fração de segundo.

Este dispositivo experimental se inspirou nas pesquisas sobre a famosa "capa de invisibilidade" popularizada pela série de livros Harry Potter. Mas ao invés de esconder um objeto no espaço, o esconde no tempo, segundo estudo publicado pela revista britânica Nature.

"Nossos resultados representam um passo significativo para a obtenção de uma capa espaço-temporal completa", destaca o estudo, dirigido por Moti Fridman, da Universidade Cornell de Nova York.

O avanço dos físicos explora o fato de que as frequências da luz se movem a velocidades ligeiramente diferentes.

Essa capa de invisibilidade temporal começa com a difusão de um raio de luz verde por um cabo de fibra óptica. Este raio atravessa uma lente que o divide em duas frequências distintas: uma luz azul que se propaga um pouco mais rápido que o raio verde original e outra vermelha, ligeiramente mais lenta.

A minúscula diferença da velocidade entre os dois raios obtidos é aumentada pela interposição de um obstáculo transparente.

É criada, assim, uma espécie de "lacuna temporal" entre os raios vermelho e azul que viajam pela fibra ótica.

Um intervalo pequeno, de apenas 50 milésimos de nanosegundos, é suficiente para intercalar uma descarga de laser de frequência diferente da luz que passa pela fibra ótica.

Depois dessa descarga, os raios vermelhos e azuis sofrem um tratamento inverso: um novo obstáculo acelera o vermelho e desacelera o azul e uma lente reconstitui os dois feixes para produzir um único raio verde.

Esse feixe de laser, de 40 milésimos de nanosegundos, não faz parte do fluxo de fótons da luz reconstituída e por isso é indetectável.

O experimento se assemelha a uma passagem de nível que corta uma estrada muito movimentada, comentaram Robert Boyd e Zhimi Shi, engenheiros ópticos da também nova-iorquina Universidade de Rochester.

Quando chega um trem, os carros param o que provoca um "buraco" no fluxo de tráfego. Quando o trem passa, os veículos aceleram até alcançar os que os antecedem. Para um observador, o fluxo de circulação parece normal já que não há nenhuma prova da passagem do trem pelo cruzamento.

A próxima etapa para os pesquisadores é ampliar este intervalo temporal que esconde o acontecimento, destacaram Boyd e Shi.

Mas consideram que esta invisibilidade temporal poderia ter aplicações imediatas para garantir as comunicações porque o procedimento permite fracionar os sinais ópticos e fazê-los viajar a velocidades diferentes antes de reuni-las, o que dificulta muito a interceptação de dados.

A pesquisa é financiada em parte pela DARPA, uma agência do Departamento de Defesa americano dedicada a desenvolver tecnologias futuristas que podem ter usos militares.

Entre suas realizações está um sistema de transmissão de dados entre computadores criados no final dos anos 60 e considerados um predecessor da internet.

Nanotecnologia: estudo destaca riscos


A Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial (ABDI) acaba de lançar o estudo Nanotecnologias: subsídios para a problemática dos riscos e regulação.
O livro teve sua produção coordenada pela Fundação de Desenvolvimento da Universidade Estadual de Campinas (Funcamp) e oferece informações a pesquisadores, empresários e entidades que lidam com o assunto.
O responsável técnico da publicação é Oswaldo Luiz Alves, professor titular do Departamento de Química Inorgânica do Instituto de Química da Universidade Estadual de Campinas e coordenador científico do Laboratório de Química do Estado Sólido.
A nanotecnologia é o estudo, manipulação, construção de materiais, substâncias, dispositivos e objetos em escala nanométrica (bilionésimo de metro). A aplicação ocorre em diversas áreas, como fármacos, dispositivos semicondutores, sistemas de energia, polímeros, novas soluções para problemas energéticos e soluções para a agricultura.
Além de abordar riscos e questões regulatórias relacionadas ao uso de nanotecnologia na indústria ou na academia, a publicação reúne ampla bibliografia sobre o tema.
“Percepção pública dos riscos e benefícios das nanotecnologias”, “Das relações entre nanomateriais, toxicidade e avaliação de riscos: a emergência da nanotoxicologia” e “Visão geral da atividade ligada à toxicidade, segurança e avaliação de riscos das nanotecnologias: enfoque bibliográfico” são alguns dos capítulos da publicação.

terça-feira, 10 de janeiro de 2012

Computação em nuvem: Pernambuco terá megacomputador


Um supercomputador vai fazer de Pernambuco um dos maiores centros de tecnologia em nuvem da América Latina. A máquina conta com 1.200 processadores que juntos são capazes de analisar até 04 Petabytes de dados, o equivalente a quatro milhões de gigabytes. Para se ter um ideia do quanto isso representa, seria necessário somar a capacidade de 850 mil discos de DVD.
A UFPE foi escolhida para abrigar o equipamento, que desembarca em Pernambuco até abril deste ano a bordo de um contêiner. O megacomputador armazenará a central de dados da Rede Nacional de Ensino e Pesquisa (RNP) responsável pelo tráfego de informações de 600 instituições de ensino no País.
A escolha de Pernambuco como endereço da supermáquina foi anunciada nesta quinta-feira (05/01) pelo ministro de Ciência e Tecnologia, Aloizio Mercadante e pelo governador Eduardo Campos em entrevista concedida no Palácio do Campo das Princesas.
A computação em nuvem é uma tendência mundial e consiste no armazenamento de dados na internet ao invés dos tradicionais discos rígidos físicos. Entre outras vantagens, o usuário pode ter acesso aos seus arquivos em qualquer lugar do mundo.
Um acordo entre o Governo Federal e a fabricante de componentes eletrônicos Huawei firmado pela presidenta Dilma Rousseff em abril do ano passado prevê a doação de equipamentos com grande capacidade de armazenamento de dados. Eles vão formar duas grandes centrais de processamento no Brasil. Além do Recife, a cidade de Manaus foi contemplada.
“Na área de tecnologia da informação, a Huawei está trazendo uma grande oportunidade. A computação em nuvem é uma das fronteiras de inovação e de avanço da tecnologia de massa. Isso é fundamental para os consumidores e para o interesse das empresas que utilizam a internet. Mas é, também, uma área muito promissora de pesquisa, de inovação e de desafios tecnológicos”, explicou Mercadante, antes de seguir para um compromisso no Porto Digital.

Antártica: Brasil é o primeiro país a gerar energia limpa


Em uma iniciativa pioneira, o Brasil vai iluminar a Estação Antártica Comandante Ferraz com um motogerador a etanol. A ação faz parte da comemoração dos 30 anos da Estação, operada pela Marinha do Brasil, e conta com a parceria da Vale Soluções em Energia (VSE) e da Petrobras.
Na quarta-feira (11), o ministro da Defesa, Celso Amorim, estará na Antártica para visitar a Estação, onde dará partida na operação do motogerador a etanol, que tem capacidade de suprir, com folga, toda a energia necessária às operações e aos programas científicos lá realizados.
A partir do evento, o motogerador passará a operar continuamente na Antártica, dando início ao programa científico que faz do Brasil o primeiro país do mundo a utilizar biocombustível para produção de energia no continente.  
Segundo Celso Amorim, a iniciativa brasileira é digna de celebração, pois coloca o país em destaque no cenário tecnológico mundial e alinhado com a meta da ONU, que declarou 2012 como o Ano Internacional de Energia Sustentável para Todos.
O projeto – O motogerador a etanol brasileiro foi desenvolvido com tecnologia totalmente nacional e gera energia limpa, sem qualquer tipo de aditivo, a partir de um sofisticado equipamento de controle e comando via internet. A tecnologia foi desenvolvida pela VSE, uma empresa da Vale e do BNDES.
A Petrobras fornece 350 mil litros de etanol, idêntico ao utilizado nos veículos nacionais, e fará o acompanhamento tecnológico para validar a utilização do biocombustível em condições climáticas severas.
O projeto é beneficiado pela Lei da Inovação, por meio da Financiadora de Estudos e Projetos (FINEP), que promove e incentiva o desenvolvimento de produtos e processos inovadores voltados para atividades de pesquisa.
O equipamento e o biocombustível partiram em outubro do Brasil para a Antártica no navio de Pesquisas Oceânicas Ary Rongel. Em seguida, uma equipe de engenheiros brasileiros partiu para o continente para realizar as instalações e os testes necessários ao funcionamento do equipamento.
A partir de agora e durante um ano, o motogerador vai operar em total sincronismo com os motogeradores já existentes a diesel, preservando o parque energético atual como uma medida adicional de segurança. 
Estação Antártica Comandante Ferraz – A estação brasileira é operada pela Marinha do Brasil e foi instalada na Baía do Almirantado, localizada na Ilha Rei George, no verão de 1984. A partir de 1986, passou a ser ocupada anualmente e guarnecida por militares da Marinha do Brasil e pesquisadores, podendo acomodar até 58 pessoas. A estação possui laboratórios destinados às ciências biológicas, atmosféricas e químicas.
A partida na operação do motogerador a etanol é um dos eventos que marcam os 30 anos do Programa Antártico Brasileiro (Proantar), gerenciado pela Marinha por meio da Secretaria da Comissão Interministerial para os Recursos do Mar (SECIRM).
Criado em janeiro de 1982, o Proantar tem realizado importantes pesquisas científicas em diversas áreas de conhecimento, de forma a respaldar a condição do Brasil de membro consultivo do Tratado da Antártica, assegurando a participação nacional nos processos decisórios relativos ao futuro daquele continente.
Acompanham o ministro da Defesa na missão à Antártica o comandante da Marinha, almirante-de-esquadra Julio Soares de Moura Neto, e o comandante da Aeronáutica, tenente-brigadeiro-do-ar Juniti Saito.


 
BLOG DO ANDRÉ CAFÉ
SÓ JESUS SALVA
//