Redes Social



twitterfacebookgoogle pluslinkedinrss feedemailhttps://www.wowapp.com/w/andrecafe/joinhttps://www.instagram.com/andrecafee/

segunda-feira, 31 de outubro de 2011

Tela flexível para smartphones



A Nokia está desenvolvendo um novo conceito de smartphones. Aparelhos com a tela flexível já estão em etapa avançada de produção. O projeto teve pequena demonstração no Nokia World, evento que está sendo realizado em Londres. Especialistas veem a audaciosa manobra como uma forma de evitar o movimento natural de “correr atrás” das inovações da Apple e encontrar um novo caminho.
A tecnologia foi batizada como Nokia Kinetic, e apresenta uma interação entre o movimento da tela e a interface do aparelho. É uma nova forma de manusear as informações. Dobrá-lo para frente, por exemplo, pode representar um zoom ou alguma outra função.
A tela do protótipo apresentado tem tamanho de quatro polegadas. Ela não é sensível ao toque, limitando a interação à flexibilidade do gadget. Os engenheiros responsáveis pela elaboração da tecnologia não deram previsão de quando ela será aplicada aos aparelhos no mercado.
No mesmo evento, a empresa finlandesa já havia anunciado o primeiro Windows Phone, estratégia da gigante de software para se reposicionar no mercado dominado por Apple e Google. Os smartphones com o novo sistema devem chegar ao Brasil no primeiro trimestre de 2012.

Internet por banda larga: mais de 50 milhões de brasileiros já acessam



Com taxa de crescimento de 67 novas conexões por minuto, o Brasil atingiu em setembro a marca de 50,7 milhões de acessos à banda larga. Os números são da Associação Brasileira de Telecomunicações (Telebrasil), que informa ainda que a quantidade de novos assinantes foi 60% superior à média de 2011.

Foram 2,9 milhões de pessoas que passaram a utilizar o serviço de internet rápida em setembro e 16,2 milhões de novos consumidores desde janeiro. Em 2010, nos nove primeiros meses do ano, os novos consumidores somaram 10,8 milhões de pessoas, crescimento de 50% em 2011.

A ampliação do acesso à banda larga é uma tendência que vem sendo confirmada pelos números. De acordo com a Telebrasil, nos últimos dois anos, a quantidade de pessoas que passaram a acessar o serviço mais que dobrou. Foram 33 milhões de novos assinantes nesse período.

A maior parte dos 50,7 milhões de consumidores de banda larga no Brasil faz o acesso por meio de internet móvel. São 34,5 milhões de pessoas utilizando o serviço dessa forma, contra 16,2 milhões que utilizam banda larga fixa. Apesar disso, o modelo fixo cresceu 24% nos últimos 12 meses, colocando o Brasil entre os dez maiores mercados mundiais de banda larga fixa.

Facebook: novas ferramentas



O Facebook anunciou, na última quinta-feira (27), uma nova ferramenta de segurança que usa os amigos de confiança do usuário, caso ele tenha problemas para entrar em sua conta.

De acordo com a rede social, o usuário deve escolher de três a cinco amigos de confiança que irão lhe ajudar, caso ele tenha problemas para acessar sua conta na rede. “É como se você estivesse dando uma cópia da chave da sua casa a seus amigos”, diz a equipe de segurança do Facebook, em um post em seu blog oficial.

Assim, quando o usuário esquecer sua senha ou não conseguir ter acesso a sua conta de e-mail, o Facebook irá enviar códigos para os amigos de confiança. Essa informação poderá ser passada ao usuário e usada no acesso à conta.

Outro novo serviço de segurança é a possibilidade de colocar senhas para entrar em aplicativos. Será possível escolher uma combinação para fazer o acesso aos aplicativos que funcionam dentro da plataforma do Facebook. A senha será gerada pelo próprio Facebook e não precisará ser memorizada pelo usuário.

As novas ferramentas de segurança serão testadas por alguns usuários na próxima semana, informa o Facebook.

sábado, 29 de outubro de 2011

LCD, LED ou Plasma?

As tecnologias e suas principais características


TV LCD: As telas de LCD são capazes de produzir belas imagens, mas contam com um detalhe que pode fazer toda a diferença: Como as telas de LCD não emitem nenhum tipo de luz, ela precisa utilizar recursos eletrônicos para produzir cores brilhantes. O resultado disso acaba sendo o de imagens menos naturais que as vistas nas outras tecnologias. Um número bem grande de televisores LCD, no mercado, é compatível com o novo sinal de TV Digital, mas justamente pela alta definição, algumas imperfeições podem aparecer principalmente em imagens com muita movimentação de câmeras.


TV LED: As telas LED estão caindo no gosto do consumidor, mas isso não quer dizer que tecnicamente elas são revolucionárias, como muitos segmentos do mercado vendem hoje. As telas de LED de hoje são, basicamente, telas de LCD com diodos de luz na parte traseira da tela. Elas oferecem mais vantagens na qualidade de imagem e no consumo de energia, porém acabam sendo mais caras, principalmente por ser uma tecnologia mais nova que as anteriores. Comparadas às telas de LCD, possuem um melhor contraste e taxa de atualização, e são muito mais adequadas para reprodução de imagens em Full HD.

TV Plasma: As telas de plasma produzem as melhores imagens que você pode encontrar no mercado. Normalmente são vendidas em modelos de telas grandes, que oferecem a melhor relação de contraste, exibição de cores, e uma resposta mais rápida das imagens (por causa do tempo de resposta dos pixels, consideravelmente menor que nos modelos de LCD e LED). Em compensação, elas consomem mais energia do que as outras, além de serem muito mais sujeitas a problemas de superaquecimento. Sem contar que, dos três modelos, ela é a que geralmente tem os preços mais elevados.

Conclusão

Cada usuário tem a sua necessidade e seu objetivo em particular, e essa preferência deve refletir no momento da compra. Usamos a televisão para assistir filmes, shows, jogar videogames, e até para conectar no computador. Por isso, cabe ao usuário fazer uma pesquisa pessoal sobre quais serão os principais usos da TV.

Os modelos de LCD costumam ser mais baratos e consumir muito menos energia que aos outros, e se você não tiver um olho bem treinado, nem conseguirá perceber muita diferença em relação às outras tecnologias.

Mas se você deseja assistir um filme com ‘aquela’ qualidade, em Blu-ray, ou praticamente se sentir dentro de um estádio de futebol (vale para outros eventos esportivos), certamente as TVs de Plasma são as mais adequadas, por conta da sua taxa de contraste e das cores mais nítidas. O meio termo entre estas tecnologias são as tela LED. No geral, a taxa de atualização costuma ser mais rápida nesses modelos, colocando-as como as mais indicadas para os videogames de última geração.



quinta-feira, 27 de outubro de 2011

Bicicleta troca de marcha com a força do pensamento

Em abril, a japonesa Toyota pediu a ajuda de especialistas em bicicletas para desenvolver um modelo inspirado no Prius, o badalado carro híbrido da montadora. O protótipo do que isso significa pode ser visto na foto abaixo. À primeira vista, a PXP parece uma magrela comum. Não é. Para trocar de marcha, o ciclista só precisa usar a força do pensamento.


Ou seja, se ele estiver subindo uma ladeira tem de pensar “subir a marcha”, e, como num passe de mágica, a bicicleta fica mais leve. O segredo está num capacete com neurotransmissores que lêem o cérebro e conversam com um iPhone instalado no guidão.

Quem não se acostumar com a ideia não precisa se preocupar: um aplicativo que analisa a cadência das pedaladas e o ritmo cardíaco ajuda a trocar de marcha. A PXP ainda não tem previsão para ser produzida em série.

terça-feira, 25 de outubro de 2011

Pesquisa descarta relação entre uso de celular e aparecimento de câncer

O maior estudo já realizado para investigar a possível conexão entre o uso de telefones celulares e câncer não encontrou evidências de que esses aparelhos estimulem a formação de qualquer tipo de câncer. A pesquisa envolveu 350 mil pessoas e concluiu que não havia diferença nas taxas de incidência de câncer entre usuários de celulares por uma década e não usuários. Em 2010, um outro estudo deixou dúvidas a respeito dessa questão, e não descartou a possibilidade de aparecimento de glioma, um raro porém letal tumor cerebral em indivíduos que passam horas nesses telefones.

Na época, a Agência Internacional para a Investigação de Câncer classificou a energia eletromagnética dos telefones celulares como "possivelmente cancerígena". Mas esses aparelhos não emitem o mesmo tipo de radiação aplicada em alguns exames de radiologia, dizem especialistas. E duas agências americanas - a Administração de Drogas e Alimentos (FDA) e a Comissão Federal de Comunicações - não encontraram qualquer vínculo entre celular e câncer.

Na investigação publicada na edição on line da "Revista Britânica de Medicina", os autores atualizaram estudo prévio que examinou 358.403 usuários de celulares, com média de idade de 30 anos na Dinamarca, de 1990 a 2007. As taxas de câncer nos usuários de celulares durante aproximadamente 10 anos foram similares às taxas em participantes sem telefone celular. E os usuários não apresentaram uma maior probabilidade de desenvolver tumor de cérebro, como glioma.

Porém, mais de cinco milhões de pessoas em todo o mundo usam celulares, o que dificulta a realização de estudos comparando a incidência de câncer em usuários dos aparelhos e não usuários.

segunda-feira, 24 de outubro de 2011

Candidatos são desclassificados por twitarem durante prova do Enem

Oito candidatos do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) foram retirados de sala e desclassificados após serem flagrados por fiscais de sala utilizando o celular. Segundo o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais (Inep), os candidatos estavam acessando a rede social Twitter via telefone. Alguns inclusive tiraram foto do caderno de provas.

Foram excluídos do Enem candidatos nas localidades de Arari (MA), Foz do Iguaçu (PR), Guaíba (RS), Itararé (SP), Porto Alegre (RS), Sananduva (RS), Santarém (PA) e Santo André (SP),

O uso de qualquer aparelho eletrônico é proibido e os aparelhos devem ser desligados e entregues aos aplicadores antes do início da prova. O exame teve início às 13h e termina às 18h30. Neste sábado (22), os participantes responderão a 90 questões de ciências humanas e da natureza. No domingo (23), as provas são de linguagens e matemática, além da redação. O Enem está sendo aplicado em 14 mil locais de prova a 5,3 milhões de estudantes.

Candidato eliminado na fase de investigação social deve prosseguir em concurso

A eliminação de candidato em concurso público fundamentada no fato de responder a ações penais sem sentença condenatória, ou por ter o nome inscrito em cadastro de inadimplência, “fere o princípio da presunção de inocência”. Foi o que entendeu a Quinta Turma do Superior Tribunal de Justiça (STJ) ao deferir recurso de candidato eliminado na fase de investigação social de concurso.

O certame foi promovido pela Secretaria de Segurança Pública do Distrito Federal, para provimento de vagas e formação de cadastro de reserva ao cargo de técnico penitenciário, em 2007. O candidato havia passado na prova objetiva e no exame de aptidão física, mas foi desclassificado na fase de investigação de vida pregressa.

O motivo é que ele respondia a duas ações penais. Uma por receptação qualificada e outra pelos delitos previstos nos artigos 278, por crime contra a saúde pública, e 288, por formação de quadrilha ou bando, ambos do Código Penal. Além disso, tinha seu nome incluído em cadastro de serviço de proteção ao crédito por quatro vezes. O candidato entrou com recurso administrativo, mas logo os aprovados foram convocados para a última fase do concurso.

Inconformado, ele entrou com mandado de segurança no Tribunal de Justiça do Distrito Federal. Sustentou que não havia sido condenado e que as inscrições do seu nome em cadastro de devedores não determinaria caráter inidôneo, refletindo apenas “condições financeiras adversas”. Ele alegou ainda que vislumbrou no certame a única saída para suas dificuldades.

Os desembargadores negaram o pedido, em vista da “essencialidade da idoneidade moral e de conduta ilibada do servidor que estará em contato direto com os internos do sistema prisional do Distrito Federal”. Os magistrados destacaram que a exigência constava expressamente no edital.

No documento, a instituição organizadora do concurso afirmava que os candidatos seriam “submetidos à sindicância da vida pregressa e investigação social, de caráter unicamente eliminatório, para fins de avaliação de sua conduta pregressa e idoneidade moral”, e que esses eram “requisitos indispensáveis para aprovação no concurso público”.

Ao julgar o recurso em mandado de segurança no STJ, a relatora do caso, ministra Laurita Vaz, afirmou que a eliminação amparada em processos criminais que ainda não resultaram em condenação “fere o princípio da presunção de inocência” e contraria entendimentos anteriores da corte.

A relatora entendeu ainda que o fato de o nome do candidato constar em cadastro de inadimplência não seria suficiente para impedir o acesso ao cargo público, e que a desclassificação nesse sentido é “desprovida de razoabilidade e proporcionalidade”. Citando jurisprudência pacífica do Supremo Tribunal Federal (STF) em apoio a sua tese, Laurita Vaz foi acompanhada pela maioria do colegiado.

sábado, 22 de outubro de 2011

AUTENTICIDADE CRISTÃ


Uma das práticas mais reprováveis do cristão é a incoerência entre fala e ação. Quantas belas palavras e discursos maravilhosos ouvimos e proferimos diariamente, mas, quando comparamos isso com nosso agir, quanta hipocrisia!
Jesus é severo contra a hipocrisia dos legisladores e dos fariseus e nos convida a não imitá-los. Será que hoje podemos aplicar a censura de Jesus só aos políticos e às autoridades civis e religiosas ou ela se aplica também a nós, simples mortais, que nos denominamos cristãos?

O alerta de Jesus é para todos. Proferimos palestras maravilhosas sobre o amor, a paz, o respeito; depois, em ambientes privados, somos grosseiros, violentos e desleais. Na comunidade somos zelosos, devotos e nos sentamos em lugares de destaque nas celebrações eucarísticas; depois, em casa, maltratamos a esposa ou não damos atenção aos filhos.

Somos generosos com a comunidade, pagamos o dízimo de forma exemplar; depois, no mundo do trabalho, sonegamos impostos, logramos os fregueses, somos injustos com os empregados. Belos discursos sobre os problemas da terceira idade ou sobre as crianças de rua, depois, no dia a dia, não conseguimos sequer dar atenção a um idoso e jamais abraçamos uma criança.

Jesus acusa os fariseus e os letrados de ontem e de hoje porque se mostram severos com outros e tolerantes demais consigo mesmo; porque assumem poder como meio de dominar e ocasião de enriquecimento, em vez de vê-lo como serviço; porque aproveitam do saber para enganar e dominar, em vez de partilhá-lo para aproximar e libertar as pessoas; porque gostam de títulos honoríficos e seu comportamento obscurece o título do verdadeiro mestre - Cristo, manso e humilde de coração.

Podemos aprender no evangelho a superar toda tendência de vaidade, de busca de superioridade. Esse evangelho nos convida a reconhecer que somos todos irmãos e nosso verdadeiro Pai é Deus - e nosso autêntico líder é Cristo. Na sincera humildade está; a grandeza de cada pessoa, e no testemunho verdadeiro sem falsidade, está nossa prova de autênticos cristãos.

sexta-feira, 21 de outubro de 2011

Estudo revela que Internet e redes sociais podem estar “mudando” nossos cérebros

Segundo um novo estudo, os sites de redes sociais podem estar mudando o cérebro das pessoas, bem como sua vida social.
Varreduras do cérebro das pessoas mostram uma ligação direta entre o número de amigos no Facebook e o tamanho de certas partes de seu cérebro.
Os cientistas não sabem dizer se o uso de redes sociais é que aumenta a massa cinzenta, ou se as pessoas com certas estruturas cerebrais são apenas melhores em fazer amigos.
As regiões envolvidas no estudo têm um papel na interação social, memória e autismo.
Os pesquisadores contaram o número de amigos no Facebook que cada voluntário tinha, bem como avaliaram o tamanho de sua rede real de amigos.
Uma forte ligação foi encontrada entre o número de amigos no Facebook que uma pessoa tinha, e a quantidade de matéria cinzenta em certas partes de seu cérebro.
O estudo também mostrou que o número de amigos no Facebook refletia o número de amigos “verdadeiros” que alguém tinha.
“Encontramos algumas regiões do cérebro que parecem se ligar com o número de amigos que temos, tanto ‘reais’ quanto ‘virtuais’”, disse Ryota Kanai, um dos pesquisadores da University College London. “A questão interessante agora é saber se estas estruturas mudam com o tempo. Isto nos ajudará a responder à pergunta de se a internet está mudando nossos cérebros”, explica.
Uma região envolvida é a amígdala, que está associada com a memória e as respostas emocionais.
Pesquisas anteriores já haviam mostrado uma ligação entre o volume de massa cinzenta na amígdala e o tamanho e complexidade das redes sociais do mundo real. Massa cinzenta é o tecido do cérebro onde o processamento mental ocorre.
Três outras áreas do cérebro estavam ligadas com o tamanho da rede online de alguém, mas não com a contagem de amigos do mundo real.

O sulco superior direito temporal tem um papel importante na percepção e pode ser prejudicado no autismo. O giro médio esquerdo temporal é associado a “ler” os sinais sociais, enquanto a terceira área – o complexo direito entorrinal – é pensado para ser importante na memória e navegação.

Geraint Rees, cientista que liderou a pesquisa, disse que pouco se sabe sobre o impacto das redes sociais sobre o cérebro, o que levou a especulações de que a internet é algo ruim para nós.

“Nosso estudo nos ajudará a começar a entender como nossas interações com o mundo são mediadas através de redes sociais”, disse. “Isso deve nos permitir começar a fazer perguntas inteligentes sobre a relação entre a internet e o cérebro – questões científicas, não políticas”.

Embora o estudo tenha encontrado uma ligação entre a estrutura do cérebro humano e o tamanho da rede social online de uma pessoa, não é possível estabelecer causa e efeito

Aparelho que detecta problemas cardíacos

Uma equipe de pesquisadores da Universidade Politécnica de Lausanne, na Suíça, fabricou um dispositivo eletrônico que detecta anomalias no ritmo cardíaco da pessoa em tempo real e envia a informação do eletrocardiograma, já analisada, ao próprio paciente e a seu médico.

O líder do estudo, o espanhol David Atienza, disse que ao contrário de outros aparatos, este é capaz de interpretar dados e avisar quando algo sai do normal. "Até agora, este tipo de dispositivo apenas coletava informação, que mais tarde tinha que ser analisada pelo médico, enquanto este já indica possíveis patologias que o paciente pode apresentar", explicou Atienza.

O investigador afirmou que o aparelho envia uma mensagem ao telefone celular do paciente se detectar algo errado, além de enviar um e-mail a seu médico com informações detalhadas. "Ambos recebem a evolução do eletrocardiograma das últimas duas horas", precisou o pesquisador.

Desta forma, é possível descobrir anomalias cardíacas num estágio muito inicial, o que pode prevenir problemas maiores. O dispositivo, batizado WBSN ("wireless body sensor network"), requer um modo de transmissão das informações padrão, que pode ser via GPS, 3G ou Bluethooth, e pode ser usado em celulares iPhone, Nokia e HTC.

Atienza contou que a eficácia do WBSN foi comprovada em 20 pacientes com problemas cardíacos e em mais cem pessoas, mas que antes de ser comercializado o aparelho precisa passar por mais uma etapa de estudos. "O processo completo deve estar pronto em quatro ou cinco meses, porque já temos a tecnologia, que é o mais complicado", disse o cientista.

Seu lançamento no mercado, no entanto, pode demorar um pouco mais pois dependeria de decisões empresariais das companhias que já demonstraram interesse em comercializar o aparelho. De acordo com Atienza, existem duas empresas interessadas em sua venda, e três companhias de saúde que pretendem comercializar o produto aos seus assegurados.

"Segundo meus cálculos, se forem fabricadas cinco mil unidades, o que é um número razoável de alcançar, o dispositivo poderia ser vendido por cerca de 50 euros", estimou o líder do estudo.

Concursos públicos podem ter exame antidoping

A Comissão de Educação, Cultura e Esporte da Câmara dos Deputados aprovou nesta terça-feira, 18, a exigência do exame antidoping nas provas físicas realizadas em concursos públicos.
O projeto de lei, de autoria do senador Acir Gurgacz (PDT-RO), determina ainda que o exame antidoping em concursos públicos seja feito segundo normas e procedimentos adotados pelas entidades nacionais de administração do esporte olímpico, tudo com divulgação obrigatória no edital do concurso.
Igualdade entre candidatos
Segundo o deputado Gurgacz, a ausência do exame antidoping nos testes físicos de concursos públicos dá margem para desrespeitos ao princípio constitucional de igualdade entre os candidatos. O objetivo é punir aqueles que usarem algum medicamento para melhorar o desempenho físico.
A matéria segue agora para votação em caráter terminativo na Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania da Câmara.

terça-feira, 18 de outubro de 2011

A semana de ciência e tecnologia

Essa semana vai ser bem movimentada para os estudantes da área de computação. Desde a última segunda-feira (17.10), teve início a Semana Nacional de Ciência e Tecnologia, que vai terminar nesta sexta-feira (21.10). Os dias estão sendo marcados por palestras, discussões, entre outras atividades que fazem parte do evento. Vários pontos do Recife vão abrir as portas para assuntos inovadores. A Poli/UPE, por exemplo, vai lançar um programa de incentivo a inovação, o Polinovação.
O programa vai ser lançado durante a semana, no qual vai apresentar uma feira de 20 inovações previamente selecionadas por alunos e professores. O Polinovação faz parte de um programa maior de empreendorismo jovem em Pernambuco, denominado Células Empreendedoras (www.celulasempreendedoras.com.br). Ele já conta com seis instituições em todo estado incluindo cidades como Recife, Garanhuns, Jaboatão e Escada. “A principal mudança é ese modelo profissional. O aluno tem uma participação mais ativa”, comenta o professor da Poli/UPE, Genésio Gomes. Segundo Gomes, é necessário juntar pólos diferentes para fazer uma inovação completa. “Música, artes, tudo isso faz parte. No final da semana de tecnologia vamos ter a apresentação de oito bandas de alunos da Poli”, reforça.
Além disso, durante a semana universitária a Poli promove o X Seminário de Engenharia da Computação (sec.ecomp.poli.br), um evento sobre “Educação e Inovação na Era das Mídias Digitais”. As palestras vão acontecer na Poli que fica próximo ao clube Internacional.
Já no Instituto Federal de Pernambuco (IFPE) os alunos, orientados por professores se dedicam ao lado mais científico. São estudantes de diferentes cursos que sob a supervisão dos docentes do campus, decidiram adorar como diversão e compromisso o desenvolvimento de tecnologia. Entre os grupos dedicados a essa iniciativa, destaca-se o professor do curso de sistema da informação, Anderson Moreira. Ele está a frente de um grupo com projetos voltados para a robótica, desenvolvendo a computação aplicada como apoio a deficientes físicos.
Já o professor Rômulo César de Araújo, também parte da coordenação de Eletrônica e Telecomunicações e a estudante Fernanda dos Santos, 18, estão investindo em um projeto de telemetria dos metrôs do Recife. O docente esxplica que a partir de sensores eletrônicos no meio de transporte, são captadas e enviadas para um centro de controle via rede sem fio. Os dados relativos ao peso, possibilitam o levantamento de uma estimativa do número de passageiros. Informações referentes à velocidade favorecem uma maior precisão da localização do metrô, bem como o tempo de parada numa plataforma ou em virtude de alguma ocorrência.

domingo, 16 de outubro de 2011

Santos Dumont: o pai da aviação


Em 19 de outubro de 1901 Alberto Santos Dumont contorna a Torre Eiffel em um balão dirigível. Com o balão N-6, de 622 metros cúbicos e motor de 20 cavalos, Dumont venceu o Prêmio Deutsch, uma competição criada pelo milionário francês Henri Deutsch de la Meurthe que visava premiar o criador da primeira aeronave dirigível prática.O feito fez com que o brasileiro fosse reconhecido internacionalmente como o maior aeronauta do mundo. O prêmio que ganhou, de 129 mil francos, foi distribuído entre sua equipe e desempregados de Paris.
O pai da aviação (20 de julho de 1873 – 23 de julho de 1932) viveu em Paris, onde estudou ciência e mecânica, e tinha o costume – atípico para a época – de deixar suas pesquisas como domínio público, livres de registros e patentes. Tornou-se digno da denominação de pioneiro quando mostrou ter criado um avião capaz de voar a partir de uma decolagem própria, sem o impulso de catapultas: o 14-Bis.
O primeiro voo do 14-Bis ocorreu em 23 de outubro de 1906, no Campo de Bagatelle, em Paris, sob o testemunho oficial de especialistas, jornalistas e da população parisiense. Após pegar impulso com as rodas que faziam parte de sua própria estrutura, inovadora, o avião voou cerca de 60 metros a uma altura de dois a três metros. Menos de um mês depois, o feito foi repetido – porém, dessa vez, foram percorridos 220 metros a uma altura de seis metros. Mas foi em em 13 de setembro de 1906 que Santos Dumont tornou-se o primeiro homem a elevar-se no ar por seus próprios meios. Aqui, o voo alcançou sete metros de altura.
Houve polêmica em torno do pioneirismo na aviação, já que antes de Santos Dumont os irmãos Wright, mecânicos norte-americanos filhos de um fazendeiro, já haviam realizado uma decolagem, no ano de 1903. Ficou oficialmente determinado que Dumont foi o primeiro a partir da comprovação de que a invenção dos irmãos não era capaz de voar sozinha, mas somente se fosse impulsionada por catapultas. O avião da dupla de inventores não contava com rodas em sua estrutura.

sábado, 15 de outubro de 2011

Estudo revela espionagem norte-americana no Brasil

Documento da Embaixada Americana com informações sobre o Brasil
Eram os adidos trabalhistas, que foram enviados ao Brasil para descentralizar o operariado das mãos do governo da época. Em pesquisa de doutorado realizada na Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas (FFLCH) da USP, Afonso analisou a ação dos adidos trabalhistas norte-americanos e ingleses no Brasil, entre 1943 e 1952. “A vinda dessas lideranças foi uma tentativa de “fazer a cabeça” dos brasileiros para a busca da desvinculação de sua atuação do Estado”, afirma.
O pesquisador descreve os adidos trabalhistas como pessoas que não pertencem ao quadro diplomático de determinado país, mas servem junto à estes órgãos representando interesses específicos, como o adido militar e o adido cultural, por exemplo. Quando Roosevelt assumiu a presidência dos Estados Unidos, em 1933, colocou os adidos trabalhistas para se inteirarem da movimentação sindical ao redor do mundo, que tinha fios ideológicos ligados a esquerda proposta pelos soviéticos. “Mesmo sabendo da contraposição que ia sofrer, Vargas não pôde se indispor à presença dos grupos, pois estes se apresentavam oficialmente como membros da embaixada norte-americana no Brasil”, revela Afonso. Segundo o professor, as lideranças norte-americanas queriam criar uma grande central sindical mundial, a qual comandariam.

Foram analisados cerca de 9 mil documentos do governo americano
Atenção redobrada
No segundo mandato de Vargas, a atenção dos adidos trabalhistas no Brasil foi redobrada, pois o Departamento de Estado sabia que sua liderança ia de encontro com o desejado pelos EUA para o Brasil, bem como para a América Latina toda. Os documentos comprovam que, logo após o final da Segunda Guerra, eles mudam de tom e voltam a ver todo o resto do continente americano como um fornecedor de matérias-primas e uma possibilidade para expansão de mercado. Ainda assim, Afonso diz não ter encontrado nos documentos uma comprovação oficial de que os Estados Unidos articularam um boicote ao governo Vargas.
Segundo Afonso, o programa dos adidos trabalhistas foi criado depois da Crise de 1929 para que o Departamento de Estado tivesse um maior controle sobre a situação de suas empresas no exterior. “O Departamento de Estado é um braço do modelo econômico”, diz. À época, as motivações para as ações se davam para impedir a organização do corpo de funcionários de empresas norte-americanas ao redor do mundo, que possivelmente atuariam em greves, passeatas e ações contra seus empregadores.
A ideia para a pesquisa surgiu durante a elaboração de seu mestrado, sobre a presença do partido comunista na Assembleia Legistativa de São Paulo, quando encontrou documentos norte-americanos secretos que apresentavam um pretendido controle sobre o Partido Comunista Brasileiro (PCB). Eles eram camuflados por interesses dos Estados Unidos no Brasil no período da Segunda Guerra e no pós-guerra. Naquela ocasião, o movimento sindical ao redor do mundo era preocupante, pois recebia o apoio da União Soviética. Além de o Brasil ser um mercado em expansão e cabia aos EUA garantir que suas empresas dominassem o parque industrial que viria em seguida.
Período nos EUA
Foram cinco meses nos Estados Unidos analisando documentos antes arquivados como secretos ou de circulação restrita. O selo “TOP SECRET” sobre as caixas que guardavam os documentos tinha sido riscado e sobre ele posto um novo selo “Desclassified”, ou seja, o Estado não julgava mais aquilo como secreto, apenas como uma parte da política externa do passado do país. O acesso aos documentos é irrestrito, inclusive para estrangeiros. Contudo, as perguntas sobre o desenrolar da pesquisa foram muitas e minuciosas.
Afonso diz ter se surpreendido com os dados encontrados em sua pesquisa por se deparar com uma enorme logística voltada para a espionagem e tentativa de doutrinação. A abertura e análise de documentos antes secretos facilita a compreensão de uma época marcada e movida por divergências entre potências de ideologias antagônicas, além de tirar do campo das hipóteses a noção de que os Estados Unidos tinham, deveras, um controle sobre tudo o que estava dentro do seu campo de interesse nas relações exteriores.

Vem aí o Horário de Verão, de novo.

Neste domingo entra em vigor no Sul, Sudeste e Centro-Oeste do Brasil, o Horário de Verão, no qual os relógios deverão ser adiantados em uma hora, até o dia 26 de fevereiro de 2012. Com a medida, o Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS) estima uma economia de R$ 175 milhões (considerando o custo do investimento evitado com expansão da capacidade instalada para atender a uma demanda mais elevada, essa estimativa alcança R$ 3,6 bilhões), e esses números ainda não incluem a participação da Bahia, que voltará a adotar o Horário de Verão depois de oito anos.
Para os fãs de praia, o Horário de Verão é uma bênção, e no litoral do país, a população ansiosa pela expectativa de permanecer nas areias escaldantes por mais uma hora recebe a medida com sorrisos. Muitos creem que a saída do trabalho sob a luz do sol melhora o humor e aumenta a produtividade. No entanto, o horário também tem seus detratores.
De acordo com o endocrinologista Daniel Benchimol, o adiantamento em uma hora cria desajustes em várias ações hormonais e metabólicas do corpo. Esses desajustes se repetem quatro meses mais tarde no fim do horário de verão. “É importante que as pessoas repousem mais e façam mudanças graduais antecipadas para o novo sistema”, diz ele. Além disso, sair do trabalho com um céu ensolarado pode ser revigorante, mas, pra muitos, chegar ao trabalho na escuridão das ruas pode ser não apenas desestimulante, mas também perigoso.
Uma dúvida, no entanto, permanece: onde vão parar esses R$ 3,6 bilhões de economia? Provavelmente no setor energético, já que os anúncios de construções de novas usinas hidrelétricas se multiplicam pelo país. Ou talvez não, já que no Brasil, o destino final do dinheiro é sempre uma incógnita.

terça-feira, 11 de outubro de 2011

Colômbia treina ratos para localizar minas

Um projeto desenvolvido na Colômbia treina ratos de laboratório para encontrar minas terrestres, enterradas em áreas que cobrem mais de 70% do território do país.


Como os roedores são extremamente leves, eles não detonam os explosivos com o peso do próprio corpo, podendo substituir cães e homens na tarefa de encontrar as minas antipessoais.

O estudo, iniciado há quatro anos no Laboratório de Comportamento Animal da Escola de Pós-Graduação da Polícia Nacional da Colômbia, em Bogotá, mostra que os camundongos precisam treinar por três meses até ficar aptos a encontrar as minas.
A veterinária Luisa Fernanda Méndez, idealizadora do projeto, disse à BBC Brasil que a ideia surgiu com a necessidade de acelerar o processo de desativação de minas na Colômbia, primeiro colocado no ranking de minas terrestres depositadas no mundo.
'Existem explosivos e bombas enterradas em 78% do território colombiano e, como ratificamos a Convenção de Ottawa (que proíbe minas terrestres), temos de avançar na missão de desativar as minas no país', diz Luisa.
Atualmente, segundo ela, este trabalho é feito por cães policiais treinados e por militares, que muitas vezes detonam os artefatos somente ao tocá-los, e acabam feridos ou mortos.
Entre 2006 e 2010, 23 cães e 220 soldados foram mortos ou feridos pelas minas. Assim, Luisa tomou como exemplo uma pesquisa realizada com roedores da Tanzânia, usados para encontrar bombas, para criar uma opção para desativar os explosivos.
Ela afirma que o modelo não deu certo no país africano devido ao peso dos roedores, que tinham em média 750 gramas - um artefato pode ser ativado com mais de 500 gramas de contato por pressão ou arrastamento.
'Começamos a pensar em um animal capaz de seguir instruções e de rastrear. Tentamos ratos silvestres, mas devido à cor, os perdíamos facilmente no ambiente natural. Depois tentamos gatos, mas obtivemos êxito com os ratos brancos', diz.
'Em média, (os camundongos) encontram as minas em 86% das buscas, sendo que alguns alcançam a marca de 95% de acertos e não detonam os explosivos porque pesam cerca de 450 gramas', afirma Luisa.
Socialização
O trabalho de adestrar os ratos para encontrar as minas já começa nas primeiras horas de nascimento. Luisa e seu assistente, o subtenente Erick Guzman, participam de todo o processo e colocam nomes nos ratinhos já nas suas primeiras horas de vida.
'Nós os chamamos pelos nomes - Sofia, Matteo e Paco, por exemplo - e ficamos em contato direto, para que se acostumem aos seres humanos', diz a veterinária.
Além disso, o laboratório tem dois gatos, que no início foram usados para 'demarcar território' e impedir a entrada de outros gatos que vivem nas redondezas e que entravam no local para atacar os ratos.
A integração entre os felinos e os ratos é tão grande que eles também participam das atividades de treinamento dos pequenos filhotes.
'O ambiente é o mais adaptado possível às condições externas, e os ratinhos fazem visitas aos escritórios do centro de treinamento para se socializar. Esse é o primeiro passo para que eles não se sintam estressados ou desconfortáveis', diz a pesquisadora.
Treinamento
A primeira parte do treinamento é feita com os filhotes em labirintos dentro do laboratório e depois em campo aberto. A etapa seguinte é feita em campo aberto, em um ambiente simulado.
Os camundongos são treinados para encontrar os sete tipos de artefatos e explosivos mais comuns na Colômbia. Os roedores são ensinados a buscar as minas por meio de comandos de voz.
'Isso é feito a até 10 metros de distância entre nós e os ratos, o ideal para ter segurança na atividade no ambiente real', diz a veterinária.
Segundo ela, quando os camundongos encontram a mina, ficam quietos e esperam pela recompensa: um torrão de açúcar.
Quando os ratos encontram as minas, segundo Luisa, as equipes especializadas têm uma média de 4 a 5 minutos para desarmar os artefatos.
A primeira experiência com minas ativas e em ambiente real será feita em dezembro deste ano.
Bem-estar animal
A veterinária brasileira Ekaterina Botovchenco Rivera, membro ad hoc da Organização Mundial de Saúde Animal (OIE), considera este trabalho um bom exemplo.
'A balança tem que estar em quase equilíbrio, pesando mais para o bem-estar dos animais. Aqui nós vemos a busca desse bem-estar, na proposta de substituir o cão, que sofre, por outra espécie que poderá não ser vitimada', disse Rivera à BBC Brasil.
A especialista também elogiou o modo como é realizado o treinamento, por meio da recompensa positiva, fazendo com que os animais colaborem de forma espontânea.






sexta-feira, 7 de outubro de 2011

Peugeot Citroën apresenta triciclo elétrico

A PSA Peugeot Citroën apresentou durante o Fórum da ADEME (Agence de l'Environnement et de la Maîtrise de l'Energie – Agência do Meio Ambiente e da Matriz Energética da França), em Paris, um projeto de veículo denominado de o Veículo Elétrico Leve para a Cidade. O VéLV foi desenvolvido pelo Grupo em colaboração com um consórcio de empresas francesas e um laboratório de pesquisa.
O modelo é um triciclo elétrico para três pessoas, com uma potência de 20 kW e com peso de 650 kg, 100 km de autonomia e 110 km/h de velocidade máxima. Com 7,20 metros de diâmetro de esterçamento, ele consegue indicar, em tempo real, o perímetro de ação do veículo em função de sua autonomia e identificar os postos de recarga acessíveis com a energia disponível.
Esse projeto tem como objetivo limitar a quantidade de energia embarcada, propondo um veículo lúdico que proporcione prazer de dirigir, graças ao motor elétrico e ao seu torque máximo imediatamente disponível, associado a um peso reduzido. O baixo consumo de 85 Wh/km tem um nível equivalente ao deslocamento de uma pessoa viajando de trem. O VéLV também respeita as exigências da regulamentação dos veículos particulares em matéria de segurança passiva.
Este conceito tem como público alvo às frotas empresariais, à locação de veículos, a pessoas que pretendem comprar um segundo carro e a inúmeros clientes particulares que desejam melhorar sua mobilidade na cidade. O VéLV responde aos desafios do futuro dos transportes, concorrendo para o desenvolvimento de sistemas de tração elétrica leves e contribuindo assim com todo o setor de veículos elétricos na França, com o apoio da ADEME.

Bancadas Evangélica e Católica Atuam Juntas no Congresso



Deputados e senadores das bancadas evangélica e católica atuam juntos monitorando e interferindo na tramitação de 368 projetos na Câmara e no Senado.
A atuação se dá em propostas como união civil entre homossexuais, criminalização da homofobia, contra os abortos legais e o chamado "divórcio instantâneo" - projeto que permite que esse processo se dê via internet- entre dezenas de outros.
De acordo com o jornal O Globo, os religiosos atuam em duas frentes: para atrasar, retirar de pauta ou rejeitar projetos que contrariam suas ideologias, e, por outro lado, trabalham pela aprovação de propostas de interesse do segmento.
Uma dessas propostas é Estatuto do Nascituro, que prevê o pagamento de um salário mínimo para mulheres que engravidaram após estupro. Essa pensão pode perdurar até a criança completar 18 anos.
Juntos, evangélicos e católicos formam um grupo de cerca de cem parlamentares.
Em entrevista a O Globo, o coordenador da bancada evangélica João Campos (PSDB-GO), disse: “foi-se o tempo em que católicos e evangélicos se estranhavam aqui no Congresso. Principalmente pelas críticas dos católicos aos cultos evangélicos. Esse tempo passou, e hoje trabalhamos juntos na proteção da família e da vida”.
De acordo com o estudo, a Atuação Política Católica e Evangélica no Congresso Nacional, feito pelo consultor legislativo da área de ciência política Márcio Nuno Rabat, “a presença católica e evangélica no Congresso Nacional é uma das facetas de sua presença de sua presença na sociedade brasileira”.
“Com o aumento dos evangélicos entre a população brasileira, não há diferenças tão significativas em temas ligados ao comportamento, como aborto e homossexualismo”, diz o estudo. De acordo com ele, católicos e evangélicos “apresentam pouca distinção, inclusive, nos percentuais dos que são pela proibição total e dos que são pela proibição parcial do aborto”.

Morre Steve Jobs, e aí, o que ele fez por mim ou por você?

É comum que gênios só sejam reconhecidos após a morte. Não foi o caso de Steve Jobs, que morreu na quarta-feira, aos 56 anos, na Califórnia. Antes mesmo de ser tido como as mentes visionárias por trás de quatro das maiores invenções contemporâneas: o Macintosh, o iPod, o iPhone e o iPad - Jobs já era uma lenda.
Foi ele o responsável por revolucionar o modo de se consumir tecnologia por usuários de todo o mundo. A saúde frágil, que o acompanhou nos últimos oito anos, após ser diagnosticado com um tipo raro de câncer no pâncreas, se opunha à criatividade vivaz do jovem californiano que construiria os primeiros computadores pessoais ainda na década de 1970.
A reverência ao estilo criado por Jobs - seja pela reinvenção na forma de se escutar música com seu iPod, ou a popularização dos aparelhos com telas sensíveis ao toque, como o iPhone e o tablet iPad - fez com que milhões, até mesmo seus maiores concorrentes, lamentassem a perda do ícone pop. “O mundo raramente vê alguém que teve o impacto profundo que ele obteve”, reconheceu o maior rival de Jobs, Bill Gates.

Sem dinheiro
Criado por pais adotivos, ele cresceu no Vale do Silício, lugar que abriga hoje os maiores grupos de informática do mundo. Ali, Jobs logo despertaria a curiosidade para a efervescente tecnologia que se desenvolvia na região. Aos 17 anos, sem dinheiro para cursar mais que um semestre na Universidade Reed, abandonou as aulas, mas continuou fazendo cursos fora da grade curricular. É dessa época uma das muitas histórias responsáveis por criar o mito Steve Jobs.

Em 2005, em um discurso para uma turma de formandos da Universidade de Stanford, Steve confessaria que a elegância e praticidade, apontadas como características das tipologias nos produtos Apple.inc, haviam sido aprendidas anos antes, nas aulas de caligrafia em um desses muitos cursos.
“Você tem que acreditar em alguma coisa, Deus, kharma, vida, destino, o que for. Porque acreditar que os pontos (de sua vida) vão se ligar em algum momento vai te dar confiança para seguir seu coração, mesmo que ele te leve para lugares imprevistos, o que fará toda a diferença”, profetizou. No mesmo discurso aos graduandos de Stanford, que teve milhões de acessos no YouTube, Jobs falou sobre o que tinha como leme: “Se hoje fosse o último dia de minha vida, eu iria querer fazer o que vou fazer hoje? E sempre que a resposta foi ‘não’, eu soube que eu tinha de mudar alguma coisa”.
Preparado para o fim
Diagnosticado com o câncer de pâncreas em 2003, o visionário Jobs - que deixou mulher e quatro filhos - parecia, nos últimos anos, estar se preparando para o fim e conformado com isso. “Ninguém quer morrer. Mesmo as pessoas que querem chegar ao Paraíso não querem morrer pra estar lá. Mas, apesar disso, a morte é um destino de todos nós. Ninguém nunca escapou. E deve ser assim, porque a morte é provavelmente a maior invenção da vida. É o agente de transformação da vida. Ela elimina os antigos e abre caminho para os novos”, afirmou.

Vegetariano e dono de espírito intuitivo e livre, aos 20 anos, Jobs partiu para Índia em uma viagem de autodescoberta que incluiu o uso de chás alucinógenos e LSD. Não raro, expressões como kharma, destino e intuição entrecortavam seus discursos, que lembravam os dos muitos hippies americanos.
Maça mordida
Um ano depois da viagem à Asia, surgiria a Apple e sua maçã mordida. O símbolo remontaria à descoberta da lei da gravidade por Newton, e celebraria o conhecimento científico na simples vida cotidiana. Jobs viveu isso na prática. Foi da garagem da casa de seus pais, em 1976, junto com o amigo Steve Wozniak, que criou a empresa que mudaria nosso modo de viver. A partir daí, o que se viu foi uma sucessão de equipamentos e softwares bem desenvolvidos, como o sistema operacional Macintosh. Diferentemente da Microsoft, que disponibilizava softwares e computadores a preços populares, com o Windows, a Apple manteve o alto padrão dos produtos e o sigilo da tecnologia.

Sempre à frente de suas criações como um pai orgulhoso, Jobs tornou-se uma espécie de herói-popstar-alternativo para os milhares de fãs da Macintosh, que se opunham ao Windows, tido como pouco desenvolvido, monopolizador e falível.
Apesar do sucesso, a Apple enfrentou uma crise na década de 80. Tido como arrogante e irascível, foi deposto da própria empresa em 85. Desempregado, criou outra empresa, a NeXT. O retorno para a Apple viria mais de 10 anos depois, quando a empresa comprou o sistema da NexT por US$ 429 milhões. Era a volta do criador à sua criatura. Em 2011, 15 anos depois, a Apple é a empresa de tecnologia mais valiosa do mundo.
Genialidade controversa
A criatividade de Jobs não se restringiu à criação de softwares ágeis ou interfaces harmônicas. Nos 11 anos em que esteve fora da Apple, ele ajudou a criar a Pixar, estúdio de criação de filmes por computação gráfica. Filmes como Toy Storu e Procurando Nemo fizeram história. Em 2006, Jobs vendeu a Pixar à Disney e tornou-se o maior acionista da gigante do entretenimento. Boa parte de sua fortuna de US$ 8,3 bilhões vinha daí.
Se os elogios por parte dos fãs eram muitos, não eram suficientes para calar as inúmeras críticas em torno do seu jeito intransigente e crítico. Não faltam depoimentos de empregados humilhados ou duramente criticados pelo exigente Jobs.
Pouco simpático a ver sua vida particular devassada por jornais e canais de TV, ele evitava falar sobre os pais biológicos, o cientista político sírio Abdulfattah John Jandali, de 80 anos, e a americana Joanne Simpson. Logo após ver o filho abandonar o comando da Apple, em 28 de agosto, por conta dos problemas de saúde, Abdulfattah disse que não o procuraria. “Steve vai ter que fazer isto, pois o meu orgulho sírio não quer que ele pense que estou atrás de sua fortuna”, disse. Jobs não o procurou e morreu sem conhecer o pai.
O legado de Jobs
O cofundador da Apple morreu 42 dias depois de passar o comando da empresa para seu sucessor Tim Cook. Se, hoje, milhões de pessoas sentam diante de seus computadores, ouvem músicas baixadas pela internet ou comandam seus telefones e tablets com toques na tela, todas elas - embora muitos nem se deem conta - devem um pouco à genialidade de Steve Jobs.

Por que ficou tomando chás, e não buscou a Deus? talvez Deus tivesse dó de sua alma, e provavelmente teria vivido mais.

Que Deus tenha pena de sua alma.

Amém.

 
BLOG DO ANDRÉ CAFÉ
SÓ JESUS SALVA
//