Redes Social



twitterfacebookgoogle pluslinkedinrss feedemailhttps://www.wowapp.com/w/andrecafe/joinhttps://www.instagram.com/andrecafee/

terça-feira, 31 de maio de 2011

Lenda ou Fato? O condenado, o gênio e os 3 pedidos


Li uma história, ou lenda que transmito aos leitores, para que a façam seguir adiante.


Havia um condenado à morte, em vésperas de ir à forca. Lamentava-se como é natural. Poucas esperanças tinha de fugir ao nó fatal, quando se lhe apresentou, entre as grades do calabouço, um gênio bom ou mau (o leitor decidirá), com a seguinte solução:

– Posso poupar-te o suplício, se escolheres uma das quatro propostas: a) matar o seu pai; b) bater na sua mãe; c) expulsar de casa sua irmã; ou d) tomar uma pipa de cachaça.

Um lampejo brilhou nos olhos do infeliz. Pareceu-lhe tão fácil a escolha que não atinava como é que o gênio pusera no mesmo nível ações tão pouco iguais.

A decisão não podia demorar.

Matar o pai? Ave-Maria! Nem pensar nisso era bom! Que pilheria sem graça que nem ao diabo lembraria, caso esse tivesse pai. Escusado é dizer que esta idéia foi repelida com uma certa energia.

Bater na mãe? Que horror! Que abominação! Antes a forca mil vezes do que um crime desses! Decididamente, o gênio tinha queda para brincadeiras de mau gosto. Apesar de homicida, o preso seria incapaz de levantar o braço sobre sua genitora.

Expulsar de casa a irmã? Só faltaria essa! O gênio parecia apostado em formular idéias estrambóticas.

Matar o pai, nunca!

Espancar a mãe, jamais!

Maltratar a irmã, em hipótese alguma!

Só restava, pois, uma táboua de salvação. Esta “tábua de salvação” era uma pipa de cachaça. Antes um beberrão vivo do que um abstêmio morto, pensou o condenado. Aliás, o álcool não fora inventado para os animais. Um cálice de branquinha tem lá seu sabor! Entre a forca e o copo, a hesitação não tinha cabimento. A quarta proposta foi preferida…

O homem saiu logo, portanto da cadeia. Respirou com delícia os ares da liberdade. Mas tinha que cumprir o contrato. Ingurgitou logo uns goles da cachaça. Não havia mal nisso, não acha?, pois o álcool era ingerido em obediência ao gênio.

Mas depois foi apreciando por gosto. Finalmente o álcool foi procurado com paixão. As bebedeiras passaram a ser diárias e reforçadas. Esvaziada a pipa, o homem levava horas em sorver copos nos botequins e em descrever ziguezagues pelas ruas, ora apupado pelos garotos, ora “abotoado” pela policia. Passava mais noites no xilindró do que em casa. Ficou sendo um tipo da rua, célebre pelas asneiras que soltava.

Era uma lástima!

Uma noite entrou em casa, completamente fora de si. Fedia álcool a ponto de poder asfixiar uma mosca a vinte passos de distância. Vinha com o cérebro em fogo, com os nervos a arderem. O demônio do furor se lhe apoderara do organismo. Sentia uma vontade de matar. Entre pragas e blasfêmias, sacudiu a porta a murros e pontapés.

Veio abrir-lhe a irmã que, apesar de silenciosa, foi recebida com tapas e pontapés, com insultos e indecências. Horrorizada, a donzela retrocedeu e foi chorar no colo da mãe. Contou os desatinos do irmão.

A mãe exprobrou ao filho a indignidade deste proceder, mas o infeliz, desvairado pelo álcool, ousou erguer a mão sobre a mulher que o gerara. Uma bofetada sonora ecoou sinistramente sobre a face da triste mulher que, surpreendida pelo trágico insulto, caiu desmaiada entre os braços do marido que sobreviera, atraído pelas imprecações do ébrio e pelos gritos das mulheres.

E como o pai vituperara tantos crimes, o filho, passando de homem a besta-fera, agarrou entre as mãos possantes o pescoço paterno e só afrouxou a pressão quando a vitima pendeu inerte, feita cadáver.

Assim o gênio, que outro não era senão o demônio, alcançou com a quarta as três primeiras cláusulas. O ex-condenado, em se dando ao vício da borracheira, chegara a maltratar a irmã, espancar a mãe e matar o pai.

O que aqui fica narrado não é simples lenda… É um fato que, ora parcial, ora totalmente, se repete comumente, aqui ou acolá, num canto do orbe!


Robôs que aprendem a "falar"


 Eles ainda não estão discutindo as mais recentes fofocas sobre celebridades ou repassando dicas sobre investimentos, mas robôs australianos começaram a falar uns com os outros, e em uma linguagem que eles mesmos desenvolveram.

Os dois "Lingodroids" criados pela Universidade de Queensland desenvolveram sua linguagem compartilhada ao participarem de jogos de localização que os levaram a construir um vocabulário compartilhado para designar lugares, distâncias e direções.
"No seu estado atual, eles podem falar apenas sobre conceitos espaciais, o que acredito seja bastante interessante como ponto de partida", disse Ruth Schulz, diretora do projeto.
"Mas o mais importante é que eles estão formando sozinhos esses conceitos, estão começando realmente a compreender o que as palavras significam, e todo o trabalho foi realizado pelos robôs mesmos", afirmou.
Schulz descreve os robôs como "basicamente laptops sobre rodas", mas ambos contam com sonares, câmeras, um medidor laser de distâncias, microfones e alto-falantes, o que permite que conversem enquanto se movem e mapeiam seu ambiente em uma série de jogos de localização.
Os robôs circulam, com um ruído discreto de rodas, por um ambiente de escritório com características de labirinto, contornando obstáculos como mesas e cadeiras e apitando quando estão a uma distância que permita que se comuniquem.
Na comunicação por meio de apitos, os robôs utilizam uma tabela léxica interna que associa suas experiências, o local em que acreditam estar posicionados no mapa geral do escritório e os nomes de lugares que eles já conhecem.
Quando um robô localiza uma área sem nome, gera uma palavra que a designe, aleatoriamente. Quando os robôs conversam, trocam informações sobre as áreas que descobriram, e lentamente constroem um vocabulário comum.
Até agora, a linguagem dos robôs inclui palavras como "pize", "jaya" e "kuzo".
A pesquisa avançou a ponto de permitir que um robô oriente o outro para que chegue a dado ponto do escritório com o uso apenas do vocabulário compartilhado.
Schulz espera que o projeto avance mais, e a próxima fase deve incluir interação de robôs com objetos que eles poderão apanhar, e não apenas conceitos espaciais.
"A visão para o longo prazo é robôs que possam ser usados em ambiente doméstico, algo que permita interação entre pessoas reais e robôs reais de forma natural", disse.

Egito; Satélites da NASA ajudam a encontrar 17 pirâmides


Uma equipe de arqueólogos descobriu 17 pirâmides enterradas no Egito com a ajuda de imagens de satélites da NASA, segundo um documentário da BBC.


Liderada pela pesquisadora americana Sarah Parcak, da Universidade do Alabama em Birmingham, a equipe já confirmou a existência de duas das pirâmides por meio de escavações.
A BBC, que financiou a pesquisa, divulgou nesta semana as descobertas antes de ir ao ar o documentário intitulado "As Cidades perdidas do Egito", que descreve os resultados e as técnicas utilizadas.
"Eu não podia acreditar na descoberta", disse Parack, citada pela BBC. "Escavar uma pirâmide é o sonho de todo arqueólogo", afirmou.
A equipe de pesquisa também encontrou mais de mil tumbas e três mil câmaras, segundo o relatório.
Imagens em infravermelho captadas pelos satélites a 700 km de altura revelaram a presença das estruturas abaixo da terra.
Os satélites utilizaram poderosas câmeras que podem "localizar objetos com menos de um metro de diâmetro na superfície da Terra", aponta o informe da BBC.
A densidade das construções de tijolos de barro colaborou com a tecnologia, pois foi possível ver claramente o contraste sob a camada menos sólida de terra.

O celibato

A graça de ser só.

Ando pensando no valor de ser só. Talvez seja por causa da grande polêmica que envolveu a vida celibatária nos últimos dias. Interessante como as pessoas ficam querendo arrumar esposas para os padres. Lutam, mesmo que não as tenhamos convocado para tal, para que recebamos o direito de nos casar e constituir família.
Já presenciei discursos inflamados de pessoas que acham um absurdo o fato de padre não poder casar.
Eu também fico indignado, mas de outro modo. Fico indignado quando a sociedade interpreta a vida celibatária como mera restrição da vida sexual. Fico indignado quando vejo as pessoas se perderem em argumentos rasos, limitando uma questão tão complexa ao contexto do “pode ou não pode”.
A sexualidade é apenas um detalhe da questão. Castidade é muito mais. Castidade é um elemento que favorece a solidão frutuosa, pois nos coloca diante da possibilidade de fazer da vida uma experiência de doação plena. Digo por mim. Eu não poderia ser um homem casado e levar a vida que levo. Não poderia privar os meus filhos de minha presença para fazer as escolhas que faço. O fato de não me casar não me priva do amor. Eu o descubro de outros modos. Tenho diante de mim a possibilidade de ser dos que precisam de minha presença. Na palavra que digo, na música que canto e no gesto que realizo, o todo de minha condição humana está colocado. É o que tento viver. É o que acredito ser o certo.
Nunca encarei o celibato como restrição. Esta opção de vida não me foi imposta. Ninguém me obrigou ser padre, e quando escolhi o ser, ninguém me enganou. Eu assumi livremente todas as possibilidades do meu ministério, mas também todos os limites. Não há escolhas humanas que só nos trarão possibilidades. Tudo é tecido a partir dos avessos e dos direitos. É questão de maturidade.
Eu não sou um homem solitário, apenas escolhi ser só. Não vivo lamentando o fato de não me casar. Ao contrário, sou muito feliz sendo quem eu sou e fazendo o que faço. Tenho meus limites, minhas lutas cotidianas para manter a minha fidelidade, mas não faço desta luta uma experiência de lamento. Já caí inúmeras vezes ao longo de minha vida. Não tenho medo das minhas quedas. Elas me humanizaram e me ajudaram a compreender o significado da misericórdia. Eu não sou teórico. Vivo na carne a necessidade de estar em Deus para que minhas esperanças continuem vivas. Eu não sou por acaso. Sou fruto de um processo histórico que me faz perceber as pessoas que posso trazer para dentro do meu coração. Deus me mostra. Ele me indica, por meio de minha sensibilidade, quais são as pessoas que poderão oferecer algum risco para minha castidade. Eu não me refiro somente ao perigo da sexualidade. Eu me refiro também às pessoas que querem me transformar em “propriedade privada”. Querem depositar sobre mim o seu universo de carências e necessidades, iludidas de que eu sou o redentor de suas vidas.

Contra a castidade de um padre se peca de diversas formas. É preciso pensar sobre isso. Não se trata de casar ou não. Casamento não resolve os problemas do mundo.

Nem sempre o casamento acaba com a solidão. Vejo casais em locais públicos em profundo estado de solidão. Não trocam palavras, nem olhares. Não descobriram a beleza dos detalhes que a castidade sugere. Fizeram sexo demais, mas amaram de menos. Faltou castidade, encontro frutuoso, amor que não carece de sexo o tempo todo, porque sobrevive de outras formas de carinho.

É por isso que eu continuo aqui, lutando pelo direito de ser só, sem que isso pareça neurose ou imposição que alguém me fez. Da mesma forma que eu continuo lutando para que os casais descubram que o casamento também não é uma imposição. Só se casa aquele que quer. Por isso perguntamos sempre – É de livre e espontânea vontade que o fazeis? – É simples. Castos ou casados, ninguém está livre das obrigações do amor. A fidelidade é o rosto mais sincero de nossas predileções.

A graça desça sobre cada um de vocês meus filhos!

Em nome do Pai, do Filho e do Espirito Santo

AMÉM!

Por - Padre Fabio de Mello

domingo, 29 de maio de 2011

Lua pode conter tanta água quanto a Terra


A Lua poderia ter muito mais água do que o imaginado, talvez tanta quanto a Terra, uma descoberta que lança dúvidas sobre a formação do satélite, revela um estudo divulgado esta quinta-feira nos Estados Unidos.

Durante muito tempo acreditou-se que a Lua fosse um local seco e poeirento até que, há poucos anos, descobriu-se água pela primeira vez.

Agora, cientistas das universidades Case Western Reserve e Brown acreditam que no interior da Lua haja cem vezes mais água do que se pensava inicialmente.
As descobertas foram feitas com o uso de um instrumento de precisão, chamado NanoSIMS 50L --um microanalisador de íons-- para examinar o magma lunar ou pequenas quantidades de rocha derretida, coletada pela Apolo 17, a última missão americana à Lua, em 1972.
"Estas amostras são a melhor janela que temos para [calcular] a quantidade de água no interior da Lua", disse James Van Orman, coautor do estudo e professor de ciências geológicas do Case Western.

"O interior parece ser bastante similar no interior da Terra, razão pela qual sabemos sobre a abundância de água", acrescentou.

As descobertas foram publicadas na edição de 26 de maio da "Science Express".

A mesma equipe publicou um trabalho na "Nature" em 2008, descrevendo a primeira evidência da presença de água nos cristais vulcânicos trazidos pelas missões Apolo.

"O essencial é que em 2008 dissemos que o conteúdo primitivo de água no magma lunar deveria ser similar à água contida na lava proveniente da drenagem do manto superior da Terra", disse outro coautor do estudo, Alberto Saal. "Agora, provamos que este é o caso", acrescentou.

Enquanto as descobertas corroboram a teoria longamente sustentada de que a Lua e a Terra têm origens comuns, também lançam dúvidas sobre a crença de que a Lua pode ter se formado após um desprendimento da Terra, perdendo boa parte de sua umidade neste processo de alta temperatura.

Segundo esta teoria, de "enorme impacto" nos anos 1970, a Lua se formou depois que o nosso planeta colidiu com uma rocha espacial ou planeta 4,5 bilhões de anos atrás.

"Esta nova pesquisa revela que aspectos desta teoria devem ser reavaliados", destacou o estudo.

As descobertas também levantam interrogações sobre as teorias que afirmam que o gelo encontrado nas crateras dos polos lunares pode ser resultante do impacto de meteoros, sugerindo que parte do mesmo pode ter provindo da erupção de magmas lunares.

A Nasa (agência espacial americana) anunciou, em 2009, que duas naves enviadas à Lua para colidir com a superfície do satélite descobriram pela primeira vez água congelada, uma revelação considerada um enorme passo adiante na exploração espacial.

Dicas sobre informática, celulares e web

Celulares

1. Buscar por sinal da rede celular acaba com a bateria do aparelho rapidamente. Desligue seu telefone, ou coloque-o em modo “Avião”, antes de viajar para fora da área de cobertura da sua operadora;

2. Se você viajará para fora do país e não quer voltar com uma conta de smartphone muito cara. Para evitar que isso aconteça, configure o aparelho para que ele pare de checar os e-mails a cada 15 minutos, por exemplo.
Câmeras digitais

3. A dica para não pressionar completamente o botão da câmera elimina o tempo de espera frustrante ao fotografar. Posicione sua câmera para a foto, depois aperte o botão para fotografar até a metade. A câmera apita quando ajustou o foco – esta é a parte em que a pessoa perde tempo. Quando o fotógrafo aperta o restante do botão, a câmera fotografará a imagem imediatamente. Sem tempo de espera;

4. O flash é inútil se o personagem da foto está a mais de 2,5 metros à frente. Neste caso, é melhor desligá-lo. (Isso é para vocês, espectadores de concertos e fãs de futebol);

5. Ao apagar fotos de um cartão de memória por engano, é possível recuperá-las, caso o cartão não tenha sido usado depois. Para isso, basta comprar um software de recuperação de cartões de memória. Há diversos disponíveis para download pela internet.
Aplicativos para smartphone

6. No iPhone, a câmera não fotografa até que o fotógrafo clique no botão disponível na tela. É bom saber isso se o usuário deseja uma foto sem borrões. Com seu dedo pressionando o botão, posicione a câmera para a paisagem a ser fotografada e depois tire o dedo. A câmera fotografará ao tirar o dedo da tela, não ao pressioná-la;
7. No iPhone, Android, BlackBerry e Palm, pressione a barra de espaço no teclado duas vezes no final de uma frase. O teclado encerrará a frase com um ponto, inserirá um espaço e permitirá que o usuário comece a próxima frase com letra maiúscula, sem a necessidade de pressionar outros botões;
8. No BlackBerry, mantenha uma letra pressionada para transformá-la em maiúscula.
Navegação na web
9. Pressione Alt+D para selecionar o endereço existente na barra de URLs de seu navegador web. Sem usar o mouse, apenas digite o endereço do site para acessá-lo;
10. Não é necessário digitar “http://www” em seu navegador. Apenas digite “nytimes.com”. No Safari e no Firefox, é possível omitir também o “.com”. No Internet Explorer, pressione Ctrl+Enter para adicionar “.com” ou Ctrl+Shift+Enter para colocar “.org”;
11. Pressione a barra de espaço para rolar a página web no navegador para baixo. Pressione também a tecla Shift para rolar para cima novamente. (É possível usar também as teclas Page Up e Page Down do teclado);
12. Ao preencher um formulário, não é necessário rolar a barra de opções dos estados, por exemplo, para selecionar o seu. Apenas digite a primeira letra do nome do seu estado, sem usar o mouse. Se errar, basta pressionar a letra correta para que ele mostre os estados com nome iniciado por ela;
13. Se o usuário está tentando colocar um endereço de site muito longo que pode ser confuso para ler (ou que um espaço não suporte, como no Twitter), use um encurtador de URLs, como o Tinyurl ou o Bit.ly. Esses sites gratuitos convertem longos endereços em outros mais compactos.
Edição de texto
14. O usuário pode clicar duas vezes em uma palavra para selecioná-la, em vez de passar o cursor sobre ela. Para selecionar um parágrafo inteiro, clique três vezes sobre ele;
15. Quando o texto estiver selecionado – em um processador de texto ou na barra de endereços do seu navegador – não é necessário apagá-lo antes de escrever. Apenas comece a escrever;
16. O Word cria automaticamente links, palavras em negrito, insere marcadores ou listas numeradas, mas é possível configurá-lo para parar a formatação automática. No Word 2010 (para Windows), vá até a opção Opções do menu Arquivo e depois em Opções de Autoformatação. No Word 2011 (para Mac), abra o menu Ferramentas, clique em Auto-correções e depois em “Auto-formatar conforme escrevo”.
Dicas especiais para Mac
17. Ao comprar um produto pela internet, não desperdice papel para imprimir a confirmação. Em vez disso, escolha a opção Imprimir e depois “Salve em PDF na pasta Web Receipts”. Uma cópia da página em PDF ficará armazenada em seus documentos.
18. É possível visualizar a maioria dos documentos sem abrir um programa para fazer isso. Na área de trabalho, selecione o documento e depois pressione a barra de espaço. Trata-se de uma forma fantástica de pré-visualizar fotos, mas também ótima para documentos do Office, PDFs, filmes, músicas, entre outros.
19. Pressione Comando + Delete para jogar o item selecionado na lixeira.
Dicas especiais para Windows

20. Quando o usuário quer enviar um arquivo para outra pessoa, clique com o botão direito neste ícone. A partir do menu, selecione “Enviar por e-mail”. O Windows cria uma mensagem de e-mail automaticamente com o arquivo em questão anexado. Se for uma foto, o Windows sugere que o usuário reduza seu tamanho para enviar por e-mail;

21. Sempre se perguntou qual a função da tecla com o logotipo do Windows em seu teclado? Pressione ela junto com F para buscar algo, com D para ver a área de trabalho, com L para bloquear a sessão ao sair da mesa, entre outras.

22. É desnecessário pagar por um software de antivírus e anti-spyware todo o ano. A Microsoft oferece um programa bom para segurança que é de graça.

Este é pelo menos um começo. Espero que seu conhecimento sobre tecnologia esteja um pouco menos limitado.

quinta-feira, 26 de maio de 2011

ENEM 2011: JÁ SURGIU O PRIMEIRO PROBLEMA

Após ter suas últimas edições envoltas em problemas de toda ordem, o Exame Nacional do Ensino Médio teve as inscrições para as provas da sua edição de 2011 abertas nesta segunda-feira, 23, mas já há quem aponte novas falhas de organização no processo seletivo.
No mesmo dia em que as inscrições para o Enem 2011 foram abertas, o procurador da República Oscar Costa Filho ajuizou uma ação civil pública pedindo uma alteração no edital do exame, elaborado pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais (Inep), para garantir aos estudantes o direito de pedir revisão das provas, caso eles assim julgarem necessário.

‘Edital precisa ser revisto imediatamente’

“Ao elaborar esse edital, o MEC e o Inep ignoraram as normas que regem os concursos. Todo candidato tem direito a defesa. Ele deve estar apto a contestar a nota, assim como ter acesso ao espelho dessa correção. Sem isso, ele está sendo prejudicado. Por isso, o edital precisa ser revisto imediatamente. Acreditamos que, desta vez, conseguiremos atacar o problema em sua origem”, disse o procurador.
O procurador Oscar Costa Filho é o mesmo que no início deste ano entrou com uma ação que suspendeu a divulgação das notas dos estudantes na avaliação de 2010, por entender que os alunos que haviam recebido cadernos de prova com falhas de impressão mereciam uma nova chance. 

‘Excrescência’

Naquela ocasião, Costa Filho acabou derrotado pela justiça e pelas pressões do Ministério da Educação. Agora, ele acredita que as coisas serão diferentes: ”A justiça tem agora a oportunidade de julgar o mérito do Enem, e não apenas tomar decisões com medo de atrapalhar o cronograma do processo seletivo, como ocorreu na edição de 2010″.
O procurador ressalta ainda que é uma ”excrescência” o fato de o edital do Enem 2011 prever que é dever do estudante verificar se sua prova contém erros de impressão.

quarta-feira, 25 de maio de 2011

Governo edita medida provisória que dá incentivos tributários para tablets


O governo publicou no Diário Oficial da União desta segunda-feira (23) a medida provisória número 534, que incluiu os tablets na chamada "Lei do Bem".

A regulamentação era um dos  passos aguardados dentro dos acordos entre o governo federal e a iniciativa privada para produção dos equipamentos no Brasil.

A chinesa Foxconn, que monta o Ipad, da Apple, condicionava o início da produção no país à concessão de incentivos fiscais que já eram oferecidos para outros produtos de informática. Com a medida de redução de impostos, os preços dos tablets devem cair em 36%, segundo informou o ministro das Comunicações, Paulo Bernardo.

terça-feira, 24 de maio de 2011

Nanotecnologia revolucionando a medicina

O progresso prometido pela nanotecnologia afeta todas as áreas. Na medicina, ele deve revolucionar o diagnóstico e o tratamento.


É o que explica o pesquisador Patrick Hunziker, no âmbito da “Swiss Nano Convention 2011”.
"Vitrine" para a ciência da nanotecnologia suíça, segundo as palavras de Pierangelo Gröning, presidente do comitê organizador, a "Swiss Nano Convention 2011" reuniu em Baden (centro-norte) cerca de 250 pessoas, entre especialistas e interessados pelo progresso a ser alcançado pela ciência do infinitamente pequeno.

Das telecomunicações à alimentação, da energia à invenção de novos materiais, a nanotecnologia está presente em todos os laboratórios de pesquisa. Na Suíça, das 350 patentes relacionadas à nanotecnologia, a maior parte (22%) diz respeito a componentes químicos, enquanto que apenas 6% a medicina.

Pode parecer pouco, mas o pesquisador Patrick Hunziker, professor de cardiologia e terapia intensiva do Hospital Universitário de Basileia e presidente fundador da Sociedade Europeia de Nanomedicina, explica que o valor esconde uma grande quantidade de descobertas.

Ele e sua equipe, por exemplo, estão desenvolvendo atualmente "nanocontainers" capazes de atingir células cancerosas, liberando nelas o produto terapêutico sem afetar as células e os tecidos saudáveis.
Patrick Hunziker: São registradas tantas patentes, em todas as áreas possíveis, da construção de carros a computadores, até a soprador de vidro, que apenas 6% já representam um número absoluto enorme.

Nos últimos vinte anos, percebemos que a estrutura básica da célula é composta por nanoelementos. Sabemos agora que muitas doenças, como a arteriosclerose ou as doenças virais, começam em um nível nano. Foi preciso essa compreensão inicial para entender o alcance da nanotecnologia no campo da saúde. O que estamos tentando fazer é agir contra a doença nesta fase "nano", tanto no diagnóstico como na terapia.

Brasil tem uma das maiores reservas de terras raras do planeta


O Brasil pode ser dono de uma das maiores reservas de terras raras do planeta, mas, hoje, praticamente não explora esses recursos minerais.As terras raras são usadas em superimãs, telas de tablets, computadores e celulares, no processo de produção da gasolina, e em painéis solares.

Estimativas da agência Serviços Geológico Norte-Americano (USGS), apontam que as reservas brasileiras podem chegar a 3,5 bilhões de toneladas de terras raras.
De olho no potencial brasileiro, a Fundação Certi, de Santa Catarina, o Instituto de Pesquisas Tecnológicas (IPT), de São Paulo, e Centro de Tecnologia Mineral (Cetem), do Rio de Janeiro, estão se articulando para dar apoio à iniciativa privada, caso o Brasil decida explorar esses recursos minerais e entrar no mercado.Reservas de terras raras

Um mercado hoje inteiramente dominado pela China, responsável por 95% da produção e dona de 36% das reservas conhecidas. O valor do mercado mundial dos óxidos de terras raras é da ordem de US$ 5 bilhões anuais.
"Estamos nos estruturando para, caso alguém se interesse por entrar na mineração, a gente poder apoiar as iniciativas. Temos alguns projetos de pesquisa, mas começamos devagar porque se não amadurecer a mineração de terras raras no Brasil, não tem sentido a gente investir em pesquisa e desenvolvimento para exploração e produção", afirma Fernando Landgraf, diretor de inovação do IPT.
Como parte da ação das entidades acadêmicas de colocar o assunto em discussão e contribuir para o debate, Landgraf publicou um artigo no jornal Valor Econômico no dia 13 de abril, chamando a atenção para o potencial brasileiro.
Nos 3,5 bilhões de toneladas de terras raras, após os processos industriais que concentram e separam os elementos químicos que ocorrem de forma agregada nos minérios, há 52,6 milhões de toneladas de metal.
Essa estimativa do USGS consta no documento Os principais depósitos de elementos terras rara nos EUA - Um resumo dos depósitos domésticos e uma perspectiva global.
Com base em dados do geólogo da CPRM, Miguel Martins de Souza, publicados em revista científica especializada, a USGS calculou também que a reserva de 2,9 bilhões de toneladas de terras raras na mina de Seis Lagos, na Amazônia, resultaria em 43,5 milhões de toneladas de metal contido.
Em Araxá, Minas Gerais, em uma mina explorada pela Vale, haveria o segundo maior depósito brasileiro: a estimativa dada pelo documento é de 450 milhões de toneladas de terras raras e 8,1 milhões de metal contido para essa mina.Terras raras

As terras raras são 17 elementos químicos muito parecidos, mas que diferem no número de elétrons em uma das camadas da eletrosfera do átomo. São agrupadas em uma família na tabela periódica porque ocorrem juntos na natureza e são quimicamente muito parecidos.
Também têm como característica comum os nomes complicados: lantânio, neodímio, cério, praseodímio, promécio, samário, európio, gadolínio, térbio, disprósio, hólmio, érbio, túlio, itérbio, escândio e lutécio.
Apesar do nome sugerir, esses metais não são tão raros como o ouro, por exemplo.
Se, até poucos anos atrás, não compensava para o Brasil entrar no setor, por não haver condições de competição com a China, o potencial das reservas brasileiras e o aumento dos preços das terras raras no mercado internacional podem tornar o negócio economicamente viável, defende o diretor do IPT.

Em busca das ondas gravitacionais


Um grupo internacional de cientistas finalizou o projeto do Telescópio Einstein, um observatório de ondas gravitacionais 100 vezes mais sensível do que os instrumentos atuais.
O Telescópio Einstein será subterrâneo, construído a uma profundidade entre 100 e 200 metros, e terá três detectores, interligados por túneis de 10 quilômetros de extensão.Ondas gravitacionais

Ondas gravitacionais são ondulações no tecido do espaço-tempo, produzidas por eventos violentos no Universo, como colisões de buracos negros e explosões de supernovas, previstas por Albert Einstein em 1916, como uma consequência da sua Teoria Geral da Relatividade.
As ondas gravitacionais são emitidas pela aceleração de massas, de forma muito parecida com que as ondas eletromagnéticas são produzidas pela aceleração de cargas elétricas - como os elétrons em uma antena.
Ao contrário das outras formas de radiação conhecidas pelo homem, as ondas gravitacionais estariam viajando até nós desde o início do Universo totalmente incólumes, livres de qualquer interferência.
Ou seja, a informação que os cientistas coletam a partir da luz, das radiofrequências e de outras ondas, estão de certa forma "corrompidas" por interferências. Isto não deve acontecer com as ondas gravitacionais.

LHC cruza "fronteira simbólica"


O maior acelerador de partículas do mundo, o LHC situado próximo de Genebra, alcançou nesta segunda-feira (23/5) um recorde, cruzando a "fronteira simbólica" dos "100 milhões de colisões por segundo", anunciou Michel Spiro, presidente do conselho do Centro Europeu de Investigação Nuclear (CERN).
O recorde foi alcançado "esta noite, por volta de duas da manhã, na madrugada desta segunda-feira", afirmou Spiro durante uma conferência em Paris.

Há um mês, o LHC (sigla em inglês para Grande Colisor de Hádrons) tinha estabelecido um recorde de luminosidade, correspondente a "10 milhões de colisões por segundo".

"Agora multiplicamos esta marca por 10", disse Spiro à AFP.

Fazendo colidir feixes de prótons que circulam em sentidos opostos em um anel de 27 km de circunferência, o LHC tem como objetivo recriar as condições de extrema energia da primeira fração de segundo depois do Big Bang, há 13,7 bilhões de anos.

Os físicos buscam em particular um elo perdido da teoria de partículas, o famoso bóson de Higgs, que seria a menor partícula que teria dado sua massa para todas as outras.

Para demonstrar sua existência, os cientistas poderiam dispor dos elementos necessários "a partir deste verão (no hemisfério norte)", explicou Spiro. Ao contrário, "para dizer que não existe, terão que esperar até o final do próximo ano", acrescentou.

Com 100 milhões de colisões por segundo, o LHC poderia produzir diariamente, em poucas horas, um bilhão de colisões, explicou Spiro. Neste ritmo, se o bóson de Higgs existir, poderá ser detectado "um por dia", segundo o cientista.

"Com um Higgs por dia, ou seja, centenas até fim de 2012", mesmo com o ruído de fundo poderemos determinar se existe ou não", resumiu o físico.

"Caso o encontremos como esperamos, isso significaria que a teoria das partículas elementares não está correta", concluiu.
 
BLOG DO ANDRÉ CAFÉ
SÓ JESUS SALVA
//